Só o amor pode salvar da dor

Página 12 de 13 Anterior  1, 2, 3 ... , 11, 12, 13  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Jul 22, 2017 7:33 pm

21 de Janeiro – Data de um mês de namoro de Dulce e Christopher

Como o esperado o celular de Christopher Uckerman tocou exatamente às seis horas da manhã, o loiro tentou se mexer mais o corpo da ruiva estava sob o tórax dele junto com lençol de estimação da mesma, ele sorriu e tirou uma mecha do cabelo que caia sob o rosto dela, Dulce suspirou se aninhando mais a ele, Christopher não querendo acorda - lá ficou estático e só faltou prender a respiração para que sua Bebê não acordasse, ele assim que se sentiu seguro saiu da cama a deixando dormindo um sono muito gostoso, o loiro então seguiu para banheiro para tomar uma ducha para despertar, pois ainda tinha muito sono. Minutos depois saiu do banheiro vestindo uma sunga azul bebê com detalhes em branco na lateral, um short cinza e uma blusa branca, ele pegou o celular e saiu do quarto para tomar café da manhã.        

Uma hora depois Christopher Uckerman já tinha tomado café da manhã, ligado para o rapaz do Iate e organizado o café da manhã de sua Bebê. Agora Christopher voltava ao quarto para acordar a namorada para poderem seguir viagem, o loiro esperava que ela acordasse calminha porque ontem sua Bebê estava estressada demais, ele era o grande culpado por ter deixado sua ruiva meio de lado esses dias, mas era necessário não podia organizar tudo com ela ao lado. Chris entrou no quarto segurando uma bandeja que continha tudo o que Dul gostava de comer quando acordava, o loiro colocou na mesinha de cabeceira e em seguida sentou pertinho dela, ele sorriu morrendo de pena de acordar a namorada que dormia esparramada na cama de bruços somente de calcinha, o quarto encontrava – se no escuro e geladinho devido ao ar condicionado do jeitinho que ela gostava de dormir. Chris lembrou da surpresa que havia feito para ela e começou a fazer carinho nas costas de Dul para acorda - lá.

Chris (ele beijou as costas dela até chegar perto do ouvido): Acorda preguiçosa.
Dul (ela suspira manhosa): Nãoooooooo.
Chris (sorrindo): Simmmmmmmm (Dulce fez que não com a cabeça). Hum que peninha então vou ter que arrumar uma ruiva, linda e manhosa como namorada para poder comemorar um mês de namoro com ela.
Dul (a ruiva sorriu e virou para ele com um lindo sorriso nos lábios): Bom dia Chris Feliz Aniversário de um mês.  
Chris (sorrindo): Bom dia Bebê Feliz Aniversário de um mês para você também (o loiro chegou perto do ouvido dela e sussurrou). Te amo muito, toda vez que acordo e te vejo ao meu lado sou o homem mais feliz do mundo.
Dul (ela abraçou o namorado forte querendo sentir ele bem perto): Também te amo muito Chris e eu sou a mulher mais feliz do mundo quando tenho você ao meu lado para adormecer e para acordar, eu me sinto muito segura em seus braços e amo sentir seu cheirinho gostoso que me acalma sempre.      
Chris (ele cheira o pescoço da namorada): Também amo sentir seu cheirinho, mas vamos deixar de conversa quero que tome esse café da manha gostoso que trouxe para você (o loiro levanta da cama e pega a bandeja do café da manhã, Dul se enrola no lençol da pousada cobrindo os seios já que estava sem sutiã e senta na cama). Espero que goste (ele coloca a bandeja no colo dela).    
Dul (ela deu um beijo carinhoso nele): Obrigada Chris deve está delicioso.

Dulce começou a comer as coisas que o namorado tinha trazido para ela com muito gosto, o olhando nos olhos, ele só lhe sorria achando graça de não sei o quê, de repente a ruiva levantou a vista reparando em volta, a cara dela o fez gargalhar.

Chris (ainda rindo): Que foi Bebê?
Dul (ainda olhando estranhada): É Chris esse não é o meu quarto, e que eu me lembro também não é o seu, se bem que faz tempo que não vou a sua casa, mas certamente não pintaria seu quarto de Salmão. Onde estamos?
Chris (ele rindo tira uma mecha que caia sob o rosto dela): Sim não é meu quarto e certamente não pintaria de salmão (ele a olhando serio). Nos estamos em uma pousada a caminho de Cozumel para comemorarmos nosso primeiro mês de namoro.
Dul (ela suspira curiosa e empolgada): Hum e aonde vamos precisamente?  
Chris (sorrindo): Seeeeeegreeeeeeeeedoooooooooooooo (Dulce fez bico). Nem adianta manha porque não vou dizer. Agora termina de comer enquanto eu ligo para nossas mães avisando que estamos bem.
Dul (ela o vê pegar o celular): Falando em ligar, a Bibi ligou na terça-feira a noite e nos falamos está tudo bem com ela e o Rodrigo. Eles estão amando a viagem. Rodrigo te mandou um abraço e a Bibi beijos.
Chris (sorrindo): Quando falar com eles de novo diga que mandei um abraço a Rodrigo e beijos a Bibi.

Christopher assim que terminou de falar com a namorada, discou o número do celular da mãe que lhe atendeu após o quinto toque, ele começou a falar com a mesma contando que tinha chegado bem, quando viu Dul levantando da cama e pegando a mochila, o loiro pediu há Alexandra um instante, Chris avisou a ruiva que era para colocar o biquíni e a roupa que estava enrolada no mesmo, Dulce assentiu e seguiu para o banheiro e ele voltou a falar com a mãe dele ao celular. Christopher conversou um tempinho com a sogra da namorada, mas logo precisou desligar, pois tinha que falar com Blanca agora, Chris escutou uma gargalhada ao longe que parecia de seu sogro, já ia perguntar se era de Fernando aquela voz, mas sua mãe logo lhe respondeu que os sogros dele estavam na casa dela desde ontem a noite.

Chris (sorrindo): Eita agora o lema é quando os filhos saem os pais fazem a festa é? (brincando com a mãe, Alexandra gargalhou do outro lado).
Ale (ela ri): Exatamente filhote. Os dois vieram jogar baralho ontem à noite e acabaram ficando por aqui. Letícia e Diego também estavam aqui mais foram embora ontem a noite mesmo porque Ângela e Pedro iam almoçar hoje na casa deles com os filhos de ambos para tentarem resolver finalmente a bronca do Dudu com os pais. Espero que consigam (a senhora chega perto de Blanca para passar o celular). Bom deixa eu passar o telefone a Blanca preciso olhar o almoço. Beijos filho, da um beijo na minha norinha e Feliz namoro de um mês aos dois e curtam bastante.
Chris (sorrindo): Espero também que se resolvam (ele vê a namorada sair do banheiro). Obrigada mãe e pode deixar que dou o recado a ela. Beijos a senhora e mande beijos ao papai também até mais.  
Blanca (Alexandra passou o telefone a Blanca): Oi meu filho como estão? Chegaram bem? (Dulce guardava a roupa na mochila e viu o presente que tinha comprado para dar ao namorado, ainda bem que sua mãe tinha lembrado de por já que ela viajou de surpresa e nem preparou a mochila nem nada).              
Chris (sorrindo): Oi minha sogra chegamos bem sim, sua filha estava apagadona até agora (ele ri, Dul coçou os olhos rindo para ele depois de
Blanca (ela ri): O mundo pode cair que minha Bebê não está nem ai, dorme mesmo quase nada abala o sono dela.
Chris (rindo): É verdade (Dulce pede para falar com a mãe). Minha sogra a Dul acabou de tomar café e quer falar com você, eu vou aproveitar e vou levar as mochilas para o carro e pegar o troco da conta da pousada que na hora que fechei estavam sem trocado enquanto conversam. Beijos e até amanhã.
Blanca (sorrindo): Até meu genrinho querido. Parabéns pelo um mês de namoro e curtam bastante. Beijos e amanhã quando forem pegar a estrada liguem avisando viu.
Chris (sorrindo): Obrigado sogra e pode deixar que ligamos sim tchau.
Blanca (sorrindo): Tchau (Christopher passa o telefone para namorada e sai do quarto levando as mochilas).  
Dul (ela deita na cama e fala manhosa): Mamitaaaaa bom dia.
Blanca (rindo): Bom dia Bebê manhosa da mamãe. Tudo bem meu amor?
Dul (sorrindo): Sim muito bem Mamita e a senhora?
Blanca (sorrindo): Tudo bem Bebê. Filha estava cansadinha ontem em? Chris te carregou dormindo para o carro quando vocês saíram da Televisa, passaram na nossa casa para pegar a sua mochila e você continuou apagada no carro. Acho que o mundo acaba e você está lá dormindo nem ai para nada (a senhora gargalha). O sono estava grande porque só foi me acordar hoje de manhã (Blanca riu e Dulce acompanhou a mãe).
Dul (ela faz manha): Ah mamita eu estava cansadinha.
Blanca (rindo): Sei que sim manhosa. Ei Bebê viu que coloquei o presente que comprou para Chris?
Dul (sorrindo): Vi sim Mamita obrigada, ainda bem que se lembrou porque se não ele ia ficar sem presente hoje.
Blanca (sorrindo): Verdade (Christopher volta para o quarto para chamar Dulce para seguirem viagem). Bebê a mamãe vai desligar vou ajudar sua sogra na cozinha. Parabéns pelo um mês de namoro e se cuida meu amor. Amanhã quando tiverem saindo daí me liga.
Dul (ela olha o namorado ao seu lado já sentado na cama): Vocês estão na casa dos meus sogros? Obrigada mamita. Pode deixar que eu ligo sim não se preocupa.
Blanca (sorrindo): Estamos aqui desde ontem, sua madrinha e seu padrinho também estavam mais eles foram embora ontem mesmo. De nada meu amor. Está bem fico esperando sua ligação. Fica com Deus filha e até amanhã.
Dul (sorrindo): Fica com Deus também Mamita. Até amanhã. Beijos e manda beijos para o papai e para todos ai.
Blanca (sorrindo): Mando sim. Beijos (as duas desligam o celular).  
Chris (sorrindo): Podemos ir Bebê as mochilas já estão no carro e o troco no meu bolso (o loiro a puxando para o colo dele e lhe dando um beijo carinhoso, a ruiva prolongou o beijo sentindo as mãos de Christopher acariciando sua cintura, os dois suspiraram e ele finalizou o beijo com um selinho, pois não queria que acontecesse nada ali, afinal eles ainda precisavam seguir viagem): O que queres ruiva me por louco?
Dul (gargalhando): Ah Chris não quero isso não (ela suspirou e falou manhosa). Na verdade eu queria saber aonde vai me levar?
Chris (rindo): Já vi que não sabe a definição da palavra surpresa, mas eu te explico (o loiro levanta da cama e colocando a ela no chão e puxa sua Bebê para fora do quarto). Surpresa significa: Ato ou efeito de surpreender-se. Aquilo que surpreende, acontecimento imprevisto, ou prazer inesperado. Logo que se eu te contar deixa de ser surpresa (ele lhe deu um beijo carinhoso e abriu a porta do carro para ela). Senhorita queira adentrar o carro, por favor, (Dulce gargalhou e Christopher riu junto com ela). A gente quer ser gentil e educado e recebe uma gargalhada da namorada (ele se fazendo de triste).
Dul (a ruiva o abraça ainda rindo): Tadinho do meu namorado (ela olha seria agora). Obrigada por abrir a porta meu amor te amo muito (Dulce o beija carinhosamente e sussurra entre os lábios deles) Obrigada por ser o namorado, o homem mais especial que podia existir para mim te amo muito, muito Christopher Uckermam.
Chris (sorrindo): Também te amo muito, muito Dulce Maria e eu só sou esse homem especial porque estou ao seu lado. Você me faz um homem melhor a cada dia que acordo ao seu lado (Dulce não aguentou e derramou algumas lágrimas emocionada).
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Jul 22, 2017 7:37 pm

Dulce e Christopher se beijaram mais uma vez e em seguida a ruiva entrou no carro, o loiro fechou a porta e entrou também pelo outro lado sentando no banco do motorista. Assim que os dois colocaram o cinto para seguir viagem, Dul olhou o relógio do carro sem acreditar no que estava vendo, Chris comentava sobre os pais dois dos estarem juntos na casa dele, ele percebeu que a namorada não havia escutado nada do que dizia, Christopher já ia lhe chamar a atenção quando escutou a voz da namorada em uma mistura de manha e indignação.    

Dul (ela suspira manhosa): Chris estou enxergando errado ou são mesmo 8 horas da manhã?  
Chris (rindo e saindo com o carro rumo a Cozumel): Está enxergando muito bem são 8 horas sim Bebê. Com essa sua pergunta já vi que não escutou nada mesmo do que eu falei.
Dul (ela suspira): Nossa me fez madrugar Chris, por isso ainda estou com tanto soninho. É acho que não (ela ri), eu não sei nem do que você está falando. Mais me diz ai o que me falou?  
Chris (ele ri): Disse que nossos pais estão juntos desde ontem e que foi só a gente sair que os quatro caíram na farra (os dois riem).
Dul (sorrindo): Verdade e meus padrinhos também estavam lá se divertindo, eles só não dormiram como meus pais (Christopher assentiu). É Chris não quer mesmo me dizer aonde vamos (a ruiva olha para ele com cara de sapeca)?
Chris (rindo): Não quero não (Dulce suspirou frustrada). Daqui a pouco você vai saber do que se trata a surpresa.
Dul (a ruiva finge está emburrada): Ah mais falta muito (Dulce sorri feliz por ter tido uma ideia para tentar descobrir aonde iam, Christopher riu e esperou o que ia sair daquela boca linda que ele tanto amava). Chris vamos brincar?
Chris (curioso): Brincar de que Bebê?
Dul (sorrindo): De perguntas e respostas (ele olhou querendo entender o que ela queria dizer com isso, Dul logo lhe respondeu) eu pergunto e você responde Uckerman (ela ri animada com sua grande ideia).
Chris (rindo): Ok Saviñón.      
Dul (sorrindo): Começando (ele assentiu). O que prefere? a) morena, b) ruiva ou c) loira.
Chris (ele se segurou para se manter serio): c) Loira porque são mais gostosas.
Dul (ela suspira chocada): Christopher (a ruiva dá um tapão nele), você devia então ficar com uma loira gostosa idiota.
Chris (sorrindo): Mais amo enlouquecidamente uma ruiva muito geniosa e birrenta a minha frente (ele gargalha). Próxima pergunta ruiva gostosa.
Dul (ela suspira emburrada): Imbecil.
Chris (rindo): A gente elogia e ela ainda briga vai entender. Oh Bebê é brincadeira sabe que te amo sim? (ele olha nos olhos dela rapidamente).  
Dul (ela suspira): Também te amo seu chato. Segunda pergunta. Qual desses países que fizemos show você percebeu que me amava? A) México, B) Brasil ou c) Venezuela.
Chris (sorrindo): De verdade não sei, eu acho que no México me dei conta que te amava e no Brasil tive certeza que só seria feliz se tivesse você ao meu lado.
Dul (ela suspira): Ahhhh Chris você é mesmo um fofo. Eu também senti o mesmo que você, eu te amo (a ruiva deu um beijo no rosto dele). Terceira pergunta. Christopher Uckerman em que parte do seu corpo você perde a cabeça quando alguém te toca? (Christopher olhou chocado pela pergunta e Dulce quase gargalhou, mas se manteve seria). A) Pompa de oro, B) Dito cujo ou c) Dedo do pé.
Chris (o loiro suspira chocado pela pergunta): Dulce eu não vou lhe responder isso.
Dul (ela suspira manhosa): Ah Chris eu preciso aprender para poder praticar depois.
Chris (ele para o carro): Dulce Maria o que deu em você hoje? (o loiro olha para ela).
Dul (manhosa): Não vai me responder?
Chris (ele volta a dirigir): Não, essa pergunta eu não respondo.
Dul (ela sorri): Ok fazer o quê.
Chris (sorrindo): Isso tudo é só para saber aonde vamos? (ela não responde apenas sorri e emenda com mais uma pergunta).
Dul (sorrindo): Posso fazer à próxima e ultima pergunta? (Christopher assentiu sabendo que ela ia tentar pela ultima vez que ele dissesse aonde iam). Para onde vamos a Cozumel? A) Casa da Ivi, b) Hotel e c) Acampar na praia.  
Chris (sorrindo): b) Hotel
Dul (ela sorri): Qual Hotel Chris? Aquele bonitinho no caminho da casa dos meus avôs?
Chris (sorrindo): Não respondo mais nada Bebê aquela foi sua última pergunta.
Dul (ela suspira manhosa): Ah Chris, por favor, me conta aonde vamos.
Chris (sorrindo): Não digo mais nada sobre isso. Quando vamos gravar sua música para o seriado?
Dul (sorrindo): Quando a gente for gravar o capítulo quatro, eu acho que próxima semana.
Chris (sorrindo) Estou muito orgulhoso, minha Bebê escreveu e vai gravar música de abertura do nosso seriado.
Dul (sorrindo): Nem acredito que vou ter essa honra, somente quando eu escutar mesmo vou ter certeza que é verdade (rindo).
Chris (sorrindo): Boba.

Christopher e Dulce continuaram conversando amenidades durante a viagem. Quase uma hora depois os dois finalmente chegaram a Cozumel, a ruiva tinha cochilado um pouco antes de entrar na cidade. Chris chegou ao seu destino final estacionando seu carro na garagem da casa de praia dos pais de Ivalu, ele desligou o carro e se virou para acordar a namorada.

Chris (sorrindo): Bebê acorda.
Dul (ela abre os olhos e olha o namorado): Já chegamos?
Chris (sorrindo): Sim (Dulce levantou dando de cara com a casa dos padrinhos, ela ficou surpresa e confusa, ela já ia perguntar algo quando ele foi mais rápido lhe respondendo). Não menti para você esse não é nosso destino final.
Dul (ela suspira confusa): Não entendo então.
Chris (sorrindo): Só estamos aqui para deixar o carro na garagem, pois não quero deixar no meio da rua.    
Dul (ela o olha curiosa): Ah e aonde vamos não tem estacionando?
Chris (sorrindo): Tem mais o estacionamento é na própria rua, eu achei mais seguro deixar aqui.
Dul (sorrindo): É tem razão.
Chris (sorrindo): Agora chega de papo e vamos embora.

Christopher e Dulce pegaram suas mochilas e saíram da casa dos pais da Ivalu após trancar a garagem, eles andaram um pouco pela orla marítima na areia mesmo, a ruiva foi caminhando ao lado do namorado tentando entender para onde estavam indo, mas não chegou a perguntar a ele, pois sabia que não seria respondida. Depois de caminhar alguns minutos os dois chegaram ao porto de Cozumel, Dul olhou intrigada para Chris que não lhe respondeu nada apenas a puxou pela mão e levou a namorada a um dos presentes de aniversário de namoro que ele resolveu dar a sua Bebê.

Dul (ela olha para um barco): Vamos passear de barco Chris? Que legal eu nunca mais andei de barco só naquele lá no Brasil (Dulce via um barco do lado do presente de Christopher). Que fofo eu amei (ela beija o namorado rapidamente e o solta). Vamos quero andar nele (a ruiva foi em direção do barco). http://img224.imageshack.us/my.php?image=barcohm0.jpg
Chris (ele puxando ela de volta para perto dele): Não Bebê, nós não vamos nesse barco e sim nesse Iate aqui (o loiro aponta para o Iate ao lado do barco que Dulce achava que era a surpresa).
http://img381.imageshack.us/my.php?image=lanchauckerlh5.jpg

Christopher mostrou a Dulce aonde iam passear, a ruiva ficou sem fala, ela articulou algumas palavras mais nada saia e quando se deu conta já estava dentro do Iate.

Dul (ela suspira): Chris a gente vai andar mesmo nisso?
Chris (sorrindo): Lógico que sim, nos vamos passear de Iate até amanha ao meio dia. Que tal preparada?
Dul (ela olha o namorado): Hum (a ruiva em seguida olha para todos os lugares que seus olhos alcançavam). Nossa é enorme maior que meu apartamento (ela volta a olhar o namorado intrigada). Como conseguiu esse Iate Chris?    
Chris (sorrindo): Tenho meus contatos Bebê vem quero te mostrar tudo.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Jul 22, 2017 7:39 pm

Christopher e Dulce conheceram as dependências do Iate, tudo de muito bom gosto. O primeiro andar de baixo para cima se encontrava a cozinha e uma sala de estar muito bem decorado com móveis de madeira, o segundo andar possuía um quarto com cama de casal, banheiro com chuveiro e banheira e uma sala muito bonita, o terceiro andar era onde ficava o tripulante e o quarto andar possuía uma piscina com algumas cadeiras para tomar sol. Após conhecerem tudo e passado à euforia, os dois se encontravam olhando a paisagem da sala do Iate que dava para uma parte ao ar livre. Christopher estava abraçado à ruiva com a cabeça no ombro dela apreciando a vista que tinham.    

Chris (sorrindo): Está gostando Bebê?
Dul (a ruiva vira - se para ele): Muito Chris. Obrigada é lindo aqui (ela o beijou carinhosamente).
Chris (sorrindo): Fico feliz que esteja gostando (Christopher beija a testa dela e a abraça com carinho, ele então a solta e olha para ela sorrindo). Que tal um banho de piscina agora?
Dul (sorrindo): Seria perfeito.
Chris (sorrindo): Então vamos? (Dulce assentiu e os dois foram trocar de roupa no quarto).

Os dois entraram na sala, foram ao quarto e depois de colocar o biquíni e pegar toalhas subiram para parte da piscina. Christopher entrou na piscina e Dulce ficou perto dele pegando um pouco de sol, mas a ruiva quando deu por si estava dentro da água, Chris a pegou enquanto Dul encontrava - se de olhos fechados devido ao sol, ela ficou brava e lhe deu um tapa no ombro depois que voltou a superfície.

Dul (sorrindo): Idiota me deu um susto.
Chris (sorrindo): Desculpa. Como faço para me redimir?
Dul (sorrindo): Com beijinho.
Chris (sorrindo): Com beijinho é? Tipo esse aqui (Christopher a beijou rapidamente e finalizou com uma mordida de lábios).
Dul (ele falou em um sussurro): Não.
Chris (ele chegou perto do ouvido dela e sussurrou): Vê se gosta desse.

Christopher lhe beijou a orelha tirando um suspiro da mesma, depois a beijou com desejo e carinho a deixando totalmente sem ar, o beijo foi acompanhado de caricias na cintura por parte dele e na nuca por parte dela, os dois sentiram o corpo estremecer diante das caricias fazendo com que o beijo se tornasse mais afoito, Chris subiu sua mão esquerda para o seio esquerdo da ruiva o tocando por cima do biquíni fazendo Dul suspirar diante da caricia.

Dul (ofegante): Não Chris, o moço pode aparecer.
Chris (ofegante): Não vai aparecer tem ordem de não sair do andar dele. Me deixa te tocar Dul (ela assente e ele volta acariciar o seio dela) estou com saudades.
Dul (sussurrando): Eu também estou.

Em meio às caricias, Dulce perdeu o sutiã do biquíni deixando seus seios à mostra, Christopher abocanhou o seio direito da ruiva chupando e mordiscando a deixando louca de tesão, Dul puxava o cabelo da nuca dele pedindo sem palavras que não parasse com as caricias, Chris deixou o seio direito da ruiva e passou para o esquerdo dando a ele o mesmo tratamento que o outro seio de Dulce, Dul gemia enlouquecida pela caricia do namorado. Chris estava tão excitado quanto a namorada, ele desceu as mãos para as tiras do biquíni dela e desamarrou o mesmo com agilidade enquanto sua boca beliscava o mamilo da mesma, a ruiva só percebeu que ele havia desamarrado o biquíni quando sentiu sua intimidade tocar o corpo dele totalmente desnuda, ela sentiu o biquíni deslizar pelo corpo e ser atirado para longe. Dulce então suspirou e gemeu buscando os lábios dele, a ruiva o beijou aflita querendo extravasar o calor e a tensão do seu corpo. Christopher sorriu em meio ao beijo a vendo tão necessitada dele, o loiro deslizou uma mão até a virilha dela descendo até encontrar o clitóris da ruiva, ela estremeceu sentido contado dos dedos dele ali, Dulce o puxou pelo cabelo o obrigando a beija - lá com maior intensidade, pois ela mesma estava perdendo as forças e não queria deixar de beijá-lo um só minuto, Christopher com o toque dos seus dedos deixava a namorada mais e mais enlouquecida, Dul sentiu seu corpo se contorcer de tanto tesão acompanhados de gemidos, Chris percebe que ela estava quase chegando no seu limite e introduz um dedo nela que grita, ele começa a movimentar seu dedo fazendo um vai e vem dentro dela que não resiste e logo desfaleceu nos braços do namorado após atingir ao clímax. Christopher a segurou esperando que ela voltasse a si enquanto abaixava a sunga, a única peça roupa que separava os dois de se unirem e se tornarem um só corpo. Christopher aguarda uns minutos para ela se recuperar erguendo a namorada em seus braços, Chris a encostou na parede da piscina e ela lhe rodeou a cintura com as pernas, os dois suspiraram ao sentirem suas intimidades se roçarem, ele apenas encostava o pênis na vagina dela fazendo a ruiva ficar impaciente para te- ló dentro de si.  

Dul (ela aperta a nuca do namorado e sussurra implorando): Te quero agora não aguento mais Chris, me faça sua.
Chris (ele respondeu tão rouco quanto ela): Seu desejo é uma ordem, eu também te quero muito Bebê.

Christopher penetrou no corpo da ruiva arrancando um gemido rouco e longo dos dois, por ser uma data tão especial para eles Chris se movimentava lentamente com muito cuidado demonstrando no ato sexual todo amor e carinho que sentia por ela, porém logo seus corpos pediram com que os movimentos fossem mais rápidos combinados com beijos de tirar o fôlego e com arranhões nas costas proporcionados por Dulce e apertões na cintura proporcionados por Christopher, os atritos dos corpos foi se tornando cada vez mais fortes e mais rápidos, deixando-os loucos de tanta excitação, Chris para de beija - lá e chupa seu seio automaticamente Dul joga a cabeça pra trás deixando transparecer seu prazer com a carícia, ele para de chupa – lá e pedi pra que ela o olhe nos olhos, a ruiva a muito custo tenta manter seus olhos abertos e assim sussurram um último eu te amo, ele estocou mais rápido e fundo pela última vez, e em seguida atingiram o clímax adentrando em uma nuvem de prazer, antes só atingido pela ruiva, porém os dois permaneceram conectados sentindo o calor um do outro, as respirações ofegantes e a pele quente denotavam o quanto tinha sido prazeroso e gostoso a terceira vez que tinham feito amor desde a primeira noite deles, cada vez descobriam que cada ato de amor era único e que se completavam ao se amarem tanto quanto no dia a dia, quando estavam juntos namorando ou simplesmente fazendo coisas amenas. Christopher com um beijo calmo mais não menos carinhoso saiu do corpo da ruiva tirando um suspiro dos dois, ele ajeitou a sunga e ajeitou melhor a namorada em seu colo lhe beijando a testa, Dulce abriu os olhos encontrando o olhar apaixonado do namorado que lhe beijou carinhosamente.

Chris (o loiro acariciou o rosto da namorada): Te amo muito Bebê.
Dul (ela suspira): Também te amo muito (a ruiva beija ombro do namorado e deita a cabeça do mesmo). Preciso me vestir Chris.
Chris (ele passa a mão nas costas dela): Se quiser pode ficar assim, por mim não tem problema.
Dul (ela deu um tapa nele): Tarado. Anda me ajuda a pegar meu biquíni.
Chris (sorrindo): Tarada é você que me perguntou aquilo lá no carro viu mocinha (Dulce ficou com vergonha e se escondeu no pescoço dele que gargalhou). Agora fica com vergonha vai entender essa minha Bebê (ele aperta a bochecha dela). Tudo para saber aonde íamos até parece que eu ia dizer (o loiro ri e pega o biquíni dela). Toma Bebê.
Dul (sorrindo): Obrigada Chris.
Chris (ela tira uma mexa de cabelo dela do rosto): De nada Bebê.
http://img508.imageshack.us/my.php?image=piscinajl8.jpg

Christopher levou a namorada mais para o raso para que ela vestisse o biquíni, assim que Dulce terminou de ajeitar o mesmo, os dois voltaram para a parte mais funda da piscina e ficam por lá, conversaram e trocaram beijos e caricias ternas, a ruiva avisou que estava com fome e os dois saíram da piscina para comer, eles se secaram e desceram para cozinha. Os dois comeram uma lasanha preparada pela mulher do piloto, que o mesmo tinha trazido para a viagem. Christopher e Dulce almoçaram entre um beijo e outro, e com muitas risadas por parte de ambos, conversaram sobre coisas amenas e sobre o relacionamento deles. Assim que terminaram de comer lavaram a louça e ajeitaram tudo, depois seguiram para sala e ficaram por ali, Christopher sentado no sofá e Dulce entre as pernas do namorado recebendo caricias nos braços que estavam sob a perna dele, a ruiva encontrava - se sonolenta, mas não queria se entregar ao sono de jeito nenhum, pois durante o almoço ele lhe contou que iam mergulhar por volta das 16 horas, quando iam parar de navegar a alguns quilômetros da orla, ela estava com medo de perder o passeio e não queria pegar no sono, Chris explicou que não se preocupasse, pois ele ia acorda – lá assim que  chegasse ao destino do passeio. Dulce ficou sem saber o que fazer, mas acabou sendo vencida pelo sono, Christopher com todo cuidado levantou do sofá e pegou a namorada no colo a levando até a cama, o loiro deitou a mesma e a cobriu até a cintura, a ruiva suspirou se acomodando melhor abrindo os olhos encarando o namorado, Chris riu já sabendo o que ela queria.

Chris (sorrindo): Seu paninho? (Dulce assentiu). Vou buscar (Christopher pegou o lençol e colocou perto do rosto da ruiva como sabia que ela gostava). Descansa Bebê assim que chegarmos eu te chamo. Bons sonhos te amo.
Dul (sussurrando): Também te amo Chris. Deita comigo (ela faz manha para ele).
Chris (sorrindo): Deito manhosa, mas se eu dormir e perdermos o passeio a culpa não vai ser minha (ele deitou do lado dela).
Dul (preocupada): Não Chris levanta, não quero perder o mergulho (ela empurra o namorado para que saísse da cama).
Chris (rindo): Estava brincando Bebê (o loiro puxou a namorada para se acomodar no seu peito). Agora dorme, eu vou ficar aqui velando seu sono.          

Dulce logo adormeceu nos braços de Christopher embalada pelas caricias dele em suas costas, ele ainda conseguiu tirar um cochilo que o deixou renovado acordando vinte minutos antes do horário estipulado para mergulho, certamente eles ainda não deviam ter chegado ao lugar do mergulho.  Chris levantou devagar da cama com cuidado, foi ao banheiro e voltou para acordar sua Bebê que ressonava tranquila. A ruiva demorou um pouco acordar, fez um pouco de manha, mas quando ouviu a palavra mergulho, ela sentou na cama rapidamente causou graça ao namorado. Dul então levantou e foi no banheiro rapidamente. Minutos depois Christopher e Dulce foram até o capitão do Iate, que explicou aos dois como ia ser o mergulho. Ele contou que ia acompanhando os dois por medida de segurança, mas que não tinha problema nenhum o passeio, pois o mesmo era muito seguro, o casal assentiu e os três vestiram as roupas de mergulho e caíram no mar.          
http://img122.imageshack.us/my.php?image=localtc3.jpg
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Jul 29, 2017 8:21 pm

Alguns minutos depois Dulce, Christopher e Danilo (o capitão) mergulhavam no mar aberto de Cozumel, o instrutor de mergulho, mostrava a vida marinha a eles, os dois viram corais, concha, caranguejo, http://img521.imageshack.us/my.php?image=marix2.jpg , cardume de peixes http://img521.imageshack.us/my.php?image=mergulholp2.jpg e uma tartaruga http://img90.imageshack.us/my.php?image=tartarugasv3.jpg , Dul e Chris estavam simplesmente encantados, ela mais que ele, a ruiva ficou toda empolgada por poder pegar na tartaruga, Christopher estava mais do que feliz por ver a alegria dela. Após algum tempo submersos, os três tiveram que subir, pois o balão de oxigênio estava terminando, os três  submergiram, tiraram as máscaras de oxigênio e nadaram para perto do Iate.    

Danilo (sorrindo): E ai gostaram do mergulho? (o mergulhador subiu no Iate e ajudou os dois a subirem no Iate).
Chris (sorrindo): É muito bonito (o loiro entregou os equipamentos a Danilo).
Dul (sorrindo): É lindo eu amei (a ruiva também entrega os equipamentos).
Danilo (sorrindo): Fico feliz que tenham gostado. Bom vou voltar para cabine para seguirmos viagem. Até mais.
Dul (sorrindo): Até mais. Obrigada por mostrar tudo para gente.
Chris (sorrindo): Até mais. Obrigado cara.
Danilo (sorrindo): De nada. Qualquer coisa estou na cabine (o capitão saiu deixando os dois sozinhos).
Chris (sorrindo): Gostou mesmo Bebê?  (ele segura as mãos dela).
Dul (ela se jogando nos braços dele): Eu amei Chris é lindo, obrigada por fazer esse dia tão mágico (a ruiva enche o namorado de beijos).
Chris (sorrindo): Que bom que está gostando. Valeu a pena cada segundo que passei longe de você essa semana.
Dul (a ruiva ficou seria e ele o olhou estranhado): Me desculpa por ter te tratado mal esses dias principalmente ontem, mas senti sua falta (ela o olhou com os olhos cheios de lágrimas a ponto de chorar).  
Chris (serio: Ei está tudo bem não chore (o loiro lhe beija a testa e segue para dentro do Iate). Se fosse eu faria a mesma coisa (ele parou de andar e ficou em frente à Dul, os dois estavam na sala de estar). Te amo muito Bebê (Chris beija carinhosamente a namorada que corresponde aos beijos, ele finaliza o mesmo com quatro selinhos e beija a testa dela).
Dul (ela beija o tórax dele): Também te amo muito Chris.  
Chris (sorrindo): O que vamos fazer agora? (ele abraça à namorada com carinho).
Dul (ela sorri): Tomar banho de piscina.
Chris (sorrindo): De novo? (ele faz cócegas nela).
Dul (sorrindo): É de novo, por favor, Chris (a ruiva suspira tentando fazer ele parar de fazer cócegas nela) para (rindo), para, (rindo), para Chris (ela gargalha devido as cocegas que sentia).    
Chris (sorrindo): Só paro com uma condição.
Dul (sorrindo): Que condição?
Chris (sorrindo): Depois que sairmos da piscina, você vai entrar no quarto e só vai sair de lá quando eu for te buscar (Dul já ia perguntar algo quando ele falou). E sem perguntas curiosas a respeito e então? (o loiro ergue a sobrancelha).
Dul (ela suspira contrariada): Ok fazer o que. Vem vamos tomar banho de piscina (a ruiva puxa ele para ir à piscina).  

Atendendo ao pedido de Dulce, Christopher e ela ficaram na piscina até às seis da noite, eles ainda ficaram por ali observando o céu deitados na espreguiçadeira, Chris deitado e Dul entre as pernas dele, a ruiva estremeceu de frio e o loiro decidiu que era hora de entrar mesmo sob protestos da namorada, que dizia que estava gostoso ali e não queria levantar mais Chris com jeitinho convenceu sua Bebê e os dois entraram nas dependências do Iate, os dois desceram até o quarto e como prometido a ruiva entrou no mesmo sem perguntas e foi tomar banho enquanto o loiro organizava o jantar deles. Vinte minutos depois era Christopher que tomava banho e Dulce se arrumava para comerem, a ruiva vestiu uma calça jeans e uma blusa de alcinha, ela ainda pegou o presente que ia dar para ele e guardou na calça. Chris logo terminou o banho vestindo um short e uma blusa azul clara assim que ele saiu do banheiro, o mesmo encontrou a namorada já pronta e seguiram para o jantar na sala de estar, no andar.

Na sala de Estar

Christopher pegou as mãos da namorada e a levou para fora do quarto, eles desceram as escadas e se dirigiram a sala de estar. Quando Dulce adentrou o local, ela encontrou a mesa posta com pratos, talheres e copos nada muito sofisticado, mas tudo de muito bom gosto, o ambiente estava na penumbra sendo iluminado pela lua através da brecha da janela e duas velas que estavam sob a mesa entre os dois.
http://img444.imageshack.us/my.php?image=jantaren8.jpg .    

Dul (emocionada): Que lindo Chris amei.
Chris (feliz por ela ter gostado): Que bom que gostou Bebê espero que goste também do jantar. Queira sentar, por favor, linda dama (ele afasta a cadeira para ela sentar, a ruiva sorriu e sentou).
Dul (sorrindo): Obrigada cavalheiro (a ruiva vê o namorado sentar e servir as taças de vinho para ela e para ele).        
Chris (sorrindo): Meu pai disse que esse vinho era o melhor espero que goste (Christopher vê a namorada provar o vinho).
Dul (sorrindo): É uma delicia meu sogrinho sabe escolher um bom vinho. Me lembra depois de agradece-lo. E para comer o que temos?
Chris (sorrindo também): Lembro sim pode deixar. Para comer temos rotoloni de queijo e presunto (o loiro mostra a travessa para ela). Servida?
Dul (sorrindo): Lógico que sim Chris. Estou com fome e além do mais isso está de dar água na boca.    

Christopher serviu à namorada e depois colocou para ele mesmo, os dois começaram a comer entre muitos sorrisos, beijos roubados, conversas ao pé do ouvido. Após terminarem de comer o rotonoli, Chris serviu os dois de uma deliciosa torta chamada charlote que ele sabia que sua namorada amava. Assim que terminaram o jantar Chris falou que precisava ir ao banheiro e pediu que ela ficasse ali, a ruiva assentiu e ele saiu rumo ao quarto. O loiro na verdade saiu para arrumar o quarto para a noite de amor dos dois e pegar também o presente dela, ele ajeitou a cama e salpicou com rosas por toda ela deixando um clima romântico no local http://img90.imageshack.us/my.php?image=camazz4.jpg , depois pegou o presente e voltou para sala de jantar. Dulce tinha intenção de ficar esperando namorado voltar sentada enquanto ele ia ao “banheiro”, mas acabou por levantar e apreciar o céu da janela do Iate, a ruiva estava perdida em pensamentos lembrando e apreciando cada momento que tinha passado até agora com ele, ela suspirou relembrando quando fizeram amor dentro da piscina, mas Dul voltou a si assim que sentiu o namorado justo atrás de si, Chris suspirou e começou a falar com a voz rouca ao pé do ouvido da ruiva que estremeceu ao escutar - ló falar atenta a cada palavra dita por ele.

Chris (ele suspira): Quando eu te vi pela primeira vez nos estúdios da televisa (Dulce virou para o namorado e ele lhe estendeu a mão para que ficassem frente a frente), eu ainda não sabia que te amava, mas meu coração me disse que ali, eu tinha acabado de conhecer uma pessoa muito importante para minha vida. O tempo passou e nos sofremos por amor, mas eu sempre soube que Deus estava me reservando à pessoa certa, na ocasião certa (Dul escutava tudo presa ao olhar dele que brilhava). Foi então que me dei conta que essa pessoa encontrava - se o tempo todo ao meu lado, birrenta, linda, manhosa, carinhosa, em fim muito especial (a ruiva já chorava emocionada e ele se segurava para não chorar também). Foi então que fui pedido em namoro depois que você tocou Quiero Poder lindamente e eu achei ali que não podia ser mais feliz, o tempo passou e tivemos a nossa primeira noite de amor, nessa mesma praia que estamos hoje (Chris leva ela para o outro lado do Iate). Estamos exatamente em frente a ela (ele mostra a ruiva à luz da orla marítima ao longe).
Dul (ela vira para ele): Chris assim não aguento, te amo tanto (a ruiva abraça ele forte e o beija carinhosamente, Christopher correspondeu ao beijo, mas não quis prolongar porque ainda precisava falar mais algumas palavras).
Chris (o loiro ajeita o cabelo dela que caia sob os olhos): Fui o homem mais feliz do mundo, quando tive você em meus braços aquela noite em que nos amamos nessa mesma praia até ao amanhecer (Dulce continuava a chorar encantada pela declaração de amor dele). Há uma semana atrás, me senti o homem mais bobo da terra, quando escutei a declaração mais linda que já tinha escutado na minha vida juntamente com sua voz e a música que define exatamente o que somos um para o outro (ele enxugou algumas lagrimas dela, sorriu e em seguida continuou falando). Eu pensei que não podia fazer feio no nosso primeiro mês de namoro então aluguei esse Iate, e fiz minha Bebê pensar que nem ligava para ela. Quando conversei com Danilo e ele me falou que podia nos levar para mergulhar, eu não pensei duas vezes em te levar para dar uma volta no mar (Dul gargalhou e ele sorriu). Fico feliz que tenha gostado do jantar.
Dul (ela sorri emocionada): Amei cada segundo que passamos juntos Chris, você é perfeito e eu te amo a cada dia, mais e mais.
Chris (sorrindo): Eu também te amo muito Bebê e quero formalizar nossa união te dando esse anel de compromisso (o loiro pegou o anel e deslizou pelo dedo dela). Quero que saiba que te amo e te quero para sempre em minha vida (ele entrega o anel dele para que ela colocasse no dedo dele). http://img90.imageshack.us/my.php?image=alianasyl6.jpg  
Dul (a ruiva não sabia se ria ou se continuava a chorar emocionada pela declaração de amor que seu Chris estava fazendo, ela olhou nos olhos dele e começou a deslizar o anel pelo dedo dele): Amei o anel é lindo e fico feliz que estejamos oficializando o nosso namoro, afinal você é muito lindo e gostoso para ficar por ai sem anel de compromisso. Agora é minha vez de dar meu presente (Dulce tira o presente do bolso da calça e entrega para ele). Eu te amo também e te quero na minha vida para sempre até ficarmos bem velhinhos espero que goste (ele abre o presente e encontra uma medalha da Virgem de Guardalupe, um cordão e uma pulseira, ambos de prata). http://img392.imageshack.us/my.php?image=presentesd8.jpg . A Virgem é para te proteger e te guiar para que sempre seja essa pessoal linda que você é, o cordão é para poder colocar a medalha da virgem e a pulseira porque achei que ficaria lindo no meu Chris (ela ajudou a colocar o cordão com a medalha e a pulseira nele).
Chris (sorrindo): Obrigado meu amor, eu amei meus presentes são lindos como a minha Bebê. Te amo muito e a cada dia te mais.
Dul (sorrindo): De nada amor você merece muito mais que isso, eu também te amo muito e a cada dia mais e mais.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Jul 29, 2017 8:22 pm

Os dois iniciaram um beijo carinhoso demostrando todo o amor que sentiam um pelo outro, o beijo foi esquentando, as mãos viajando pelo corpo um do outro incessantemente, a respiração foi ficando ofegante e o desejo de se amarem foi aumentando mais e mais. Dulce necessitava de um contato maior com aquele tórax que tanto amava e começou a subir a blusa pelo corpo do namorado sem deixar de beijá-lo. O beijo foi interrompido para poderem retirar a blusa do corpo dele, os dois suspiraram tentando buscar ar que faltava a ambos, a ruiva jogou a camisa de Christopher no chão e buscou os lábios dele iniciando um novo beijo junto com caricias no peito dele que o fizeram estremecer e aprofundar mais ainda o toque dos lábios de ambos, ele apertou mais forte a cintura da amada puxando mais junto a si. Chris subiu as mãos de onde estavam para a blusa da ruiva a tirando do corpo da amada obrigando aos dois apartarem os lábios mais uma vez, eles olharam um para o outro ofegante e sussurraram um eu te amo cheio de amor e desejo. Assim que Christopher retirou a blusa e a jogou no chão, eles iniciaram mais um beijo de tirar o fôlego, Chris puxou Dul para perto dele novamente a fazendo ofegar, ele tirou ela do chão e fez com que a mesma envolvesse suas pernas em sua cintura, o loiro finalizou o beijo desgrudando os lábios dos dois e começou a andar com ela pelo Iate subindo para o andar de cima, onde encontrava - se o quarto em que eles estavam. À ruiva beija o namorado no ombro e lhe faz carinho na nuca o levando a loucura. Quando finalmente chegaram a frente à porta do quarto Christopher lhe sussurrou sex e rouco ao pé ouvido dela a fazendo estremecer nos braços dele.

Chris (sorrindo): Espero que goste (o loiro abriu a porta do quarto e Dul se deparou com a cama cheia de pétalas de rosa).
Dul (sorrindo): Que lindo Chris mais uma vez está tudo perfeito como você. Te amo e te quero, eu não aguento mais ficar sem seu corpo longe do meu e sem o seu calor aquecendo meu corpo.  
Chris (sorrindo): Também te amo Bebê e te quero.

Christopher deitou Dulce carinhosamente na cama e a olha nos olhos retirando seu short, ele fica apenas de cueca mostrando sua excitação que era visível naquele momento fazendo a ruiva estremecer gemendo já prevendo o quão excitante e prazeroso seria a noite de amor que teriam a pouco, Chris subiu na cama engatinhando e beijando a barriga dela e com pequenos selinhos retirou a calça da mesma deixando ela apenas de sutiã e calcinha, ele jogou a calça do lado da cama e subiu na cama beijando cada pedaço do corpo dela até chegar aos lábios iniciando um beijo carinhoso que demonstrava todo amor que um sentia pelo outro, o loiro foi deitando de lado junto ao corpo dela que acariciava sua nuca, ele percorria todo corpo da amada da cintura até os cabelos ruivos. Christopher despregou seus lábios dos lábios da ruiva e desceu dando beijos no queixo, no pescoço e no vale dos seios a fazendo suspirar, ele abriu o sutiã dela que possuía o fecho na parte da frente, os deixando livres para que pudesse acariciar e beijar até que se sentisse saciado, ou que Dulce lhe pedisse que parasse. Dul ajudou ao namorado a tirar seu sutiã e logo se viu tomada pelo prazer devido à excitação que sentia com o toque dele em um de seus seios, enquanto o outro recebia beijos, chupões e beliscões a fazendo suspirar e soltar gemidos baixos, depois Chris inverteu as caricias nos seios levando a namorada a gemer mais alto, a ruiva apertava e acariciava o bumbum do namorado pressionando suas intimidades tentando aliviar o tesão que consumia seu corpo causando um gemido abafado do namorado. Christopher levantou os olhos e viu a ruiva com os lábios abertos tentando buscar ar para seus pulmões, o mesmo sorriu e baixou o rosto novamente, beijou entre o vale dos seios da namorada e foi subindo os beijos até os lábios dela iniciando um beijo que era puro desejo e ansiedade para que se sentissem um só enquanto isso as mãos dele desceram até a cintura dela tocando na calcinha da mesma. Christopher retirou a última peça do corpo de Dulce e em seguida voltou a deitar sob ela, que lhe retirou a cueca fazendo suas intimidades se tocarem e arrancando um gemido dos dois. Chris pegou uma camisinha para se protegerem, Dul ao ver o pacotinho marrom na mão dele pediu que a deixa-se por, a ruiva ao ver que era de essência de chocolate arqueou a sobrancelha e o olhou surpresa.

Dul (sorrindo): Hum não sabia que tinha de chocolate. Você sabe né Chris que chocolate é meu grande vício assim como você?
Chris (ele a beijando lhe diz): Juro que não foi proposital somente a comprei, mas que bom que gostou.
Dul (sorrindo): Sim adorei.

Dulce se senta em cima das coxas musculosas dele e o olha nos olhos e começa a desenrolar o preservativo em seu membro pulsante, a sensualidade com que ela fez isso foi tamanha que Christopher não conseguiu segurar um alto gemido mostrando o quanto a desejava, ele a puxa sobre seu peito e trocam um ardente beijo, onde suas línguas bailavam dentro de suas bocas famintos um pelo outro enquanto suas mãos exploravam o corpo alheio, apesar de só terem ficado 3 vezes juntos já conheciam os pontos erógenos um do outro, Dulce apesar de ser tímida queria proporcionar ao namorado o mesmo prazer que ele sempre lhe dava, por isso queria fazer algo novo nesta noite.  Cada vez se beijavam com mais paixão, castigando seus lábios e deixando suas respirações mais escassas, os corpos já estavam marcados pelas mãos deles, Dulce para de beija - ló para tomar fôlego e começa a descer seus lábios no pescoço do namorado sentindo o sabor de sua pele deixando um rastro de beijos molhado, a ruiva foi descendo suas caricias no corpo dele até lhe beijar o mamilo arrancando um gemido rouco do namorado que se deliciava com os carinhos dela, ela não sabia que essa simples caricia era tão apreciada por ele e ao ver como tinha gostado continuou beijando até descer ao seu abdômen, quando ia beija - ló novamente foi surpreendida por ele que a fez rolar na cama o deixando novamente sob a namorada, Christopher a beijou lhe tirando o fôlego, ele repetiu o mesmo processo que a namorada desceu os lábios pelo seu pescoço com um leve chupão, desceu mais um pouco, deu um beijo no seio esquerdo de Dulce, mordiscou, lambeu e chupou, a ruiva só gemia e lhe acariciava os cabelos, assim que ficou satisfeito em vê lá enlouquecida, o loiro lhe dedicou caricias no outro seio a deixando cada vez mais excitada. Christopher sentia o corpo da amada tremer de desejo sobe seu corpo, Dulce não aguentando essa deliciosa tortura começou a inclinar seu corpo fazendo com que ele senta-se na cama e assim o olhando firme e decidida, ela deixou sua intimidade acolher o pênis de Chris fazendo os dois gemerem alto de tanto prazer, ele a olhou surpreso e ela lhe sorriu e o beijou carinhosamente, em seguida Dul começou a se movimentar sobe o namorado induzindo ao mesmo a lhe acompanhar, os movimentos foram se tornando, mais e mais intensos arrancando gemidos de ambos, Chris apertava o quadril da ruiva enlouquecido pelo prazer que a mesma estava lhe proporcionando, ele subiu suas mãos aos seios dela apalpando e beliscando os bicos dos mesmos deixando a ruiva fora de si, ela enlouquecida pelo prazer que sentia acelerou seus movimentos, Chris sentiu que ela estava cansando e começou a ajuda - lá nos movimentos mais ativamente, pois ela não estava acostumada a comandar o ato, o loiro segurava na cintura dela levantando a mesma em seu membro cada vez mais rápido e freneticamente, eles então sentiram que chegavam ao orgasmo e sussurraram um último eu te amo. O corpo de Dulce começou a sofrer fortes espasmos demonstrando que o clímax para ela havia chegado, Christopher ainda não tinha alcançado o seu e com mais algumas investidas enfim alcançou o seu máximo prazer gritando o nome da namorada sentindo seu corpo vibrar junto ao dela, eles suados e cansados trocaram um beijo calmo, Chris deitou a ruiva na cama lhe beijou a testa e foi ao banheiro retirar o preservativo enquanto ela se acalmava. Logo ele voltou ao quarto e a abraçou carinhosamente, Dul aninhou - se ao peito dele ouvindo as batidas aceleradas do seu coração demonstrando que ainda estava ofegante pela paixão que o acometeu.

Chris (sorrindo): Nossa Bebê, o que foi isso? (Dulce o olhou estranhada). Se superou quase me enfarta (a ruiva entendeu o que ele estava falando e ficou com vergonha se escondendo no peito dele).
Dul (ela fala sem olhar para ele): Ah Chris só tive vontade de te agradar.
Chris (ele segura o rosto dela obrigando a mesma a olhá-lo nos olhos enquanto falava): Agradou e muito (o loiro ri e beija a pálpebra dela que fechou o olho sentindo carinho dele, ele em seguida beijou o outro olho, Dul suspirou deitando no peito dele bocejando).  

Christopher e Dulce ficaram uns minutos em silêncio só sentindo o calor do corpo do outro, mas logo Chris quebrou o clima comentando algo que tinha acabado de lembrar e que não podia deixar passar de jeito nenhum.

Chris (ele faz carinho nas costas dela): Sabe aquela pergunta que me fez no carro? Em que parte do meu corpo eu perco a cabeça quando alguém me toca? No caso tocava porque agora só quem pode é a minha Bebê (Dulce assentiu e concordou com o que ele disse). Você colocando a camisinha é a resposta (Dul sorriu escondendo ainda mais a cabeça no peito dele o fazendo gargalhar). Que fofa com vergonha (ele cheira o pescoço dela).
Dul (ela faz carinho no peito dele e o olha sonolenta): Fico feliz que tenha gostado, eu só queria te dar pelo menos metade do prazer que me faz sentir toda vez que fazemos amor.  
Chris (ele beija a testa dela enquanto pegava o paninho dela): Pois atingiu seu objetivo porque foi muito prazeroso, alias fazer amor com quem se ama é sempre muito prazeroso (o loiro beija a testa dela novamente e lhe entrega o paninho, ela sorriu e se aconchegou melhor descansando o rosto no paninho e no peito dele). Agora vamos descansar para termos o segundo round (ele gargalhou e ela riu dando um tapa no peito dele, mas nem lhe respondeu pois estava com preguiça de falar). Não está afim não é? (a ruiva assentiu que não e ele riu sabendo que ela estava brincando) Boa noite Bebê (ele lhe da um selinho).

Dulce suspirou e sussurrou um boa noite muito manhoso e em seguida adormeceu nos braços do namorado, que logo adormeceu também abraçado a namorada. Eles cochilaram um pouco, cerca de meia hora assim que acordaram se amaram durante quase toda a madrugada entre sussurros ao pé do ouvido e caricias que acenderam ainda mais clima quente dentro do quarto, todavia com a mesma intensidade, com o mesmo desejo, os dois sempre finalizavam o ato com declarações de amor de ambas as partes. Dulce e Christopher foram dormir somente as 4 e meia da manhã quando seus corpos se renderam ao cansaço.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Jul 29, 2017 8:25 pm

22 de janeiro – 9 horas da manhã

Christopher acordou sentindo um peso no seu corpo precisamente no seu ombro esquerdo, onde a ruiva estava com a cabeça encostada, a mão esquerda sobe o peito dele e a perna também esquerda entre as dele. Chris soltou um suspiro relembrando o dia perfeito que tiveram ontem, culminando com uma noite igualmente perfeita, onde se curtiram até que seus corpos não aguentaram de cansaço tanto pelo dia cansativo que tiveram quanto pelas inúmeras vezes que fizeram amor. O loiro saiu de mansinho a deixando na cama com o seu famoso paninho, ele cobriu a namorada até um pouco depois da cintura e foi ao banheiro refrescar o corpo. Christopher voltou ao quarto já de sunga, observou a namorada ressonar tranquila e se retirou do quarto para preparar o café da manhã dos dois. Chris preparou um café da manhã com pedaços de bolo, achocolatado, queijo, presunto, e uns pãezinhos, ele ajeitou tudo na mesa, pegou duas xícaras e também pôs ali, depois de tudo pronto retornou ao quarto se deparando com a namorada totalmente espalhada na cama, de bruços, com uma mão no rosto perto do paninho e outra largada sobe o lençol, a colcha já não cobria muita coisa somente um pouco abaixo do quadril e suas pernas, Dulce continuava a ressonar calmamente não dando indícios de que iria acordar tão cedo.  Christopher se sentou na cama virado para ela e começou a acariciar suas costas nuas, o loiro lhe beijou a mão que estava perto do rosto, Dul ainda dormindo mexeu a mão trazendo mais para perto dela, ele sorriu e esfregou o nariz na bochecha dela, a ruiva suspirou e passou a mão achando que era algum bicho em cima dela, Chris riu um pouco alto, a ruiva finalmente abriu os olhos, o olhou e logo em seguida fechou novamente, Dulce gemeu manhosa e virou o rosto para o outro lado levando o paninho com ela, a ruiva cobriu os olhos e suspirou se entregando ao sono de novo. Christopher riu e se deitou na cama de lado, ele apoiou o cotovelo no colchão e se pôs a beijar as costas dela subindo até o ouvido da mesma e sussurrou um acorda Bebê preguiçosa. Dulce se encolheu, suspirou e virou o rosto para o lado dele acomodando no paninho de novo, ela abriu os olhos novamente e o olhou, Chris já estava deitado com o rosto virado para ela.                

Dul (ela suspira manhosa): Chris me deixa dormir só mais um pouquinho.  
Chris (ele sorriu e ela devolveu o sorriso): Não, mais tarde você dorme (o loiro puxou a namorada para deitar no peito dele). Bom dia Bebê (Chris lhe afaga as costas beijando seus cabelos).
Dul: Bom dia Chris (a ruiva beija o peito dele). Não faz assim vou acabar dormindo de novo, ai vai reclamar comigo (ele sorriu e a abraçou carinhosamente). Que horas são?
Chris (ele afaga o rosto dela): Quase dez horas da manhã. Vamos levantar? Fiz um café da manhã gostoso para gente, depois podemos curti mais um pouco a piscina antes de irmos embora. Topas?
Dul (sorrindo): Topo sim, (ela brinca com o cordão dele) mas com uma condição.
Chris (sorrindo): Que condição?
Dul (sorrindo): Que me leve para tomar banho de mar, depois que sairmos daqui.
Chris (sorrindo): Combinado. Agora vamos? (o loiro levantou e deu a mão a ela, a ruiva se enrolou no lençol e os dois saíram abraçados do quarto).    
Os dois tomaram café da manhã entre beijos, carinhos e sorrisos, eles lavaram as louças sujas juntos entre beijos roubados e sorrisos de pura felicidade. Após arrumarem toda cozinha, os dois subiram para o quarto, Dulce foi se arrumar, Christopher ajeitou a cama e as coisas dele que estavam fora da mochila, à ruiva logo saiu do banheiro já arrumada vestindo seu biquíni e de cabelo amarrado, ela também arrumou sua mochila e os dois saíram já com elas à tira colo. Chris e Dul ficaram na piscina até ao meio dia, agradeceram a Danilo pelos momentos proporcionados pelo passeio que tiveram, eles então se despediram e saíram do Iate, que já estava atracado na marina.

Após saírem do Iate Christopher e Dulce caminharam até a praia para darem um mergulho, por o trajeto ser curto logo eles chegaram ao mar e o loiro levou a namorada para mergulhar, os dois ainda ficaram na praia tomando sol e curtindo a vista por um tempo, mas logo resolveram ir embora, pois o sol estava muito forte. Chris e Dulce foram caminhando para casa dos pais Ivalu, onde se encontrava o carro de Christopher. Durante o trajeto paravam um pouco para descansar a pedido da ruiva, eles aproveitavam e trocavam beijos carinhosos, alguns fãs os reconheceram e pediram para tirar fotos e foram atendidos prontamente pelo casal. Quando já chegavam perto da casa dos pais Ivi os dois viram um restaurante de massas, que exalava um cheiro muito gostoso e atrativo, Christopher e Dulce se olharam e sorrindo assentiram sabendo o que o outro queria dizer só com o olhar, eles entraram no restaurante, olharam, o cardápio e decidiram por uma Lasanha Bolonhesa, o casal pediu ao garçom que fossem deixar em casa junto com duas cocas - cola de lata, o mesmo assentiu e disse que em no máximo vinte e cinco minutos o pedido seria entregue, os dois agradeceram e Dul pagou pela refeição deixando Chris um pouco contrariado, mas nada que um beijo carinhoso não resolvesse, eles se despediram do garçom e seguiram para casa. Chegando lá, os dois tiraram o sal do corpo no chuveiro perto da piscina, se secaram e entraram em casa para tomarem banho.

Quinze minutos depois Christopher e Dulce conversavam no sofá enquanto esperavam a comida chegar, a ruiva fazia carinho no namorado que estava com a cabeça deitada no colo dela, os dois já estavam de banho tomado, Chris vestia uma bermuda e Dul um short e uma blusa de alcinha.  

Chris (sorrindo): Já coloquei as nossas mochilas no carro, depois do almoço já podemos ir embora se quiser rumo a Cidade do México.  
Dul (sorrindo): Obrigada Chris.        
Chris (sorrindo): Por levar as mochilas no carro? (ele olha sorrindo para ela). Não por isso Bebê.  
Dul (sorrindo): Não é isso. Obrigada é pelo final de semana especial que tivemos (ela acariciando o rosto dele), amei tudo, cada momento que tivemos juntos (a ruiva lhe deu um beijo carinhoso). Eu te amo muito Chris.
Chris (sorrindo): Também te amo muito Bebê (ele a beijou carinhosamente). Sabe o que reparei enquanto tomava banho?
Dul (sorrindo): Não. Me diz no que reparou?      
Chris (sorrindo): Que podemos escrever algo no colar e na pulseira, como fiz com nossos anéis. Me ajuda a pensar em algo?
Dul (sorrindo): Lógico que sim, você sempre que olhar o presente vai se lembrar de mim. Amei a ideia. Vamos pensar então (Christopher assentiu).

Os pensamentos dos dois foram interrompidos pela companhia, era o entregador trazendo o almoço deles e o refrigerante, Christopher foi até a porta receber a comida enquanto Dulce foi até a cozinha e pegou dois copos, dois talheres, dois pratos e mais dois guardanapos, ela colocou tudo na mesa e esperou pelo namorado. Menos de cinco minutos depois ele apareceu na cozinha, os dois comeram animadamente conversando e rindo tentando achar uma frase legal para por nos objetos, mas nada agradou ao casal. Assim que terminaram de comer, o loiro lavou a louça suja e a ruiva secou e aguardou tudo no armário enquanto arrumavam tudo Christopher bocejou algumas vezes e perguntou a namorada se tinha problema ele dormir um pouco antes de irem, afinal tinha dormido só cinco horas essa noite, Dulce logicamente disse que não tinha problema algum, que ela também estava com sono, o loiro assentiu e os dois foram deitar no mesmo quarto que ficaram nas férias, ele ainda antes de deitarem colocou o celular para despertar às 15h30 da tarde. Quando já estavam acomodados para dormir e Chris já quase adormecido, Dul resmungou chorosa fazendo o mesmo acordar.        

Dul (resmungando chorosa): Chris meu paninho.
Chris (com sono): Quer que eu vá pegar é isso?
Dul (sonolenta): Quero pega, por favor, Chris. Se eu não tivesse sem roupa em cima eu ia (a ruiva estava somente de short, ela tinha tirado a blusa e o sutiã).
Chris (ele suspira): Tudo bem vou buscar já volto (Dul assentiu e ele saiu para buscar).

Christopher logo voltou com o paninho da namorada dando graças a Deus que ela não tivesse ido sem roupa para pegar o lençol dela, já que tinha três rapazes na varanda ao lado conversando e bebendo cerveja. Chris entrou no quarto e ela estava na cama lutando contra o sono esperando por ele, o loiro sorriu para ela e deitou a puxando para se deitar no peito dele, ele lhe beijou a cabeça e ajeitou o lençol no rosto dela, o jeito de dormirem juntos quando Dul não vestia pijama era sempre assim sentindo o calor do corpo um do outro, sempre com a presença do lençol de estimação dela. Os dois logo adormeceram cansados por não terem dormido nem às 8 horas necessárias de sono para uma pessoa adulta, sendo que o ideal é de 10 a 12 horas, pois tiveram que acordar cedo para poderem curtir os últimos momentos no Iate. Dulce ressonava tranquila nos braços do namorado, sonhava com o dia da declaração de amor que ela fez para ele, precisamente a música Completo de Ivete Sangalo. Relembrava um trecho da música (Imagino milhões de sorrisos, Cada um com seu jeito de ser, Mas ligados ao mesmo destino, Um amor feito eu e você...), quando escutou um som bem longe de celular tocando sentiu Christopher se movendo sob ela, ele se esticando para pegar o celular que tocava, ela suspirou e se aninhou nele muito manhosa, o loiro sorriu e atendeu ao telefone.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Jul 29, 2017 8:31 pm

Chris (atende ao telefone com voz de sono): Alô.
Ale (sorrindo): Oi filho é mamãe. Desculpe meu amor acho que te acordei.
Chris (sorrindo): Oi mãe (ele acaricia as costas da namorada). Não tem problema temos que acordar mesmo, nos precisamos voltar para casa. Combinei de sair ás 15h30 com a Dul (Alexandra escutou o filho chamar a namorada que sussurrou um não quero Chris e sorriu encantada com os dois).
Ale (rindo): Filho sair ás 15h30 só se vierem amanhã, pois já são 16 horas estão meia hora atrasados.
Chris (rindo): Dormimos demais então (Christopher chamou pela namorada de novo que olhou para ele e deitou de novo a cabeça no peito dele). Estamos atrasados Bebê, vamos senão fica tarde, se quiser você vai dormindo no carro vai se vestir vai (Dulce levantou emburrada pegando a blusa e o sutiã e entrando no banheiro, ele sorriu e voltou falando com a mãe). Oi Mãe desculpa tenho cuidar aqui porque se dormir de novo é mais difícil, a manha é maior.  
Ale (rindo): Oi filho tudo bem sem problemas. Me lembre de bater sempre na porta do quarto quando tiverem juntos porque pelo visto dormem pelados.
Chris (envergonhado): Mãe não dormimos sempre pelados não para sua informação, eu estou de bermuda e Dul de short. Só que Dul não gosta de dormir com sutiã e quando não tem pijama dorme sem nada em cima e você sabe que eu não durmo de camisa então. Mais não custa bater na porta.
Ale (rindo do filho que estava sem jeito): Entendi meu amor não precisa me dar explicações são coisas de namorados, cada tem suas manias e seus jeitos e eu simplesmente sou encantada pelo amor de vocês dois, e sou louca pela minha nora. Bom vou desligar venham com Deus e venha direto aqui para casa estamos todos aqui.
Chris (ele vê Dul voltando do banheiro coçando os olhos): Todos quem mãe? (Dulce sentou no colo dele que já estava sentado na cama).
Ale (sorrindo): Seus sogros, eu e seu pai. Seus irmãos estavam aqui até ainda pouco mais já foram pediram para lhe dar um abraço e suas cunhadas um beijo, eles disseram que depois falavam com você e a irmã da Dul e o noivo não vem porque vão para casa dos pais dele.              
Chris (Christopher faz carinho nas costas da namorada que estava deitada com a cabeça no ombro dele já com o pano a tira colo, ele nem se ligou e ela já quase dormia novamente): Está combinado então vamos direto para sua casa então. Beijos até mais.
Ale (sorrindo): Até filho beijos.

Mãe e filho desligaram o telefone, e Christopher se deu conta que Dulce praticamente já dormia de novo, ele suspirou sorrindo, pegou seu celular e carteira, colocou no bolso da bermuda e levantou com ela no colo. Chris olhou em volta e o quarto estava arrumado, o loiro fechou a porta como deu e saiu para sala. Dul suspirou relembrando do sono e falou com o namorado sonolenta, mas não menos empolgada por ter achado as tão esperadas frases. Christopher sentou no sofá para escuta – lá, a ruiva contou a ele que sonhou com o dia que se declarou para ele e tocou a musica da Ivete Sangalo e então falou para o loiro a ideia dela.    

Dul (sorrindo): Que tal Amor feito eu e você no colar, e na pulseira Bebê e Chris?
Chris (sorrindo): Perfeito Bebê não poderia ter tido ideia melhor (ele a beijando carinhosamente). Amanha mesmo vou providenciar as frases nos nossos presentes. Cadê seu celular, sua carteira está tudo na mochila? (Dul assentiu). Deixa eu pegar minha blusa então e vamos embora porque senão fica tarde (Chris vestiu a blusa que estava do lado dele estendida no sofá e os dois saíram de casa, com ele carregando ela no colo com o lençol dela entre eles).  

Christopher e Dulce se acomodaram no carro e seguiram rumo a Cidade do México, Dul ainda dormiu mais um pouco, questão de meia hora, a  ruiva acordou e ficou um tempo admirando o namorado, ela soltou um suspiro e acabou por ser notada, ele olhou rapidamente para ela e sorriu.

Chris (ele acaricia a pena dela): O que foi?
Dul (ela pega a mochila e guarda o lençol dela): Nada só estava te olhando. Quem era no telefone?

Christopher contou a Dulce quem era no telefone, o que ele e a mãe tinham conversado, a ruiva ficou com vergonha, ele gargalhou e disse estamos quites, já que Blanca o deixou envergonhado a não muito tempo atrás e com ele tinha sido muito pior, Dul assentiu e os dois riram relembrando o dia. O tempo foi passando, e o casal passou o resto da viagem conversando sobre o que lhes vinha na cabeça, e às vezes brincando um com outro, algumas horas depois os dois estacionavam na garagem da casa dos pais de Christopher, os dois fecharam o carro e entraram em casa já que Chris tinha a chave.

Quando Alexandra, Blanca viram os seus bebês foi aquela festa, elas encheram os dois de mil e umas perguntas, seus respectivos esposos só riam da cena, esperando elas se acalmarem para poderem conversar com seus filhos. Uma hora depois Fernando e Luís conseguiram finalmente falar com Dulce e Christopher, isso porque as duas tinham saído da sala para esquentar o lanche deles. O casal apaixonado era só sorrisos, eles irradiavam felicidade contaram sobre o final de semana perfeito, lógico que omitiram as horas que passaram se amando, Dul e Chris mostraram os presentes que deram um ao outro, as mães de ambos só suspiravam encantadas com o amor dos dois, Christopher gargalhou e Dulce olhou pasma para as duas, quando ambas disseram que precisavam se juntas aos Vondys, que sempre acreditaram no amor dos dois assim como as traumadas. A noite foi muito animada, lancharam pizza e seguiram conversando mais um pouco, por volta das 11 horas da noite, Blanca e Fernando se despediram de todos e foram embora, mas antes perguntaram a filha se iam com eles, Dul respondeu que não, pois ia finalmente para casa dela, os dois assentiram e se despediram da filha caçula, Alexandra levou os dois até a porta, se despediu de Fernando que já esperava no carro e viu como Blanca tinha ficado triste por sua Bebê está indo embora de casa, a mãe de Christopher tentou dar uma força para amiga.        

Ale (a senhora abraça a amiga): Oh Blanca não fica assim amiga. Olha eles saem de casa, mas não deixam de querer o colo de mãe e as nossas comidinhas ainda mais a Dul que é tão apegada a vocês dois, a caçula da casa.
Blanca (ela suspira): Não tenho certeza disso Ale, minha Bebê está diferente depois que descobriu tudo, Dul continua carinhosa, mas sinto que não é a mesma de antes e tenho medo de que ela saindo de casa, nos distanciemos mais ainda.  
Ale (ela suspira): Entendo sua preocupação mais tenha fé vai dar tudo certo.

As duas se despediram e Alexandra voltou para a sala, Dulce e Christopher ainda ficaram conversando mais um pouco, mas logo foram embora também. Chris foi direto para o apartamento da ruiva, quando já estavam prestes a se despedirem pela última vez com mais um beijo carinhoso, Dul suspira e ainda meio indecisa falou.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Jul 29, 2017 8:36 pm

Dul (ela suspira): Me leva para casa dos meus pais Chris, não quero ficar aqui.
Chris (ele fala carinhosamente): Tem certeza? Seus pais vão ficar muito felizes com essa decisão, mas se é só para passar uma noite e dizer que vai embora de novo, é melhor você não voltar eles vão ficar tristes.

Dulce fez um bico de choro, a ruiva esfregou os olhos já cansados querendo afastar as lágrimas que queriam sair, mas não aguentou e caiu no choro, o assunto pais era sempre difícil para ela, apesar de ainda está magoada com tudo saber que os pais estavam tristes por culpa dela a deixava triste. Christopher abraçou sua Bebê e a acalmou falando palavras carinhosas lhe afagando as costas. Quando ela estava mais calma, Chris lhe sorriu enxugando as lágrimas dela que falou manhosa mais não menos decidida.

Dul (ela suspira): Eu quero ir Chris, eu juro não quero deixar a casa dos meus pais.
Chris (sorrindo): Fico feliz por essa sua decisão, sua mãe estava triste por você ter decidido ir para o seu apartamento.
Dul (ela suspira): Eu vi Chris, esse detalhe pesou para que eu voltasse na minha decisão.
Chris (sorrindo): Que bom estou muito orgulhoso de você (ele deu um beijo carinhoso nela).
Dul (rindo): Obrigada, eu também estou orgulhosa de mim mesma.
Chris (sorrindo): Boba. Então vamos?
Dul (sorrindo): Eu queria só pegar uma coisa no meu ap.
Chris (sorrindo): O que Bebê?
Dul (sorrindo): Não deixa, é melhor eu perguntar se posso primeiro.
Chris (sorrindo): Tem certeza? (Dul assentiu). Então vamos (ele começou a andar com o carro).

Christopher deixou a namorada em casa, depois de muita manha por parte dela e até ameaça de choro fingido teve para ver se ele entrava com ela, Chris conseguiu controlar as manhas da namorada prometendo passar a noite com a Bebê dele amanhã. O caso piorou quando o loiro falou que só iam se ver a noite mais manha e biquinho manhoso, ele sorriu quase vencido pela namorada, Dul sorriu mais ainda porque ele saiu do carro com ela, mas Chris apenas entrou com ela em casa, pois estava perigoso ficar os dois ali no meio da rua.

Chris (os dois estavam abraçados no meio da sala): Bebê preciso ir.
Dul (ela suspira): Nãooooooo Chris fica (a ruiva faz manha mais uma vez).
Chris (ele suspira): Bebê, eu já te expliquei que não posso não foi (ela assentiu). Então agora sobe para dormir na sua caminha que vou para casa boa noite (Dul fez beicinho de choro). Ok, eu te levo para cama e espero você dormir. Não vou mais ceder mais um milímetro Dulce entendido? (ela assente de novo). Ótimo (ele pega Dul no colo e começa a subir as escadas com a mochila dela nas costas).

Quando os dois estão quase chegando ao quarto Blanca aparece no corredor preocupada pelo barulho, pois não esperava a filha por ali e nem o genro, os dois olharam para ela, Dulce desceu do colo do namorado para abraçar a mãe que olhou Christopher emocionada.

Blanca (chorando e abraçando a filha): Oh Meu Deus. Filha que bom que está aqui. Ah mamãe te ama tanto Bebê. Volta para casa meu amor?
Dul (a ruiva abraça a mãe): Mamita não quero sair de casa, você me aceita de volta?
Blanca (sorrindo): Oh Bebê da mamãe essa casa é sua e é claro que aceito. Seu cantinho é aqui com a gente (Dulce deu um beijo no rosto da mãe). Veio dormir aqui também Chris?
Chris (ele se aproximando das duas): Não, eu vim só por a Bebê na cama. Nem ia subir, mas ela insistiu muito e eu não consegui negar.
Blanca (a senhora ri): Entendo, mas se não vai dormir é melhor ir embora porque está tarde (Christopher assentiu). É perigoso andar sozinho de madrugada (Chris assentiu novamente e Dul fez bico de choro, pois não queria se separar do namorado de jeito nenhum).
Chris (ele deu um beijo na cabeça da ruiva): Sua mãe tem razão, a gente se vê amanhã.
Dul (ela falou choramingando fazendo os dois sorrirem da manha dela): Não Chris, por favor, não me abandona.
Blanca (a senhora fez sinal para que ele fosse embora): Filha ele só vai dormir na casa dele.
Dul (ela suspira esfregando os olhos e choramingando): Não Mamita (a ruiva olhou em volta e não viu o namorado, Dulce então começou a soluçar, Blanca suspirou e puxou a filha para o quarto para não acordar ninguém). Me abandonouuuuuuu.
Blanca (ela fala carinhosamente): Filha vamos dormir que teu mal é sono anda.
Dul (ela suspira esfregando os olhos): Não, eu quero meu Chris, por favor, traz ele de volta Mamita.

Blanca enquanto Dulce foi pegar o pijama, ela andou até a janela para fechar as cortinas e viu o genro no carro parado na porta, a senhora falou a filha que ia só no quarto pegar o travesseiro e já voltava. Blanca saiu do quarto de sua caçula e ligou para rapidamente Christopher mandando o mesmo ir embora porque ele corria perigo ali, Chris respondeu que estava com pena de sua Bebê, ela sorriu e respondeu que daqui a pouco Dul ia se acalmar e dormir, e que ele fosse também. Christopher assentiu e foi embora. Quando a mãe da ruiva voltou para quarto, sua Bebê já estava deitada com seu paninho toda encolhida ainda chorando, assim que Dul a viu fez um bico de choro. Blanca estava com o coração na mão, mas não deu muita bola para não piorar a situação, apenas deitou na cama e puxou a filha para deitar abraçada a ela.

Blanca (ela fala carinhosamente): Dorme bebê (a senhora faz carinho na filha que não parava de chorar, o choro da ruiva está já se fazia mais fraco).
Dul (ela esfrega os olhos morrendo de sono): Quero o Chris.
Blanca (a senhora ajeita o paninho no rosto da filha): Xiiii Bebê fecha olhos e vamos dormir, eu sei que está cansadinha.

Dulce sussurrou um não muito sonolento, Blanca fazia carinho no rosto da filha que abria e fechava os olhos olhando para mãe, o paninho escorregou do rosto da Dul a fazendo choramingar, a mãe da ruiva ajeitou o paninho de novo, Dul suspirou e fechou os olhos se rendendo finalmente ao sono. Blanca ainda ficou um tempo velando o sono da filha, depois que teve certeza que ela estava mesmo adormecida, a senhora resolveu dormir também. Fernando dormiu sozinho no quarto do casal, Claudia também já dormia em seu quarto. Maite, Anahí, Poncho, Christian estavam todos em casa dormindo. Letícia e Diego acabavam de chegar em casa encontravam - se na casa da filha, que já dormia depois de ser consolada pela mãe devido a primeira briga seria com Dudu. Eduardo se encontrava numa praça deserta após brigar com a namorada, mas uma vez graças ao idiota do pai que tinha medo de contar a verdade para filha. Já Pedro estava em casa junto com a esposa preocupados pelo filho, Letícia acabava de avisar aos dois sobre o ocorrido. Ângela depois de muito insistir conseguiu falar com o filho, ela conversou durante uma hora e conseguiu fazer com que ele voltasse para casa, mas a mãe jurou a Eduardo que ele não ia se encontrar com o pai. Meia hora depois todos na casa dos Damián já dormiam também.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Ago 12, 2017 7:49 pm

23 de janeiro – 6h30 da manhã de Segunda-feira

Fernando acordou e deu por falta da esposa na cama, o senhor levantou, fez sua higiene matinal e saiu à procura dela pela casa, desceu a cozinha e foi informado que Blanca ainda não tinha descido para o café da manhã. Ele subiu novamente passou pelo quarto de Claudia, sua primogênita tinha acabado de acordar, mas a senhora não estava lá. Fernando suspirou só podia está no quarto de sua caçula, apesar da mesma não está lá, ele se dirigiu até lá e teve uma surpresa de ver a Bebê de ambos dormindo nos braços da mãe, o senhor beijou a filha e a esposa, e quando já saia do quarto ele escutou a voz da mulher.

Blanca (sorrindo): Oi amor olha quem voltou para casa.
Fernando (sorrindo): Uma feliz surpresa encontrar ela aqui, a Bebê faz muita falta. Amor estou achando nossa Bebê quente aconteceu algo? É por isso que está dormindo aqui com ela?  
Blanca (ela suspira): Quente não (a senhora passa a mão no rosto da filha). Meu Deus está ardendo em febre como não percebi antes (ela levantou rápido da cama). Fernando pega o antitérmico na gaveta dos remédios anda (Fernando saiu do quarto atrás do remédio e Blanca começou a chamar a filha). Bebê acorda (a senhora chama a filha caçula acariciando o rosto dela).

Dulce estremeceu de dor assustando a mãe, a ruiva levou a mão ao rosto na lateral e assim que tocou ali sentiu tudo dolorido, ela gemendo de dor começou a chorar pela dor insuportável que se fazia.

Dul (chorando): Está doendo Mamita, por favor, faz passar.
Blanca (ela suspira preocupada): O que está doendo filha diz para mim? (a senhora passa a mão no rosto de Dul que estremeceu de dor novamente). É o dente?

Dul assentiu chorando, Fernando voltou com o remédio e deu à filha que sentiu dificuldade de tomar o antitérmico , quando tocava na área sensível doía muito a fazendo aumentar o choro, os dois já estavam desesperados, a ruiva voltou a deitar na cama de bruços deitando a cabeça encostada no paninho dela do lado machucado fazendo magoar mais ainda a área que doía, Dulce começou a soluçar de dor virando o rosto para o lado da mãe fazendo bico de choro e coçando os olhos. Blanca voltou a deitar na cama, e começou a fazer carinho nas costas da filha tentando acalma - lá.

Dul (chorando): Quero o Chris (a ruiva pediu por ele mais de três vezes entre soluços).

A mãe da ruiva não queria acordar Christopher mais para acalmar sua Bebê “pediu” ao marido que ligasse para o genro, mas na verdade pediu entre sussurros que avisasse que Dulce não tinha condições de trabalhar hoje e que depois ela mesma ia ligar para Chris. Blanca ninou a filha durante meia hora, Dul apesar do sono teve dificuldade para dormir devido à dor que sentia a deixando irritada em alguns momentos, mas ela pacientemente conseguiu fazer sua Bebê adormecer mesmo entre soluços sentidos. Blanca saiu da cama devagar com medo de despertar a filha, a ruiva se mexeu, mas não despertou, quando já saia do quarto encontrou Fernando com uma bandeja de café da manhã.

Fernando (ele deu a bandeja na mão da esposa e falou entre sussurros): Trouxe teu café da manhã. Dormiu?
Blanca (sussurrando): Obrigada, ela acabou de dormir. É bom que eu não preciso descer, pois tenho medo que acorde. Meu coração está pequeno vendo minha filha desse jeito morrendo de dor (a senhora vê o marido com pijama ainda). Não vai trabalhar?
Fernando (serio): O meu também, o choro dela é diferente quando está com dor e me dói vê ela assim. Não vou conseguir trabalhar sabendo que deixei minha Bebê doente casa, eu vou ficar em casa hoje. Vou buscar meu celular para você ligar para o Chris, ela vai ficar feliz em vê-lo aqui.  
Blanca (sorrindo): Verdade pega lá enquanto eu como algo aqui.  

Fernando voltou com o celular entregou a esposa, que deixou seu café da manhã para ligar para o genro, o pai da ruiva ficou no quarto da filha velando o sono da mesma, Dul se mexeu na cama virando o rosto e deitando o lado que estava machucado, ela despertou na hora choramingando de dor, a ruiva virou o rosto de novo na posição de antes de acordar soluçou incomodada e deu de cara com o pai que sorriu para ela sentado na cama.          

Fernando (ele fala carinhoso): Não chora meu amor (ele faz carinho nela que fechava os olhos e abria entre um soluço e outro). Quer o colinho do papai? (Dulce assentiu levantando e sentando no colo do pai). Pronto papai vai nina a Bebê dele (Fernando se ajeita melhor na cama deixando Dul deitada no colo dele).
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Ago 12, 2017 7:50 pm

Blanca voltou ao quarto vendo o marido com a filha tentando fazer ela dormir, ela sorriu da cena, suas filhas eram as únicas pessoas que faziam, o marido falar mansinho e  demonstrar o quanto era sensível, a senhora sorriu a ele que devolveu um sorriso tímido e em seguida falou preocupado olhando a filha que ainda chorava.

Fernando (serio): Blanca essa febre que não passa. Não é melhor levar ela ao médico?    
Blanca (seria): Não é necessário, eu estava falando no telefone até agora e a pessoa me lembrou de algo que não tinha pensado.
Fernando (serio): O que? (ele faz carinho na filha).
Blanca (seria): Isso tudo é o ciso que está nascendo.
Fernando (seria): O ciso? Mas as meninas não sentiram nada disso tem certeza?
Blanca (seria): Claro que tenho, mas vamos confirmar quando Chris chegar com a cunhada que é dentista. Bianca não sentiu nada só coceira onde o dente nasceu e Claudia nem chegou a sentir nada. Bebê o Chris daqui a pouco chega para ver a Bebê dele viu? (Dul assente sonolenta e devido à febre acabou dormindo novamente).

Christopher chegou meia hora depois que falou com a sogra, ele subiu quase correndo as escadas com a cunhada que seguia atrás dele e Blanca acompanhava os dois, pois tinha ido atender a porta. Os três entraram no quarto devagar para não acordar Dulce, que desde que a mãe avisou que Christopher já chegava para vê - lá estava dormindo no colo do pai, que se pudesse nem respirava com medo de acordar a filha.

Blanca (seria): Fernando não quer deitar ela na cama? Olha a Ana cunhada do Chris que te falei que vinha senta minha filha (Ana sentou de frente para Fernando e Dulce).
Fernando (serio): De jeito nenhum não quero que ela acorde para ficar sentindo dor, eu não aguento mais uma hora da minha Bebê chorando de dor. Oi Ana tudo bem? Tudo bem Chris?
Ana (sorrindo): Tudo bem. Posso examina - lá? (Blanca assente mais Fernando fica na duvida).
Fernando (serio): Não quero que ela acorde (Christopher olhava a namorada apreensivo achando que se ele não estivesse saído ontem talvez tivesse notado algo de errado, Fernando olhou o genro não gostando da fisionomia dele). Está tudo bem Chris?
Chris (surpreso pela pergunta): Está tudo bem sogrão, eu só estou preocupado com nossa Bebê.
Blanca (seria): Melhor examinar ela agora porque acordada Dul não vai deixar pegar nela, pois está sentindo muita dor.
Fernando (serio): Tudo bem, mas não quero tirar ela do meu colo. Depois quero conversar com você Chris (ele assentiu).
Ana (sorrindo): Fique tranquilo só quero examinar ela.

Ana pegou seus instrumentos e examinou a boca da ruiva, que estava completamente inchado do lado direito, era realmente o ciso querendo nascer, Dul se mexeu no colo do pai adivinhando o que estava acontecendo e gemeu de dor incomodada por Ana está mexendo ali, a dentista fazia uma assepsia na aérea do ciso mostrando a Blanca como fazer para que não infeccionasse. Dulce abriu os olhos e afastou a mão da cunhada de Christopher de perto dela que já ia voltar para passar uma pomada na gengiva, à ruiva começou a chorar agarrando a camisa do pai e escondendo o rosto no peito dele.

Dul (ela fala entre soluços): Nãooo papito não deixa está doendo.
Ana: Olha para mim Dul (a ruiva olhou desconfiada). É só uma pomada para aliviar um pouco a dor enquanto seus pais não compram paracetamol para aliviar o incomodo que está sentindo. Posso passar? (Dulce fez que não). Eu trouxe um moço que se eu machucar você é capaz dele não atender nenhum desejo de grávida meu (Dul olha Chris que sorri assentindo), eu te garanto que não quero isso (todos riram menos Dul que continuava agarrada à camisa do pai).
Dul (soluçando): Vai doer não quero (Fernando alisava a mão da filha na tentativa de faze - lá relaxar).

Christopher se aproximou e se agachou para que ficar na visão da namorada que escondia o rosto de lado, ele acariciou as pernas de Dulce e chamou atenção da mesma para ele, ela olhou chorando fazendo um bico de choro muito sentindo que cortou o coração dele e de Fernando que só faltavam querer sentir a dor por ela.  

Chris (ele fala todo carinhoso): Ela não vai te machucar Bebê (Dul balançou a cabeça dizendo que ia sim).
Ana (sorrindo): Tudo bem então, eu não vou passar pronto (a dentista guarda a pomada). Blanca estou sem receita aqui pode me arranjar um pedaço de papel para anotar a receita para Dul.
Blanca (sorrindo): Claro que sim vou buscar.
Ana (sorrindo): Eu vou com você (as duas saíram deixando Fernando e Christopher com Dulce).

Christopher se levantou e sentou na ponta da cama, o loiro deu um beijo na testa dela que suspirou mais calma depois que Ana saiu, a ruiva se jogou nos braços do namorado causando graças aos dois homens da vida dela, Fernando brincou dizendo que agora tinha perdido atenção da filha para um homem que só sabia rebolar afirmando que o mundo estava perdido, os dois gargalharam e Dul sorriu tímida apesar da dor que sentia. Enquanto isso Ana escrevia a receita da Dulce explicando que devia ser medicada de três em três horas para a dor, o paracetamol trinta gotas e continuar com o antitérmico para febre e fazer assepsia sempre após as refeições e antes de dormir à noite.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Ago 12, 2017 7:52 pm

Blanca (já com a receita na mão): E essa pomada que queria passar nela?
Ana (sorrindo): É para aliviar a dor enquanto vocês não compram o remédio para ela, mas não quis forçar a barra, ela está tensa pela dor que está sentindo se eu forçasse ia ser pior.
Blanca (sorrindo): É verdade.
Ana (sorrindo): Ah me lembrei de uma coisa agora. Dul vai ter dificuldade de comer, nos primeiros dois dias recomendo somente líquidos se possível nem quente e nem frio, pois os dois extremos irritam a gengiva. Bom é isso de resto só paciência, Dul deve ficar irritada e mais manhosa, mas nada que muito carinho não resolva (Blanca assentiu sorrindo). Se acontecer alguma coisa de diferente me liga que eu volto para olha - lá.
Blanca (sorrindo): Obrigada por tudo estou mais tranquila agora.
Ana (sorrindo): De nada. Acho que sua filha ganhou mais uma fã, depois de horas e horas escutando meu cunhado falando nela, e a conhecendo no churrasco não tem como não se apaixonar pela Dul, ela é fofa. Bom vou indo prometi a Ale que ia sair para comprar algumas coisas para bebê com ela.          
Blanca (sorrindo): Obrigada. Você também é um amor, não quer almoçar aqui em casa, ligamos para Ale, ela almoça aqui com a gente e depois vocês saem para fazer compras.
Ana (sorrindo): Não quero incomodar.
Blanca (sorrindo): Não incomoda de jeito nenhum. Então aceita?
Ana (sorrindo): Claro que sim.
Blanca (sorrindo): Que bom fico feliz. Por que não sobe lá para o quarto da Dul. Vou ligar para Ale, vou fazer uma sopa para minha Bebê e já subo para conversar com vocês.    

Ana assentiu e subiu para o quarto da ruiva enquanto Blanca ligava para Alexandra, Ana ao chegar à porta do quarto de Dulce encontrou a mesma deitada na cama de bruços, e Christopher fazendo carinho nas costas da namorada. Fernando tinha saído do quarto para tomar banho e colocar uma roupa, a cunhada de Chris já ia dar meia volta, quando ele pediu aos sussurros que entrasse.

Chris (ele ainda acariciando a namorada falando baixinho): Quer ir embora?
Ana (sorrindo): Não, eu vou almoçar com vocês, sua mãe também está vindo, depois vou às compras com ela. Dormiu?
Chris (serio): Sim acabou de pegar no sono. Essa febre não vai ceder não? Fernando disse que está com febre desde cedo.
Ana (ela ficou seria tomando a postura de dentista): A febre não vai ceder, o que vai acontecer é ela diminuir devido ao remédio, mas depois vai voltar conforme o efeito do antitérmico passar (Christopher suspira meio inconformado por está vendo a namorada sofrer) É normal Chris fica calmo homem.
Chris (Dul choraminga de dor): Xiiii dorme Bebê. Quanto tempo dura isso?
Ana (seria): Cinco dias (ela escuta novamente um suspiro frustrado do cunhado enquanto ela também fazia carinho em Dul nas mãos da mesma). Precisa ficar calmo, ela já está nervosa pelo o que está sentindo e você assim não vai ajudar em nada.
Chris (serio): Tem razão, mas vê-la sofrendo é frustrante demais.
Ana (seria): Sei que sim mais vai passar. Conforme os dias forem passando a febre e a dor vai diminuindo, os dois primeiros dias é o mais difícil porque dói muito e comer é complicado. Vão ter que ter paciência, se ela não quiser comer muito não força, mas também faça Dul comer pelo menos um pouco a cada três horas.  
Chris (serio): Pode deixar vou fazer com que ela coma.
Ana (ela sorri): Tenho certeza que sim.

Os dois ficaram conversando por ali enquanto velavam o sono de Dulce, que uma vez ou outra se mexia na cama parecendo que ia acordar, mas continuava dormindo. A febre logo voltou a aumentar, Ana mediu a temperatura de Dul e constatou que a mesma media 38,5 graus, Christopher então desceu para perguntar aonde se encontrava o remédio para febre da Dulce. Blanca lhe respondeu que estava na mesa de cabeceira, ele assentiu e já ia subir para o quarto novamente quando ouviu a voz da mãe lhe chamando atenção, pois nem tinha reparado nela ali. Chris pediu desculpas, beijou a mãe e quando finalmente ia subir para voltar ao quarto, sua sogra lembra que Dul não pode tomar remédio agora, pois não fazia muito tempo que tomará, e por isso iriam ter que esperar por volta de meia hora, ele suspirou nervoso e disse.

Chris (serio): Mais se a febre aumentar ainda mais não é perigoso?
Blanca (seria): É sim, mas não podemos dar agora. Um banho vai diminuir um pouco até que ela possa tomar o remédio (Christopher passou a mão na testa). Chris se continuar desse jeito nervoso assim, te mando para casa e você só volta quando Dulce melhorar (ele olhou assustado). Agora se senta ai e se calma que vou ajudar a Bebê no banho.

Christopher ficou sentado ao lado da mãe enquanto via a sogra subir para o quarto da namorada, seu sogro logo desceu e ficou com ele também, tanto Ale quanto Fernando tentavam tranquilizar um angustiado namorado, o pai da Dul ainda conversou com genro para que não se sentisse culpado, pois pelo que Blanca tinha lhe contado ele devia está se sentindo culpado por não ter passado a noite com Dulce, pois certamente se tivesse ficado com ela poderia ter notado algo de errado. O pai da ruiva conversava com ele tentando tirar aquela ideia infundada de Christopher e Alexandra ajudava a ele. Enquanto isso Blanca tinha a filha em prantos dentro do box reclamando do frio, quem estava de fora e não sabia do que se passava iam achar que estavam maltratando a filha, alguns minutos depois Dul saiu do banheiro ainda em prantos chamando a mãe de má, a ruiva entre soluços deitou na cama se enrolando na colcha, Ana sorriu a Blanca que vinha com o termômetro na mão para medir a temperatura da filha.

Dul (ela procura algo na cama quando nota Blanca se aproximando da cama): Sai sua bruxa má (Blanca riu e Ana acompanhou rindo também segurando o paninho que ia colocar na cama antes da ruiva voltar, a mãe da ruiva entregou o termômetro para cunhada de Christopher e saiu do quarto para ver se a sopa da filha já estava pronta). Cadê meu paninho?
Ana (sorrindo): Aqui Bebê (ela entrega a ruiva que se aninhou ao lençol de estimação virando de frente para Ana).
Dul (ela suspira manhosa): Obrigada.
Ana (sorrindo): De nada linda. Posso por em você? (Ana mostra o termômetro, a ruiva assentiu e Ana colocou o termômetro de baixo da axila da ruiva). Vamos ver se essa febre chata melhorou? (Ana vê Dulce ajeitando o paninho no rosto). Está com soninho? (Dul assentiu novamente). Não é melhor comer primeiro uma sopa bem gostosa? Depois você dorme.        
Dul (ela suspira manhosa): Nãooo vai doer.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Ago 12, 2017 7:58 pm

Na sala

Christopher já mais calmo agora interrogava a sogra para saber como estava a namorada, Blanca contou o show à parte da ruiva lá em cima e todos sorriram, ela então disse que daqui a pouco teria outra parte do show quando tivesse que comer a sopa, Chris perguntou se podia subir, a mãe da ruiva assentiu e ele subiu correndo deixando a mãe e os sogros na sala, mas logo Blanca foi ver se o almoço da filha estava pronto deixando Fernando e Alexandra conversando.

No quarto

Ana tirou o termômetro de Dulce, verificou a temperatura e viu que não tinha mudado muita coisa, a ruiva estava agora com 38,3 graus, mas daqui a pouco ia abaixar mais, pois havia acabado de tomar banho, ela e Dul conversavam na tentativa de não deixar mais nova amiga dormir, as duas falavam do primeiro aniversário de namoro dela e de Denis, a ruiva sorria da história, ser fofo era de família, mas Ana disse que Christopher superou todos e tinha sido o melhor, a ruiva riu dizendo que concordava, quando Christopher entrou e escutou a namorada dizendo que ele era perfeito, o loiro sorriu a cunhada e Dulce percebeu que tinha mais alguém no quarto, ela virou o rosto e viu o namorado sorrindo, a ruiva sorriu e esticou os braços pedindo um abraço que foi prontamente atendido por ele. Christopher sentou na cama colocando a namorada no colo dele, os três ficaram conversando agora sobre o mergulho que Dul e Chris fizeram. Nesse momento Blanca entrou com uma bandeja de sopa e um copo de guaraná, Dul logo escondeu o rosto no peito do namorado deixando claro que não queria comer de jeito nenhum.

Blanca (sorrindo): Vamos comer Bebê olha só trouxe uma sopa deliciosa de lima (com frango, legumes e suco de lima) e para acompanhar para beber guaraná que a mamãe comprou especialmente para minha Bebê (Dul olhava de rabo de olho). Hum deve está uma delicia se ajeita para comer amor.  
Dul (ela suspira manhosa): Não quero comer Mamita vai doer (a ruiva senta no colo de Christopher olhando a mãe de rabo de olho causando graça a Ana, Christopher e a mãe).
Chris (ele faz carinho nos braços da namorada): Bebê precisa comer meu amor nem que seja um pouquinho (ela balançou a cabeça dizendo que não queria). Olha para mim (Dul olhou para ele já chorando e fazendo bico) Sua mãe fez a sopa com tanto carinho hein, e ainda tem o guaraná delicioso que tomamos no Brasil. Vai deixar de tomar o refri? Por que se não quiser eu vou tomar (ela baixou a cabeça deitando no peito dele de novo). Hein Bebê? Posso tomar então?
Ana (sorrindo): Não senhor, o guaraná é da Bebê não tente bancar o esperto né não Blanca?
Blanca (a senhora fala seria querendo rir): Sim seu Christopher. Você é meu genro preferido e o mais gostoso, mas o guaraná é só da minha Bebê (Dul só olhava os três, mas nada dizia). Quer que a mamita de na boca? (Ela fez que não).
Ana (sorrindo): Posso dar se quiser então ou o Luis Fernando se quiser também? (Dul olhou sem entender). Seu sobrinho e de Chris também se aceitarem lógico (Dul abriu um sorriso, o primeiro do dia para alivio de todos). Vamos comer então? (a ruiva estava indecisa morrendo de medo que doesse mais ainda).
Dul (sorrindo): Eu aceito, obrigada (a ruiva abraça a Ana).
Ana (sorrindo): De nada linda (Blanca da o prato de sopa a Ana).
Dul (sorrindo): Você deixa né Chris? Nem perguntei se deixava ser eu madrinha do seu sobrinho.
Chris (sorrindo): Claro que deixo vai ser uma honra ser padrinho do neném da Ana junto com a minha Bebê linda, agora deixa de conversa e vamos comer. Deixa a Ana te dar a sopa abre a boca e toma pelo menos a metade (Dulce balançou a cabeça dizendo que não deitada no peito dele). Ah então vamos ter que recusar o convite Ana uma pena.
Dul (ela virou para ele triste): Não Chris eu quero ser madrinha com você.
Chris (serio): Vai comer então? (Dul assentiu e meio receosa aceitou a primeira colherada da sopa dado por Ana, ela franziu a testa sentindo dor e engoliu a comida, quando Ana já ia dar outra colherada Alexandra entrou no quarto com o celular na mão).
Ale (sorrindo): Ana, o Denis no telefone querendo falar com você.
Ana (sorrindo): Ah obrigada Ale (Ana entrega o prato de sopa a Christopher e saiu do quarto atendendo o celular). Oi amor.  
Chris (sorrindo): Opa agora é minha vez (o loiro beijou a cabeça dela e saiu de trás da namorada para ficar na frente dela, Blanca e Ale só observavam os dois). Abre a boquinha Bebê (ela abriu) muito bem está com cara que está uma delicia essa sopa (Dulce assentiu apesar da dor não podia negar que estava sim muito gostoso). Não vai dar mesmo um gole do seu guaraná para mim? (ela disse que não e ele fez cara de triste, Dul riu tímida e aceitou outra colherada de sopa).  

Blanca olhou satisfeita a filha comento sua sopa, e saiu com Alexandra do quarto deixando Christopher dando o almoço da namorada dizendo que esperava por ele para almoçarem, o loiro assentiu continuando a dar a sopa para Bebê dele, e as duas saíram deixando os dois a sós. Entre um pedido e outro para tomar do guaraná dela, Dulce foi tomando a sopa e tomando o refrigerante, mas o incomodo se tornou insuportável fazendo Dul soltar à primeira lágrima de dor, Chris imediatamente largou o prato de sopa na mesa de cabeceira e abraçou a namorada tentando conforta - lá. Dulce sussurrou um não aguento mais está doendo muito começando a chorar mais forte, ele suspirou abraçando ela fazendo carinho nas costas dela. Christopher levantou da cama e pegou Dulce no colo descendo para sala, ele não queria deixar ela sozinha no quarto, mas precisava perguntar sobre o remédio que Ana tinha pedido para que Dulce tomasse, os dois desceram com a ruiva chorando sentida cortando o coração de todos na sala quando eles chegaram lá, Chris perguntou do remédio aflito pela namorada, a ruiva estava ficando vermelha por causa do choro, o deixando mais agoniado ainda, se era possível. Blanca disse que já havia pedido, daqui a pouco devia está chegando, ele assentiu, a sogra dele o chamou para almoçar, que ela ficava com a filha, Christopher disse que não e saiu com Dul para o deck, ele sentou com a namorada em uma espreguiçadeira que possuía um guarda sol ficou fazendo carinho nela tentando acalma - lá. Blanca logo apareceu com o remédio, que acabará de pegar com o entregador, a senhora colocou as trinta gotas em um copo de água e deu para que Dul bebesse, e agora esperavam que o paracetamol fizesse algum efeito. Chris foi com a ruiva no colo para a rede que fica na varanda da casa enquanto isso Fernando tinha ido pegar para filha o paninho dela e entregou o mesmo ao genro, que agora estava deitado na rede tentando fazer a namorada pegar no sono.

Vinte minutos depois Dulce dormia nos braços de Christopher ainda soluçando em meio ao sono, ele suspirou penoso vendo o sofrimento dela por causa de um dente, o loiro passou a mão no rosto cansado sentindo a barriga roncar, pois já era quase duas e meia da tarde e ele estava somente com o café da manhã, Blanca quando escutou o silêncio vindo do deck, deduziu que a filha tinha pego no sono e foi direto preparar o almoço do genro, ele comeu na rede mesmo com medo de sair dali e acordar a namorada, ele perguntou pela mãe e pela cunhada e a sogra respondeu que tinham saído a uns dez minutos atrás e elas não quiseram se despedir para não atrapalhar a tentativa dele de fazer Dul dormir, Chris terminou de comer ganhando um copo de guaraná, o loiro sorriu a sogra e ela saiu levando a louça suja com um pedido a ele que descansasse também, e foi o que Christopher, ele fez fechou os olhos não demorando muito adormecer rezando para que a namorada acordasse melhor, pois era de cortar o coração vê - lá sofrer daquele jeito.

As preces de Christopher foram parcialmente atendidas, pois Dulce ainda passou o resto do dia sentindo dor acompanhada com picos de febre, que a deixaram irritada e chorosa, mas com a ajuda dos remédios os sintomas foram um pouco amenizados comparado com o que a ruiva sentiu até a hora de dormir com ele na rede, ela conseguiu comer mais um pouco, sempre alimentos líquidos de três em três horas para alivio dos pais, de Maria e do namorado mais que zeloso. E seguiu exatamente assim que o outro dia seguiu exatamente igual, nada mudou como Ana mesmo explicou ao cunhado que o segundo dia não mudava mesmo, e foi o que o mesmo constou ao longo do dia. O terceiro dia as coisas começaram a melhorar a dor diminuiu e as febres apareciam entre intervalos maiores um do outro para alivio de todos para comer Blanca deu a filha líquidos e alguns alimentos sólidos que não machucassem muito na hora de comer, o quarto dia a ruiva não sentiu febre mais o dente ainda doía, mas em menor intensidade, alimentação foi à mesma do dia anterior, no quinto e último dia mais uma vez Dul não sentiu febre e pela primeira vez seu dente não doeu em nenhum momento para alegria da mesma, a ruiva conseguiu comer bem pela primeira vez em cinco dias para felicidade de todos.

O final de semana foi intenso para Dulce e Christopher já que gravavam o capítulo três da série, todas as cenas que contracenavam com personagens que faziam seus pares, na tentativa de arrumar um namorado, tudo para adiantar as gravações na semana, pois Maite, Anahí, Alfonso e Christian gravaram também todas as cenas que não estavam com eles enquanto Dul encontrava – se de cama e Chris estava com ela. O casal gravou todas as cenas pendentes no sábado e no domingo até o final da tarde, os dois deixaram todas as cenas em ordem para gravarem somente às cenas que faziam com seus amigos de banda.

À noite eles estavam tão cansados que rejeitaram o convite dos amigos do RBD de saírem para balada, os dois ficaram na casa da ruiva assistindo Lost e comendo besteiras que Maria preparou para eles, Blanca e Fernando saíram para jantar com os pais de Christopher, com Letícia e Diego e com Pedro e Ângela. Segundo Dulce que gritou para mãe do quarto, após ela e o marido se despedir dela e do namorado, a noite dos velhos na balada mexicana fazendo a mãe voltar no meio do corredor e lhe encher de cócegas que fizeram a ruiva gargalhar junto com ela e o namorado. Blanca lhe disse que ia dizer a todos que ela os chamou de velhos, Dul riu e disse à mãe que eles não iam acreditar nela porque ela era o anjinho de todos, a mãe da ruiva riu da cara de pau da filha e disse ameaçando que se Pedro implicasse com ela na segunda era sinal que ele não tinha ficado feliz de ser chamado de velho, e consequentemente, os outros também não ficariam, a senhora saiu rindo deixando sua Bebê pensativa e um genro serio pela cena das duas, mas que logo caiu na gargalhada, ele então beijou a namorada e os dois voltaram a ver o seriado. Já Ivalu e Eduardo cada um ficaram em suas casas estavam brigados há uma semana, por Ivi não concordava com as atitudes do namorado, eles não chegaram a terminar só estavam tristes um com outro. A balada foi proveitosa para todos que chegaram a suas casas entre uma e duas horas da manhã, Blanca e Fernando encontraram Dul e Chris já dormindo na cama da ruiva abraçados, Claudia já estava em casa após jantar na casa dos sogros, durante o jantar Bianca ligou da Itália dando noticias dizendo que estava tudo bem e mandando beijos a todos. Após a mãe da ruiva cobrir a filha e o genro, ela foi se deitar com o esposo que já se encontrava na cama deles e logo os dois dormiram para no outro dia recomeçar mais uma semana de trabalho.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Ago 19, 2017 8:36 pm

A semana que se seguiu foi de muito trabalho para todos inclusive para o RBD, os seis passaram a semana gravando, eles terminaram de gravar as cenas que restavam do capitulo três e emendaram logo as gravações do capítulo quatro. Dulce gravou a música Quiero Poder que era tema do seriado com a participação de Christopher. Estava tudo na mais perfeita ordem, todos contentes e animados com a série que ia estrear no sábado, mas alguns bilhetes estavam atrapalhando essa calmaria e deixando a caçula do grupo um tanto intrigada. Bilhetes que diziam “Você não tem curiosidade de saber quem são seus pais?”, “Ainda continuam te enganando sabia disso? “Deveria querer descobrir a verdade”. “Posso te ajudar se quiser”. Todos esses recados foram entregues a ruiva no decorrer da semana, sempre entre as cartas dos fãs que chegavam a televisa, as mensagens eram anônimas e Dul não contou a ninguém por achar que era apenas uma brincadeira de alguém, pois seus pais depois de tudo que passaram não iam ser capaz de esconder mais coisas dela.

A noite de estreia do seriado foi movimentada na televisa muitos jornalistas, convidados especiais, os RBD, Pedro e os parceiros no projeto da serie RBD La Família. Pedro e seus pupilos responderam inúmeras perguntas sobre o seriado e os projetos da banda com uma coletiva realizada em uma coletiva antes de o programa começar, a música da Dulce foi a grande surpresa da noite, todos ficaram surpresos, pois não sabiam dessa faceta artística de Dulce Maria. Logicamente a vida pessoal entrou na conversa e Dulce e Christopher foram perguntados sobre a relação amorosa dos dois, Chris respondeu pelos dois, apenas que estavam muito felizes e que agradeciam ao apoio das Vondys. Após as perguntas assistiram o primeiro episódio juntos, animados e felizes esperando que o público aceitasse bem esse novo projeto, alguns programas participaram da estreia e com o La Oreja e certamente no outro dia estaria em todos os meios de comunicação. A festa durou até uma hora da manhã, os seis estavam todos loucos para ir embora, pois tiveram um dia cansativo, pois eles passaram o dia dando entrevista em rádios locais, revistas e ainda tiraram fotos especiais para a revista Rebelde que circulavam por todos os lugares que o grupo fazia sucesso. Após todos os compromissos cumpridos o RBD e todos os presentes aos poucos se dispersaram, Dulce como os demais ia embora com a família, com o namorado e a família dele, mas lembrou que a mochila ficará no camarim, ela avisou a mãe que precisava buscar a mochila e já voltava, Blanca assentiu e a ruiva saiu para pegar suas coisas.

No Camarim Feminino

Minutos depois Dulce Maria estava no camarim feminino, ela já pegava sua mochila para ir embora quando encontrou um novo bilhete ao lado da mesma, a ruiva olhou o papel e mais uma vez não possuía remetente, Dul cada vez mais intrigada começou a ler o bilhete “Estou mais perto do que imagina nos vemos amanhã. Pense bem e repare a sua volta na preocupação das pessoas quando estou por perto. E outra coisa passarinhos me contaram que já perguntou a sua mãe sobre seus pais, mas ela desconversou e não respondeu sua pergunta. Por que será?”. Dulce ficou estática repassando todas as mensagens anônimas que recebeu, e nem viu o tempo que ficou ali parada olhando para o nada.

No salão da Televisa

Christopher após terminar de dar atenção à última jornalista da noite, o loiro já livre começou a procurar a família, a namorada e a família dela, ele olhou para o lado esquerdo e viu a família conversando com a família de Anahí acompanhados dos pais de Dulce, Chris continuou a percorrer o salão e deu pela falta da namorada, ele então resolveu perguntar a sogra se sabia da ruiva para poderem ir embora.

Chris (sorrindo): Blanca cadê a Dulce? Eu achei que estivesse por aqui.
Blanca (sorrindo): Ela passou por mim e disse que ia buscar a mochila dela, mas até agora não voltou.
Chris (sorrindo): Vou lá então apressa - lá. Só estamos esperando por ela para ir embora? (Blanca assentiu). Ok, eu já volto.

Christopher andou pelos corredores da Televisa que davam para os camarins e para os sets de gravação e àquela hora não existia ninguém ali, a não ser os seguranças que faziam a ronda pelo local. O loiro chegou ao camarim das meninas e encontrou à porta, ele foi entrando e viu a namorada de pé no meio da sala. Chris chamou por ela uma, duas, três vezes e nada, a ruiva só respondeu ao chamado dele na quarta vez ainda meio aérea.

Dul (ela suspira): Que?
Chris (sorrindo): Aff até que em fim me escutou, essa semana seu autismo bateu recorde. O que está acontecendo Bebê?
Dul (ela coça os olhos tentando desconversar): Nada ué (ela tenta disfarçadamente guardar o bilhete dentro da mochila, mas Chris percebeu decidido a não deixar passar dessa vez, pois ele perceberá que ela ultimamente estava recebendo frequentemente bilhetes e em todas às vezes ficava esquisita como agora). Aconteceu alguma coisa? Estava lá tão entretido com suas amiguinhas que pensei que eu ia embora e você ia ficar lá de conversinha.
Chris (ele fica serio): Não tenta me enrolar Dulce. Que papel é esse que guardou na sua mochila? Que tanto de papel foi esse que recebeu durante essa semana? Pensa que não reparei, cada vez que lia um deles seu momento autismo entrava em cena e se ninguém te chamasse você ia continuar lá, Deus sabe até quando.
Dul (seria): Você que não tente me enganar Christopher. Me diz o que aquelas idiotas tanto falaram para você nem ligar para mim? (Dul olhava furiosa com a mão na cintura).
Chris (serio): Deixe de neura mulher não fiz nada demais, eu só conversei.
Dul (ela suspira com a mão na cintura): Não vai me dizer Christopher?
Chris (serio): Não Dulce Maria, eu só digo se me disser o que perguntei sobre os bilhetes.
Dul (ela suspira emburrada): Não vou falar.
Chris (serio): Então também não vou falar.
Dul (ela suspira irritada): Ótimo (a ruiva sai do camarim carregando a mochila).
Chris (ele grita para que ela escutasse do lado de fora): Ótimo (o loiro sai atrás dela rindo da situação, apesar de nervoso por ela está escondendo algo, o ciúmes dela era fofo demais, sua Bebê irritadinha era a coisa mais linda do mundo).
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Ago 19, 2017 8:37 pm

Dulce saiu pisando fundo e Christopher atrás dela com a mão no bolso, eles só pararam quando chegaram perto dos pais que esperavam os dois no salão, os pais de ambos notaram o clima tenso dos filhos, mas não falaram nada, os seis saíram rumo o estacionamento onde estavam seus carros e começaram a se despedir, Fernando e Luís foram os primeiros a entrarem em seus carros.

Ale (ela estava em frente ao seu carro): Chris vai comigo para casa ou com a Bebê?
Dul (seria): Ele vai com você Ale para depois encontrar com as amiguinhas dele (Chris não se segurou e gargalhou). Não ri seu idiota (a ruiva deu um tapa nele).
Blanca (ela fica seria ao ver a filha bater no namorado): Dulce o que é isso?
Chris (sorrindo): Ciúmes Blanca, ela está brava só porque estava conversando com duas mulheres.
Dul (seria): Eu não estou com ciúmes Christopher.
Chris (sorrindo): Imagine se tivesse como não seria não é? (Dul olhou emburrada para ele, Ale e Blanca se olharam e riram da cena dos filhos brigando em plena madrugada por ciúme bobo e infundado porque as tais amiguinhas eram simplesmente jornalistas).
Ale (seria): Já chega os dois são quase duas da manhã e todos nos precisamos ir para casa dormir (Blanca assentiu). Não esqueçam que amanhã temos o jantar lá em casa (Blanca assentiu novamente). Anda Christopher para o carro (Chris entrou no carro sem discutir talvez fosse melhor deixar sua Bebê se acalmar). Bebê pode ficar tranquila que o rapaz aqui vai direto para cama (Christopher gargalhou dentro do carro pelo que a mãe disse). Boa noite Blanca até amanha (a senhora beija amiga). Boa noite Bebê até amanhã e se acalma que ele te ama boba (ela beija Dul, entrando no carro e Luís sai em seguida indo para casa deles).
Blanca (sorrindo): Vem Dul vamos para casa (Dulce entrou no carro emburrada).
Dul (a ruiva já no carro): Aiiiiiiiii que raiva do Christopher, eu odeio quando ele fica de conversinha com mulheres atiradas, idiota.
Fernando (ele olha para filha sem entender e sai com o carro): Do que fala Dul?
Dul (seria): Do seu querido genro papai.
Fernando (serio): Isso eu entendi. Quero saber que mulheres atiradas são essas que você está falando? Porque eu não vi nenhuma.
Dul (ela suspira irritada): Como não? Ele ficou um tempão cheio de sorrisos com elas.
Blanca (seria): Dulce Maria eram jornalistas criatura.
Dul (ela suspira): O que?
Blanca (seria): As duas mulheres eram jornalistas que conversavam com Chris, inclusive elas conversaram com alguns dos seus amigos também.
Dul (ela suspira): E por que não vieram conversar comigo também?
Blanca (seria): Pelo que entendi os jornalistas foram divididos, quatro para cada RBD, as jornalistas ficaram com o Chris e mais dois RBD, eu só não sei quais dos outros elas entrevistaram.
Dul (ela suspira emburrada): Hum (Blanca sorriu sem que a filha percebesse). Que droga tudo por causa dos bilhetes (a ruiva falou mais para si mesmo do para os pais, mas Blanca escutou e quis saber do que ela falava).
Blanca (sorrindo): De que bilhetes estais falando? Recebeu declarações de outro homem?
Dul (ela suspira): Não mãe nada ver, esquece é coisa minha. Falta muito para chegar em casa? Estou com sono.

Blanca resolveu por hora deixar quieto, depois conversaria melhor com a filha. Os três logo chegaram em casa, trocaram de roupa e foram se deitar, mais somente Blanca e Fernando conseguiram dormir, a ruiva passou a noite em claro não pela briga dela com o namorado, pois ela já tinha caído em si na besteira que fez em brigar com ele por isso, mas sim pelos bilhetes que recebeu durantes essa semana, todos alertando para que ela reparasse na sua família, mostrando que ainda existia coisas que devia saber, e afirmando que seu pai estaria próximo a ela. Toda essa confusão de sentimentos e de informações não a deixou pregar o olho a madrugada inteira, a ruiva só veio adormecer era quase oito e meia da manhã depois de tomar uma vitamina reforçada feita por Maria que viu sua pequena ver o dia clarear do deck de casa às seis horas da manhã. Já Christopher demorou um pouco a dormir pensando nos benditos bilhetes, mas mesmo assim conseguiu descansar a noite toda. Eduardo e Ivalu finalmente se acertaram e voltaram a namorar, Dudu caiu em si e resolveu não deixar que seus problemas com seu pai refletisse no namoro deles, e prometeu a namorada tentar se acertar com o pai. Letícia e Diego passaram uma semana tranquila assim como Marina e Guilherme.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Ago 19, 2017 8:37 pm

29 de janeiro - Domingo

A manhã passou tranquila para quase todos menos para uma certa ruiva emburrada que passou o dia indócil morrendo de saudades do namorado, ela foi acordada na hora do almoço pela mãe, Dulce desceu para almoçar com a família, incluindo Denise, os pais dela, irmãs e Marina e Guilherme. O almoço foi tranquilo, regado de muito conversa, somente Dul ficou praticamente toda refeição calada pensando no namorado e nos bilhetes, mas sempre respondia uma coisa e outra quando era perguntada ela. Assim que a ruiva acabou de comer, ela pediu licença e subiu para o quarto. Denise esperou que sua família se distraísse e saio atrás da prima a encontrando sentada na cama dedilhando o violão e cantando baixinho a música Completo que cantou para Christopher.

Denise (na porta, Dul ainda tocava): Posso entrar? Queria conversar com você.
Dul (ela suspira distraída): Ah Oi pode sim (a ruiva deixa o violão de lado). Senta ai (Denise sentou). E ai o que quer conversar comigo?
Denise (sorrindo): Apenas conversar de prima para prima já que não temos muita oportunidade de nos falar. E ai como está?
Dul (ela olha para prima meio surpresa pela situação): Bem e você?
Denise (sorrindo): Tem trabalhado muito esses dias né? Vi ontem e hoje falando direto da estreia do seriado RBD La Família, todos os comentários positivos falando que a estreia foi um sucesso.
Dul (ela suspira): Verdade, eu passei a semana trabalhando muito, nos gravamos o restante do capitulo três e o capitulo quarto. Graças a Deus foi um sucesso sim, a imprensa estava em peso lá na televisa e os comentários foram todos positivos graças. Desculpa perguntar mais foi disso mesmo que veio falar comigo? Sobre como estou e a respeito do meu trabalho, você nunca foi de se importar comigo.
Denise (sorrindo): Quis ser gentil mais realmente não foi para isso que vim falar com você.
Dul (ela suspira curiosa): Agradeço sua gentileza, mas prefiro que vá logo direito ao assunto.
Denise (sorrindo): Certo, eu vou falar então.
Dul (ela suspira): Pode falar então estou ouvindo.
Denise: Te falei que nos veríamos hoje não, aqui estou.
Dul (ela olha surpresa em constatar que a prima era autora dos bilhetes anônimos): Como? Você é a pessoa que me mandou os bilhetes ao longo da semana? Mais porque não me procurou pessoalmente?
Denise (sorrindo): Sim sou eu mesma. Porque não sei se reparou mais sua família tem medo de te ver perto de mim, eles me acham uma ameaça, afinal fui eu quem abri teus olhos.

Dulce olhava para prima pensativa assimilando o que ela tinha acabado de dizer, recordando os momentos em que elas estavam juntas e repassando os fatos, realmente Denise tinha razão, todos sempre se acercavam a ela quando a prima estava por perto. Lembrou-se do almoço de hoje e que sua mãe não deixou que a prima se aproximasse e quando não era ela que ficava de olho era sua irmã. Como não tinha reparado nisso antes? Será que sua prima sabia de algo?

Dul (a ruiva assustada pensou com ela mesma como não reparei nisso antes. Meus Deus será que ainda estou sendo enganada?): Denise você está sabendo de alguma coisa que eu não sei?
Denise (sorrindo): Eu até sei de algumas coisas, mas não tenho nada confirmado, então prefiro continuar investigando para depois te mostrar um dossiê com tudo que eu descobri sobre a sua história.
Dul (ela suspira): Como posso ter (Blanca entrou no quarto da ruiva branca de susto e interrompeu a conversa das duas).
Blanca (a senhora fala nervosa): O que faz aqui no quarto da Dul Denise? Te falei para deixar minha filha em paz.
Denise (sorrindo): Nada ué só vim conversar com minha prima. Não foi Dul? (Dulce estava surpresa pela reação da mãe, ela olhava para mãe e para a prima tentando assimilar o que se passava).
Dul (ela olha para mãe): É verdade Mamita só estamos conversando. Por que a senhora está tão nervosa não entendo?
Denise (sorrindo): É tia por que está tão nervosa?
Blanca (seria): Sai desse quarto agora Denise ou eu não respondo por mim.

Denise sabendo que tinha conseguido exatamente o que queria resolveu sair do quarto e deixar Dulce com a mãe, ela sabia que a prima não ia sossegar enquanto não soubesse de algo, e por isso não podia demorar muito a soltar a grande bomba porque a ruiva podia descobrir tudo, e Denise fazia questão de ser ela a revelar a grande bomba do século na história artística mexicana.

Dul (seria): Mãe da para me explicar o que está acontecendo? (a ruiva vê a mãe sair logo atrás da prima). Qual o problema da Denise está aqui? Volta aqui Mãe (ela suspira irritada). Droga (Dulce foi até a porta e fechou a mesma com força).

Blanca desceu atrás da sobrinha e quando as duas já se encontravam na sala, a mãe da ruiva parou Denise a segurando pelo braço.

Blanca (nervosa): O qual é a sua menina? Já não basta o que causou a minha filha? O que queria com ela dessa vez? Presta atenção se fizer algum mal a meu Bebê, eu te juro que esqueço que é filha do meu irmão e lhe dou uma surra.
Denise (sorrindo): Não fiz nada titia, quem fez algo foram vocês que mentiram para ela todos esses anos. Eu só disse a verdade a ela nada mais. Como disse lá em cima, eu estava apenas conversando com sua filha. Afinal o que mais eu teria para falar com ela hein? Agora me dá licença (Denise se soltando de Blanca). Já vou para casa, mas não se preocupa não eu volto logo (Denise segue em direção a porta com Blanca em seu encalço), não quero que sintam falta de mim, principalmente a nossa caçulinha tão amada (Denise chega até a porta e se vira olhando a tia nos olhos) mais tão enganada.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Ago 26, 2017 8:21 pm

Quando Blanca já ia retrucar, a senhora escuta a voz da filha vindo do corredor, Denise sai da casa dos tios ao escutar a voz da prima no corredor, Blanca vê Denise saindo de casa e bastante nervosa se volta para Dulce que aquela altura já encontrava – se em frente a ela no meio da sala.

Dul (seria): Mãe por que não me responde? Me diz, por favor, o que está acontecendo?
Blanca (a senhora mesmo nervosa estava tentando aparentar tranquilidade para sua filha caçula): Não está acontecendo nada meu amor, eu só não gosto dessa menina perto de você. Eu não quero que ela diga besteiras a minha Bebê, ela é mal amada e quer que se sinta rejeitada. E isso você não é porque todos nos te amamos muito.
Dul (a ruiva suspira irritada percebendo cada vez mais que a prima tinha razão): Mas ela não falou nada disso (Dulce passou a mão no rosto desesperada por constatar que estavam mais uma mentindo para ela). Mãe a Denise sabe de algo? (Dul aumenta o tom de voz chamando atenção do pai, da irmã, da Maria e dos tios). A senhora tem medo que minha prima me conte algo novamente é isso? Anda mãe responde (todos aparecem na sala). Por que não me diz a verdade?
Fernando (o senhor olha para Blanca e para filha caçula): O que está acontecendo aqui? (ele repara o nervosismo da esposa) Blanca está tudo bem? Senta aqui amor (Blanca senta no sofá). Maria traz um copo de açúcar para Blanca, por favor, (Maria saiu para cozinha atendendo ao pedido de Fernando).  
Dul (ela suspira se segurando para não chorar): Mãe, por favor, só te peço a verdade. Diz para mim estou certa não estou? (Blanca aperta à mão do esposo sem saber o que fazer). Se tem tanto medo de que ela me conte algo porque não me conta você mesmo? (Maria volta com o copo com açúcar e entrega amiga de tantos anos). Responde droga, fala alguma coisa.
Fernando (nervoso e preocupado): Já chega Dulce não vê que sua mãe não está bem?
Dul (ela suspira): Então é verdade não é? Se fosse mentira vocês não estariam assim (a ruiva olhando a todos), e nem todo mundo estaria com essas caras assustadas. O que me escondem pelo amor Deus? Alguém pode me dizer? (Dulce levanta os braços inconformada por não ser respondida) não precisa ser ela, eu só quero a verdade.    
Fernando (serio): Já chega Dulce suba agora para o seu quarto, e eu só quero que saia de lá na hora que formos para casa dos seus sogros.
Dul (ela fala indignada): Eu só quero que me digam a verdade. Por que não me dizem a verdade?
Fernando (serio): Dulce Maria, eu mandei subir agora (o senhor aponta as escadas, todos olhavam sem saber como agir, todos pedindo silenciosamente que Dulce atendesse o pedido pai para poderem sair da tensão que encontrava - se naquela sala, todos também queriam acalmar Blanca que estava passando mal).
Dul (a ruiva começa a chorar e fala soluçando): Tudo bem eu subo, já vi que não querem me dizer a verdade. Não se preocupem mais em me contar nada porque eu vou descobrir sozinha o que tanto me escondem, eu só digo uma coisa quando eu descobrir tudo não me venham pedir que os perdoem porque não vou perdoar ninguém. Não bastou mentir uma vez, agora vocês estão mentindo de novo sabe se lá o quê escondem e porque escondem.

Dulce Maria subiu as escadas pisando fundo bastante irritada, frustrada e angustiada, eles mais uma vez escondiam algo e temiam que ela descobrisse, mas não importava que ninguém lhe contasse, pois ela iria descobrir custasse o que custasse. Dulce ia arrumar um jeito de falar com a prima durante a semana, a ruiva tinha certeza que ela sabia de algo e se não quisesse lhe falar também, ela mesma iria atrás. Na sala todos olhavam uns para os outros sem saber o que fazer para acalmar Blanca que continuava nervosa, Fernando agora encontrava – se sentado ao lado da esposa, Claudia estava em frente à mãe segurando suas mãos e pedindo calma a ela, os pais de Denise pediam desculpas pela filha e disseram que assim que a encontrassem iam conversar com ela, já Maria voltou à cozinha para preparar um chá a todos para acalmar os ânimos. Enquanto isso Dulce andava de um lado para o outro sem saber o que pensar, ela estava confusa, assustada e com medo do que escondiam dela. A ruiva começou a se sentir sufocada e com vontade de gritar, Dul então pegou as chaves de casa e desceu as escadas correndo, ela passou por todos sem dar ouvidos a ninguém e saiu cantando pneu.

Blanca (ela suspira nervosa): Meu Deus Fernando onde será que ela foi? Que Virgem de Guardalupe proteja a nossa Bebê (Maria voltou com as xícaras de chá e todos tomaram inclusive a mesma).          
Fernando (serio): Calma Blanca vamos deitar um pouco (os dois levantaram e foram para o quarto). Fica tranquila que Dul não vai fazer nada de errado (o senhor em pensamento disse a si mesmo que esperava que Dulce não fizesse nada de errado e pediu a Deus que protegesse sua Bebê. Os dois já estavam no quarto). Agora deita e tenta descansar, eu vou só me despedir do seu irmão e da sua cunhada.
Blanca (ela suspira): Não posso descansar enquanto minha Bebê pode está correndo perigo.
Fernando (serio): Tudo bem, mas quero que fique ai deitada. Está bem?
Blanca (ela suspira): Tudo bem eu fico, mas quero que ligue para o Pedro e conte o que está acontecendo. Ele precisa tomar uma atitude antes que seja tarde demais.  
Fernando (serio): Está bem, eu vou ligar para ele (Fernando dá um beijo na esposa e sai do quarto para fazer o que tinha dito a mulher que faria).

Fernando se despediu do irmão e da cunhada de Blanca, o senhor pediu a Claudia que fizesse companhia à mãe e se trancou no escritório, ele então discou o número de Pedro e esperou que ele atendesse, após o terceiro toque o próprio atendeu ao telefone.

Pedro (serio): Alô.
Fernando (serio): Pedro é Fernando.
Pedro (serio): Oi Fernando como vai? Aconteceu alguma coisa com nossa filha?
Fernando (serio): Mais ou menos. Sim aconteceu e por isso estou te ligando. Pedro, nos queremos te pedir que conte tudo a Dul o mais rápido possível. Blanca encontrou Denise conversando com nossa Bebê e ela já sentiu que tem algo de errado e para completar a mãe ficou nervosa deixando claro que tem alguma coisa que ela não sabe.  
Pedro (ele suspira ficando desesperado): Deus se ela descobrir tudo não vai me perdoar jamais.
Fernando (preocupado com a situação não queria que a filha sofresse mais do que já tinha sofrido): Por isso estou te ligando para que conte antes que seja tarde demais.
Pedro (desesperado): E agora o que eu faço?
Fernando (serio): Não tem o que pensar amigo, você tem que contar a verdade antes que a Denise conte ou até que a Dul descubra sozinha, eu te garanto vai ser muito pior se ela descobrir por outros meios sem ser por ti. Se quiser eu e Blanca podemos estar presentes quando contar a Dulce para lhe dar forças. Conte o mais rápido possível, nos estaremos do seu lado e juntos vamos ajudar a nossa filha.  
Pedro (serio): Você tem razão é o melhor a se fazer, eu quero sim que estejam por perto.
Fernando (serio): Tudo bem então nos estaremos perto de vocês dois. Quando pretende contar a nossa filha?
Pedro (serio): Infelizmente estarei três dias fora do México resolvendo as turnês do grupo, eu vou ao Estados Unidos, Equador, Venezuela, Bolívia e Brasil. Volto para casa quinta-feira no final da manhã, mas assim que eu chegar marcamos um local para conversar com a Dul e contar tudo a ela, e seja o que Deus quiser.
Fernando (serio): Está bem então estaremos esperando sua ligação na quinta-feira e até lá estaremos de olho na Dulce para que Denise nem chegue perto dela. Bom é isso então boa viagem e até a volta. Um abraço.
Pedro (serio): Está bem obrigado por tudo Fernando, agradeça a Blanca também e me desculpe pelo transtorno que estou causando a vocês, mas nunca pensei que meu ato desesperado há vinte uns anos atrás ia causar tanto estrago (Pedro suspira visivelmente emocionado). Eu sinto muito até a volta, abraços a você e um beijo em Blanca.
Fernando (ele suspira também emocionado): Vai dar tudo certo cara estamos juntos nessa e não precisa nos pedir desculpas porque nos deu um dos nossos bens mais preciosos. Eu que te agradeço pelos melhores vinte um anos da minha vida.
Pedro (ele suspira): Obrigado e de nada então (ele ri tentando descontrair). Obrigado também pela filha maravilhosa que vocês criaram, a Dul é maravilhosa, uma grande pessoa.
Fernando (rindo): Sim uma grande e geniosa pessoa mais tudo bem, mas como sou educado agradeço ao elogio. Tchau cara tenho que dar uma olhada na Blanca.
Pedro (serio): Tchau bom final domingo.
Fernando (serio): Para você e sua família também (os dois desligam o telefone e Fernando sobe para o quarto para ver a esposa).
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Ago 26, 2017 8:24 pm

Na rua Dulce pisava fundo em meio aos carros que transitavam pelas avenidas mexicanas, as lágrimas caiam sem parar no rosto da ruiva, que tentava segurar o choro que parecia que não ia parar nunca. As mãos tremiam, o corpo tremia, ela não queria voltar para casa, mas também não estava a fim de ficar rodando por ai sem destino, a ruiva então seguiu para á casa dos pais de Christopher, o único lugar que ela queria ir, mas a ruiva não sabia se ele ia querer falar com ela, depois da briga boba que tiveram ontem. Dul suspirou não importava a briga de ontem, ela precisava do colo dele para se sentir segura e pediria perdão de joelhos se preciso fosse, a ruiva deu meia volta acelerando e foi em direção em direção a casa dos sogros e em menos de dez minutos tocava a campainha da casa dos Von Uckerman.  

Fernando subiu ao seu quarto encontrando a esposa tentando o celular da filha que tocava, tocava e ninguém atendia, Claudia ao mesmo tempo tentava o celular do cunhado que também chamava, chamava e ninguém atendia. O senhor perguntou para quem as duas ligavam, Blanca lhe respondeu que tentava ligar para filha e Claudia respondeu que tentava ligar para Christopher, ele suspirou e sentou na cama tentando passar calma a mulher enquanto as duas continuavam tentando, ele aproveitou o momento e contou as duas sobre a conversa com Pedro, quando ele terminou de falar Chris finalmente atendeu ao telefone sonolento.

Chris (com a voz rouca de quem acaba de acordar): Alô
Clau (seria): Chris a Dulce está ai com você? (Nesse momento ele escuta a campainha).
Chris (ele vê que ninguém atendia e desceu para abrir a porta): Não, eu pensei que ela estivesse em casa, mas espera um pouco estão tocando a campainha pode ser ela (Claudia assentiu e esperou pela resposta do cunhado se era a irmã ou não).  

Christopher abriu a porta de casa, saiu para área externa e em seguida abriu o portão dando de cara com a namorada, pálida, assustada e em prantos. O loiro prendeu a respiração, sentindo o coração disparado com medo do que estava por vir. Será que ela já sabia de tudo? Não, certamente alguém já teria lhe avisado se Dulce tivesse descoberto que Pedro Damián era seu pai, Chris então se lembrou de Claudia ao telefone, por um momento ele ficou em pânico, mas logo teve que voltar a si quando sentiu a namorada se jogar nos braços dele pedindo por ele, por seu abraço, Christopher não pensou duas vezes pegou a namorada no colo tentando conforta - lá sem sucesso, Dul soluçava forte escondendo o rosto no pescoço dele. Claudia do outro lado da linha não sabia se respirava aliviada por saber que a ruiva encontrava – se segura agora com o namorado, ou ela se desesperava por está escutando o choro sofrido da irmã caçula, Clau precisava avisar que a irmã nada sabia para que ele não cometesse nem um deslize e piorasse ainda mais a situação, Claudia chamou por Christopher três vezes, ele respondeu quase num sussurrou um oi, ela suspirou agradecendo pelo cunhado ter escutado, e somente lhe disse que Dulce não tinha descoberto nada, mas que estava desconfiando que os pais tinham algo mais para contar a ela e que mais tarde no jantar lhe explicaria melhor. Christopher assentiu e pediu à cunhada que trouxesse uma roupa para o jantar, um pijama e o paninho, ele desligou o telefone dizendo que precisava cuidar da namorada. Chris e Dul ainda estavam da mesma maneira em frente à rua com o carro dela aberto, portão aberto e Dul no colo dele aos prantos. Christopher ligou para mãe e pediu que aparecesse do lado de fora da casa, Alexandra logo apareceu e viu a nora chorando no colo do filho, a senhora já ia perguntar o que acontecia, mas ele lhe estendeu a chave do portão e pediu com o olhar que não falasse nada.

Chris (serio): Bebê só me responde uma coisa (Dulce assentiu). A chave do seu carro está aonde?
Dul (ela fala em meio ao choro): No carro. Chris, eles estão me enganando e mentindo para mim, eu tenho certeza. A Denise sabe, eu preciso, preciso falar com ela.

Dulce tentou sair do colo do namorado que a segurou firme e entrou com ela em casa, Alexandra entrou com o carro da nora e estacionou na garagem e em seguida entrou atrás do filho, à senhora escutou Dul pedir, por favor, para solta – lá, pois ela precisava procurar Denise. A mãe de Christopher passou por eles sentados no sofá, Chris segurava pela cintura enquanto ela tentava empurra - ló para sair do colo dele, Ale voltou à sala trazendo um copo com açúcar e ofereceu a nora caçula.

Ale (a senhora entrega o copo): Toma essa água com açúcar Bebê (Dulce tomou água com açúcar que a sogra lhe deu, a ruiva tomou e devolveu o copo a ela, Alexandra voltou para cozinha deixando os dois sós).
Dul (irritada): Eu preciso ir à casa da minha prima me solta (ela tenta sair do abraço do namorado).
Chris (serio): Não vou soltar, você não vai sair nervosa desse jeito.
Dul (gritando): Me solta Christopher, eu estou mandando. Eles estão mentindo para mim, eu preciso saber o que me escondem me solta.

Christopher não deu nem conversa para Dulce a levando para o quarto, o loiro só soltou a mesma dentro do quarto, depois de trancar a porta, a ruiva começou a esmurrar a porta pedindo para alguém abrir.

Chris (ele senta na cama): Vai quebrar a porta.
Dul (brava): Quero sair abre essa porta.
Chris (serio): Não vou abrir porque não senta aqui na cama ou deita como preferir.
Dul (ela suspira brava): Não quero.
Chris (ele deita na cama dele): Ok então fica ai em pé (o loiro ligou a televisão e fingiu que não estava nem ai para namorada, mas ele a olhava de rabo de olho).

Dulce ainda pediu que abrissem à porta por mais alguns minutos quando viu que não tinha jeito, a ruiva sentou no chão e começou a chorar forte de cabeça baixa, Christopher escutou o choro dela e logo se acercou, ele levantou a namorada e a levou para cama, o loiro a fez sentar e em seguida sentou ao seu lado, ele a abraçou forte tentando acalma - lá, mas de nada adiantou, o pranto se fazia mais forte alternados com sussurros de estão mentindo para mim sussurrados por ela até o momento que o cansaço tomou conta dela, Chris deitou a namorada devagar para não acorda - lá, depois a cobriu e saiu devagar do quarto fechando a porta, o loiro suspirou passando a mão no rosto, ele não sabia se ficava aliviado por Denise não ter contado nada ou preocupado por ela não ter contado. A reação de Dulce ainda pouco era uma previa do que estava por acontecer, Christopher temia que fosse muito pior do que passou com ela agora pouco, o loiro saiu do corredor e se dirigiu a sala encontrando seus pais conversavam no sofá, Alexandra contava ao marido o que tinha acontecido, Luís perguntou se não era melhor cancelar o jantar, mas a esposa disse que não dava, pois estava em cima da hora, os três seguiram conversando por mais meia hora quando Dul apareceu coçando os olhos e chamando por ele.

Dul (a ruiva chamou por ele chorosa): Chris cadê você?
Chris (ele foi até ela e a abraçou): Oi Bebê, eu estou aqui com seus sogros vem aqui com a gente.

Christopher levou a namorada para sentar no sofá com ele, os dois sentaram e ela encostou o corpo no peito dele. Luís beijou a nora a cumprimentando, os quatro começaram a conversar coisas amenas, mas logo a conversa só ficou entre Chris e os pais, Dulce ficou pensativa recordando tudo que a prima lhe disse sobre os bilhetes e sobre estarem escondendo algo dela, Dul então saiu de fininho dali enquanto os três viam empolgados uma reportagem que saiu do RBD La família, a ruiva reconheceu sua chave em cima da estante perto da porta, ela pegou seu chaveiro, o comando do portão e saiu de fininho sem que ninguém percebesse e logo já dirigia pelas ruas mexicanas. Chris quando se deu conta que a namorada tinha sumido ficou nervoso, ele procurou por toda casa junto com os pais, mas nada dela, Alexandra ligou para Blanca perguntando se Dulce estava em casa, mas a mesma disse à amiga que ela não tinha voltado para lá. Ale perguntou se estavam com cabeça para irem a casa dela, a mãe da ruiva disse que iam sim sem problemas, que o jantar era até uma forma de relaxar e tentar achar uma solução para tudo isso. Enquanto isso Dulce chegava ao apartamento da prima, ela dividia o apto com duas amigas de faculdade a pouco menos de um mês, ela pediu para interfonar para Denise mais soube pelo porteiro que ela não estava em casa, a ruiva bufou de raiva e entrou no carro cantando pneu.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Ago 26, 2017 8:28 pm

As horas foram passando e a hora do jantar chegou na casa dos Uckerman, a família de Dulce e a família de Christopher estavam reunidos em volta da mesa, incluindo as cunhadas dele e os cunhados dela. Dul era única pessoa que faltava naquele jantar, a ruiva desde que saiu escondido da casa dos sogros, ela não tinha voltado para casa e nem dado notícias, todos passaram o resto do dia ligando para ela, mas Dulce não retornou uma ligação se quer. O jantar estava tranquilo, uma música ambiente tornava o local agradável, conversas paralelas sobre os mais diversos assuntos, mas que sempre acabavam na única pessoa que faltava para que a família ficasse completa Dulce Maria.

Dulce depois que saiu da casa da prima fritando pneu foi ao bar do seu João e desceu a beber, ela entornava garrafas e garrafas de longneck e já tinha passado da quantidade de cerveja da ultima vez que ficou bêbada, na época que descobriu que era adotada. Já bebia a décima segunda garrafa quando olhou para o lado e viu pessoas jantando, a ruiva então lembrou do jantar na casa do namorado. Dulce levantou cambaleando, pagou a conta para o mesmo rapaz que a serviu da outra vez, ele a reconheceu mais não falou nada, infelizmente seu João era a única pessoa que sabia onde ela morava e no momento ele não estava, o que lhe restava era rezar para que a moça chegasse bem em casa. A ruiva entrou no carro e saiu rumo à casa do namorado dirigindo Deus sabe como, todos os anjinhos Bebês estavam protegendo ela dos perigos da rua (POR FAVOR NÃO VÃO ME DIRIGIR BEBADAS É PERIGOSO, WEB É WEB). Alguns minutos depois Dulce chegou à casa da sogra, a ruiva estacionou o carro todo torto e saiu cambaleando para porta de entrada, ela tocou a campainha e quem abriu foi a Francisca que trabalhava há anos na casa dos Uckerman assim como era Maria na casa dos Saviñón.        

Dul (sorrindo): Fran mi amor como está? (Francisca viu Dulce completamente bêbada, a senhora a cumprimentou e abraçou a ruiva ajudando a caminhar). Quanto tempo? Ops não tanto tempo. Me lembrei agora que te vi hoje não? (Fran assentiu e sentou Dul no sofá).    
Fran (ela suspirou preocupada): Bebê fica aqui quietinha que eu já volto.

Dulce assentiu e viu Francisca sair da sala, ela então escutou algumas vozes e reconheceu uma por uma, quando deu por si estava na sala de jantar olhando a todos que estavam em volta da mesa. Todos olharam chocados em direção à ruiva, Fran que seguia de costas para Dulce não entendeu nada, mas ao virar o corpo de lado viu que Dulce Maria encontrava - se bem atrás dela com o rosto cansado, olhos miúdos e vermelhos, roupa amassada e com uma fisionomia que era um contraste de muitos sentimentos, mas o que se via ali na frente da família dela e do namorado era um semblante irônico pronto para despejar tudo que sentia naquele momento.  

Dul (ela suspira e fala ironicamente): Que linda cena família reunida com todos jantando felizes (todos olhavam preocupados com ela). Festejando o que? Não respondam eu digo, vocês estão comemorando mais um dia enganando a idiota aqui (a ruiva aponta para si). Devo dizer que estão de parabéns, pois continuam me enganando muito bem, vocês até sumiram com Denise. Eu fui atrás dela e ela não estava em casa, vocês sumiram com Denise porque sabiam que eu ia atrás dela (Dulce passou a mão no rosto exausta). Mais tudo bem eu vou saber da verdade custe o que custar, e não vai ser você (ela aponta a mãe) e nem você (ela aponta o pai também) que vão me impedir e quando eu descobrir, eu espero sinceramente que não me venham dizer que foi para o meu bem, que só quiseram me proteger, que iam me contar porque eu sei que é mais um mentira, mais frases para me enganar (os dois já choravam por ver o mal que causavam a filha por mentir em todos esses anos). Não faço ideia do que seja, mas pela sua cara de apavorada hoje Blanca deve ser algo muito grave (Christopher se levantou e se aproximou da namorada que olhava irada em direção à mãe). A Denise sabe, eu sei que sabe.
Chris (ele abraça a namorada e tenta leva - lá ao quarto): Bebê vamos deitar.  
Dul (ela se solta dele): Não, eu não terminei de falar.      
Chris (ele tenta pega - lá novamente): Bebê, por favor, vem comigo.
Dul (a ruiva bate nos braços dele se afastando): Já disse que não Christopher (Dulce olhou a mãe, caminhou em direção a ela e em seguida se ajoelhou) Mamita, por favor, se me ama como diz que ama me diga a verdade. Te suplico que diga a verdade, eu preciso saber (Blanca olhando o desespero da filha chorou mais ainda, mas nada respondeu despertando mais raiva em Dulce que se levantou do chão e mirou a todos transtornada). Não me amas, ninguém aqui me ama porque todos estão do seu lado, não me ajudam, não me dizem a verdade. Odeio vocês, todos vocês (Dulce começou a derrubar tudo o que via na mesa, Blanca tentou abraçar a filha, mais Dul afastou lhe dando um leve empurrão) Não me toque, não chega perto de mim.  

Christopher chegou perto da namorada e a abraçou forte, Dulce tentou se esquivar o empurrando, mas ele se manteve firme, a ruiva cansou de lutar contra o namorado e caiu em prantos pela primeira vez, Blanca se aproximou da filha tremula e lhe afagando as costas, Dul levantou a cabeça e olhou a mãe com os olhos cheios de raiva e em seguida gritou te odeio sai daqui, sai de perto mim. A mãe da ruiva estremeceu com o grito de pura dor da filha, em seguida deu de cara com Chris que se segurava para não chorar, o loiro olhou a todos e sussurrou um, por favor, vão embora, Dulce estremeceu abraçada a ele chorando tão forte que o corpo dela tremia entre os braços dele. Alexandra e Luís levaram todos a porta inclusive á família deles, os dois despediram - se de um por um, os filhos do casal saíram primeiro, Ale consolou Blanca que estava arrasada pelo acontecido e o esposo consolava a Fernando, Claudia era consolada pelo noivo assim que Fernando se sentiu mais calmo resolveu ir embora para casa, mas antes Blanca pediu para falar com o genro. Alexandra entrou em casa, e só se escutava o choro de Dulce e os sussurros de Christopher na tentativa de acalmar a namorada, os dois continuavam na sala de jantar em pé em meio a pratos e copos quebrados espalhados pelo chão, tigelas, talheres espalhados pela mesa, ele tentou em vão tira - lá dali mais Dul não se moveu um só centímetro.          

Ale (ele chega perto de Dulce e Christopher): Filho estão querendo falar com você lá fora, eu fico com a Dul enquanto você vai lá.
Chris (o loiro suspira): Está bem mais antes quero sentar a mocinha lá no sofá (ele piscou para mãe para que o ajudasse).

Os dois sentaram Dulce no sofá e Christopher foi falar com os sogros, Alexandra tirou a sandália da ruiva que não parava de chorar um só minuto, mas ao escutar a voz dos pais do lado de fora, a fisionomia dela mudou e se tornou dura, Ale ainda tentou segurar a nora ali, mas quando deu por si Dul já estava gritando com os pais, os mandando embora dali.  

Dul (ela suspira soluçando): Vão embora daqui seus mentirosos, eu odeio vocês saiam daqui agora (Dulce empurrou a mãe que bateu de leve no carro de Luís que estava estacionado logo atrás, a senhora então acabou caindo de joelhos no chão, a ruiva olhou em volta aos prantos e entre soluços falou). Eu empurrei minha própria mãe tudo por causa de uma mentira, seus monstros. Se não saírem eu mesma saio, eu não aguento mais respirar o mesmo ar que vocês. Estão me sufocando, me matando por dentro pouco a pouco.    

Christopher segurou a namorada por atrás segurando pela cintura, ele carregou Dulce de volta para casa enquanto a mesma esperneava pedindo para soltar, pois ela queria falar mais algumas verdades, Chris ignorou os pedidos dela e a levou para o quarto, trancou a porta, e em seguida colocou a namorada sentada na cama, ele tirou a roupa dela e a deixou somente de calcinha.  

Chris (o loiro pega a mochila da namorada tirando o pijama e o paninho dela): Vamos vestir o pijama para dormi (ela fez que não). Por que não? Sei que está cansadinha (ele pegou a blusa do pijama para vesti - lá, mas Dulce não aceitou e empurrou a mão dele para longe dela). Vou ligar o ar condicionado para gente dormi com o quarto bem geladinho (Christopher tentou mais uma vez mais ela não quis o empurrando novamente dessa vez arrancou a blusa da mão dele e jogou a mesma no chão).  
Dul (chorosa): Joga no lixo Chris, por favor, não quero vestir isso
Chris (ele suspira sem entender): Como assim no lixo Bebê? Esse pijama é novo. Quer dormir só de calcinha é isso? (ela negou esfregando os olhos). O que quer então diz para mim?
Dul (soluçando): O mentiroso me deu não quero vestir, não quero.  

Christopher entendeu o que ela quis dizer e suspirou assentindo, o loiro deixou o pijama de lado e pegou um blusão para que Dulce pudesse vestir. Logo Dul estava vestida e deitada de bruços na cama abraçada com o paninho sem deixar de chorar um só instante, Chris deitou ao lado dela, depois de tirar a roupa e colocar uma cueca samba canção. A família da ruiva pediu a Alexandra que pedisse ao filho que aparecesse na casa deles assim que possível, ela assentiu e eles foram embora, os pais de Christopher fecharam tudo e seguiram para o quarto do filho, eles bateram de leve e esperaram que o mesmo atendesse o que não demorou muito.    

Chris (ele abriu a porta e olhou os pais): Oi (o quarto estava na penumbra somente a luz fraca do abajur iluminando).
Ale (ela suspira): Oi filho. Dormiu?
Chris (o loiro olha para namorada e voltou a olhar os pais): Ainda não, ela está um pouco agitada mais daqui a pouco dorme. Eles foram embora?
Luís (ele suspira): Foram sim filho, a sua sogra pediu que fosse lá á casa dela amanhã de manhã.
Chris (ele suspira): Está bem amanhã assim que eu acordar passo lá (Dul sentou na cama vendo tudo meio embaçado e em meio aos soluços chamou por ele, Christopher não conseguiu deixar de sorrir aos pais diante da manha da namorada). Estou aqui Bebê. O que foi?  
Dul (ela suspira em meio soluços sentidos): Estou com sede.  
Chris (ele suspira): Vou buscar água para você fica quietinha que eu já volto (Dulce assentiu e ele virou para os pais). Quer água vou buscar lá embaixo (o loiro sai do quarto e fecha a porta).
Ale (ela suspira): Eu pego para ela.
Chris (o loiro suspira): Obrigado mãe (ele deu um beijo na mãe). Vou voltar para o quarto então não quero deixar ela sozinha. Boa noite pai (ele deu um beijo no pai também).  
Luís (ele suspira): Boa noite filho, eu vou me deitar também. Te espero no quarto Ale (ele deu um beijo a esposa).
Ale (ela suspira): Já estou indo, eu vou só buscar a água da minha nora já volto filho (Christopher entrou no quarto dele, Luís seguiu para o quarto dele e da esposa e Alexandra desceu para cozinha).    

Alexandra buscou água para nora na cozinha e logo batia na porta do quarto do filho, Christopher de dentro do quarto avisou a mãe que ela podia entrar. Assim que Ale entrou viu seu filho sentado na cama e Dul no colo dele soluçando e pedindo para ajuda - lá a encontrar a verdade, as palavras dela lhe atingiram como uma flecha em seu peito vendo sua nora caçula pedindo que lhe ajudasse. Aquilo era de mais para ela desde que conheceu Dulce antes mesmo de namorar seu filho, no inicio do RBD de cara se apegou aquela criatura que do nada se tornou ruiva e conseguiu ficar mais fofa do que já era, mesmo na época seu filho namorando Anahí e já conhecendo a mesma por muito mais tempo, o amor, o apego que sentia por aquela ruiva, meiga e tímida era algo muito especial, a considerava como uma filha que não teve, e quando aos poucos foi percebendo que seu caçula amava Dulce, seu coração se encheu de alegria, e sentiu que sua família agora encontrava completa, Alexandra estava tão perdida em seus pensamentos que não escutou o filho lhe chamar por três vezes, quando se deu conta só escutou a gargalhada do filho e assim que voltou a si se deparou com um sorriso tímido de Dul, que a fez ganhar o dia, a senhora sorriu aos dois e finalmente falou algo.

Ale (sorri): Desculpa me distrai.
Chris (rindo): Percebemos. No que pensava?          
Ale (sorrindo): Nada de mais, eu só estava pensando em como fazem um casal lindo. Trouxe sua água Bebê (a senhora dá o copo de água a Dul).
Dul (tímida): Obrigada.
Ale (sorrindo): De nada Bebê. Agora para cama os dois. Amanhã tem que acordar que horas?
Chris (sorrindo): A hora que quisermos estamos de folga.
Ale: (sorrindo) Está bem, eu vou deixar vocês dormirem o tempo que quiserem. Boa noite.
Chris (sorrindo): Boa noite mãe (ele deita na cama).
Dul (ela suspira): Boa noite Ale (Alexandra saiu do quarto e seguiu para o seu onde Luís a esperava). Boa noite Chris (ela deitou sobe o peito do namorado junto com seu paninho se aconchegando para dormir).
Chris (ele suspira): Boa noite Bebê.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Ago 26, 2017 8:30 pm

Christopher viu Dulce de olhos fechados e fechou os seus também, o loiro suspirou cansado que dia foi aquele, quando a encontrou aos prantos na porta de casa, a primeira coisa que lhe veio à cabeça era que Dulce tinha descoberto que Pedro era o seu pai, seu coração ficou apertado batendo a mil por hora, ele sentiu medo da reação da namorada, o mesmo receio quando ela descobriu que era adotada, mas a voz de Claudia ao telefone lhe dizendo que não era o que pensava o tranquilizou somente por hora porque o que se passou ao longo do dia o preocupou imensamente. A reação de Dulce o assustou, ele nunca tinha visto sua Bebê tão revoltada mais ao mesmo tempo tão assustada, o loiro já quase dormia, mas despertou com um choramingo e um pedido de ajuda, ele abriu os olhos e deu de cara com a namorada sentada na cama.        

Chris (ele suspira sonolento): Que foi Bebê?
Dul (ela suspira bêbada): Quero que me ajude.
Ucker (ele senta na cama): Ajudar em que Bebê?
Dul (ela fala agitada): A procurar a verdade. Eu sei que estão me escondendo alguma coisa. Me ajuda Chris, por favor, preciso descobrir o que me escondem.
Chris (ele fingiu que não escutou para não ter que mentir também): Bebê vamos tentar dormir agora. Amanhã conversamos sobre isso está bem?
Dul (ela fala irritada): Nãooooooo. Por que não quer me ajudar Christopher? (a ruiva começou a chorar sentida).
Chris (ele suspira): Não é que não queira te ajudar Bebê, é só que está muito tarde vem nanar (o loiro estendeu a mão para ela que fez sinal que não queria).

Dulce levantou cambaleando da cama resmungando dizendo que ia descobrir sozinha a verdade já que nem Chapolim colorado podia ajuda – lá. Nessa hora Christopher não se aguentou e caiu na gargalhada, mas parou no exato momento que a viu com uma cara de dar medo.

Dul (ela grita irritada): Não ri de mim Christopher quer saber, eu vou embora (a ruiva sai do quarto).
Chris (ele suspira): Dulce espera. Aonde vai uma hora dessas? Já é tarde sabia? (o loiro sai atrás dela).
Dul (ela suspira irritada): Grande merda (a ruiva procura as chaves pela sala). Cadê a chave do meu carro?
Chris (ele suspira): Não sei Dul (o loiro senta no sofá).
Dul (ela grita irritada novamente): Não estou brincando Christopher. Cadê a chave?

Alexandra escuta os gritos de Dulce, a senhora desce para ver o que está acontecendo e da de cara com a nora vermelha de raiva e o filho sentado no sofá sem saber o que fazer para acalmar os ânimos da namorada.

Ale (seria): O que está acontecendo?
Dul (ela reclamou chorosa): Ele pegou minha chave e não quer devolver.
Ale (seria): Christopher Alexander Luis Casillas von Uckermann está implicando com a minha caçulinha? (ela piscou para filho que sorriu). Que coisa feia. Anda vai procurar a chave da Bebê e só me apareça aqui quando achar.
Dul (ela coçando os olhos emburrada com ele): Bem feito idiota (ele saiu se segurando para não gargalhar).
Ale (ela fala carinhosa com Dulce): Pronto agora fica calma vamos sentar e esperar o rapazinho achar chave (a senhora chama a nora para sentar ao lado dela). Encosta aqui Bebê (ela conseguiu que a nora encostasse a cabeça em seu ombro e depois que apoiasse a cabeça em seu colo).  

Aos poucos Alexandra foi conseguindo acalmar Dulce com carinhos sob os olhos, sob a testa e sob a ponta da orelha, no começo ela tentou resistir, pois queria achar a chave, mas com jeitinho Ale foi acalmando a ruiva e a mesma acabou se deixando ser acarinhada. Alguns longos minutos depois Dul adormeceu exausta no sofá, a mãe de Christopher suspirou e agradeceu a Deus por a nora em fim ter adormecido, pois estava cansada e preocupada. Alexandra suspirou aflita ao relembrar de Dulce aos prantos a minutos atrás devido a decisões erradas de seus pais tanto biológicos como os adotivos a maltratava e a preocupava a cada dia mais, a senhora reconhecia que nenhum dos três eram culpado, na verdade todos eram vitimas dessa historia de amor de pais e filhos , onde o mais importante para um pai e uma mãe era seu filho (a) bem e feliz. Ale tinha consciência de que não se podia julgar, pois não estava na pele de nenhum dos três na hora que tiveram que tomar as decisões mais importantes de suas vidas. Pedro era um pai exemplar aos seus filhos, Dudu mesmo de longe tinha o amor do pai e todo o carinho que ele podia lhe proporcionar, os dois juntos então era uma coisa linda de se ver. Julia também era a razão de viver do pai e na época era por quem ele lutava para tentar lhe dar de novo a vida. Dulce era sua caçula, seu pingo de gente que em um momento de desespero, de angustia acabou por entregar sua filha a um casal que nem conhecia em um restaurante. Alexandra suspirou e se Pedro tivesse entregado Dulce a Ângela, a senhora olhou a linda nora que tinha em seu colo e analisou talvez ela não se tornasse a pessoa tão especial que era (ela passou a mão no rosto de Dulce). Blanca e Fernando eram pessoas excepcionais e pais ainda mais especiais, à prova era que tinham duas filhas ótimas, e uma caçula que era a pessoa mais fofa e especial que conhecia, a filha de coração dos dois e dela também porque era mais do que namorada de seu filho era uma filha que nunca teve.

Christopher encontrava – se na cozinha desde a hora que saiu para “procurar” a chave de Dulce, o loiro suspirou cansado torcendo para que a mãe tivesse conseguido acalmar a namorada, a briga com Blanca e o álcool estavam deixando a mesma impossível hoje, ele estava vendo a hora que ia ter que por ela de baixo do chuveiro. Chris suspirou novamente se dando conta que estava tudo no mais perfeito silêncio, ele levantou da cadeira e saiu devagarzinho para sala, o loiro encontrou a mãe sussurrando uma canção de ninar que cantava para ele quando era pequeno e Dulce adormecida no colo dela. Christopher então chamou pela mãe, sorriu a ela, á beijou e em fim falou.  

Chris (serio): Que dia mãe nunca tive tanto medo, eu achei que ela já sabia tudo (Christopher sentou do lado mãe no lado oposto onde Dulce estava). Não sei se vou suportar ver esses olhos que tanto amo tão tristes como hoje.
Ale (a senhora passa a mão no rosto do filho): Sinto te informar mais esse momento está cada vez mais perto, e ela vai precisar muito de todos nos filho, principalmente de você.
Chris (serio): Por que diz isso mãe?
Ale (seria): Filho, a Denise procurou a Bebê hoje e acabou fazendo uma confusão danada na casa da sua sogra, que acabou por fazer a Dul brigar com a mãe, por isso ela chegou mais cedo daquele jeito. Blanca ligou para o Pedro informando o ocorrido e ele decidiu que vai contar tudo a filha antes que ela saiba pela prima.
Chris (serio): Quando vai ser isso? Quero está por perto para ajudar a Bebê quando Pedro for conversar com ela.
Ale (seria): Assim que voltar de viagem, ele vai ligar para Blanca e marcar um local para conversarem com a Bebê.
Chris (serio): Ah é verdade, Pedro vai viajar mesmo, amanhã se não me engano (Alexandra assentiu).
Ale (seria): Que Deus nos ajude e proteja esse anjinho ruivo ( a senhora passou a mão no cabelo da ruiva). Agora vamos dormir também já está tarde.                    
Chris (serio): Vamos sim. Estou exausto parece que dancei dez shows seguidos (Christopher pegou a namorada no colo e começou a caminhar para o quarto).  
Ale (seria): Normal está tenso, eu vou deixar que descansem bastante amanhã já que estão de folga (Alexandra e Christopher chegam no quarto).
Chris (ele deita a namorada na cama com cuidado): Não quero dormir muito preciso conversar com Blanca, ela quer falar comigo esqueceu (o loiro cobriu a mesma e voltou para olhar a mãe). Eu quero conversar com Blanca e voltar para casa antes da Bebê acordar.  
Ale (seria): Verdade. É melhor mesmo quando ela acordar te veja aqui. Bom filho boa noite qualquer coisa me chama (ela deu um beijo no filho e em seguida na nora).
Chris (serio): Boa noite mãe pode deixar que te chamo sim. Até amanhã.
Ale (seria): Até amanhã.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Set 09, 2017 8:30 pm

No outro dia Christopher como comentou com sua mãe bateu na casa da sogra e se inteirou de toda a situação, da briga que Dulce e Blanca tiveram devido aos malditos bilhetes que fizeram ele mesmo ter uma discussão com ela, no dia da estreia do seriado, fato que os dois ao longo do dia conversaram e que a ruiva acabou por pedir desculpas por ter brigado com ele por causa das duas mulheres, que no final das contas eram jornalistas. Chris também ficou sabendo da conversa da sogra com o Pedro confirmando o que sua mãe havia lhe falado ontem de madrugada. Quando o loiro voltou para casa na hora do almoço Dulce tinha acabado de acordar com uma ressaca de dar dó, sua mãe deu a ela um remédio para dor de cabeça e a ruiva estava deitada esperando o almoço, que Alexandra já deixará claro que ela ia comer sem reclamações, Chris sorriu a mãe quando ela disse isso a Dul enquanto ele entrava no quarto. Ao longo do dia Dulce lembrou da briga com a mãe, o que lhe deixou com raiva, a ruiva prometeu a si mesma que ia descobrir a verdade, ela recordou também do estrago que havia feito na louça da sogra, e pediu mil desculpas a mesma prometendo comprar um conjunto novinho, o que foi motivo de discussão entre elas, pois Alexandra não queria aceitar no fim das contas, a Ale aceitou que a ruiva pagasse metade do preço da louça jantar para alivio de Dul.

Dulce Maria para surpresa de todos voltou para casa na segunda-feira à noite, mas não deu muito conversa a ninguém, ela só falava o trivial com os pais e quando não estava trabalhando se encontrava no quarto. Na terça-feira ela passou a manhã aos cuidados da marca de tinta, o qual tinha contrato, e o restante do dia fez fotografias e o comercial da tinta de cabelo, que acabou se estendendo até o final da noite. Quarta-feira passou o dia ensaiando para a apresentação que teriam na festa da rádio Exa que aconteceu na quinta-feira à noite, onde cantaram Celestial, Rebelde e Trás de mi e na sexta ensaiaram para os shows do final de semana nas cidades de Monterrey e Guadalajara. Como prometido Dulce tentou descobrir o que tanto escondiam dela, mas não obteve muito sucesso, pois não achou nenhum papel, foto, bilhete que pudesse ajuda- lá a obter informações que dissessem o que os pais escondiam, ela procurou por toda a casa, mas nada achou. Dul tentou falar com a prima, mas toda vez que ligava ou aparecia, ela nunca encontrava – se em casa ou podia atender, a ruiva só conseguiu falar com Denise um dia, ela lhe falou que faltava somente checar uma informação e que ia entregar o dossiê na próxima semana, Dul que nada podia fazer somente esperar assentiu e avisou que estava esperando que ela entregasse as informações, e quando tivesse tudo pronto que avisasse para as duas se encontrarem. Pedro passou os três primeiros dias viajando fechando shows do RBD em alguns países, ele chegou na quarta-feira no começo da noite direto para uma reunião com o pessoal da televisa, seguida de uma reunião com Guido o produtor musical da banda, o resto da semana Pedro tentou marcar um dia para contar toda a verdade a filha, mas os compromissos do RBD lhe impediram de fazer isso. A família de Dulce e amigos passaram a semana na expectativa de que Pedro contasse a verdade a Bebê da família e da turma, mas infelizmente não foi isso que ocorreu deixando todos frustrados, fora isso a semana foi normal para todos com muito trabalho.

6 de fevereiro – Segunda-feira

Anahí, Maite, Alfonso, Christian, Christopher e Dulce chegaram de Guadalajara na hora do almoço direto para a Televisa para iniciar gravação do quinto capítulo do RBD La Família, eles estavam todos cansados da semana puxada que tiveram terminando com os dois shows no final de semana. Dulce então era a mais cansada, pois o tempo que ficava sem compromisso com a banda estava atrás de descobrir o que os pais escondiam dela. Any, Mai, Poncho, Pollito, Chris e Dul gravaram até às 5 horas da tarde, Pedro então resolveu dar um descanso aos seis de uma hora e meia para depois retomar as gravações, todos se reuniram no camarim feminino e começaram a bater um papo animado, mas logo Alfonso reclamou de fome e decidiram por irem comer afinal daqui a pouco retomariam ao trabalho. Christopher já ia levantar do sofá quando foi avisado por Maite que Dulce estava dormindo escorada nele, o namorado da ruiva saiu todo cuidadoso do sofá e todos saíram rumo à lanchonete. Assim que os cinco saíram à ruiva acordou olhando em volta não vendo ninguém, ela então checou as horas no celular eram 18h10 talvez estivessem todos lanchando para voltar à gravação e era isso que ela ia fazer também, Dul deu uma arrumada básica na roupa olhando no espelho e saiu para a lanchonete perto do set de filmagem onde seus amigos costumavam ir para ganhar tempo para comer com calma e também para ser fácil do pessoal acha- lós. Quando Dulce chegou à cantina, ela não viu seus amigos por ali, mas como estava perto de voltar ao trabalho resolveu ficar por ali mesmo e acabou pedindo um hambúrguer com coca - cola, logo o pedido ficou pronto e a ruiva começou a comer enquanto assistia televisão, no momento passava o La Oreja, o programa se encontrava no intervalo, mas logo voltou do reclame e Dul começou a prestar atenção.        

O apresentador disse que tinha recebido uma informação gravíssima que com certeza seria a bomba do ano no mundo da televisão. Para segurar a audiência ele ficou enrolando e conversando com as demais apresentadoras fazendo suspense, o programa chegou a ir para o intervalo enrolando um pouco a fim de segurar um pouco sua audiência. Ao retornar o programa passou uma reportagem e os apresentadores conversaram sobre a mesma, após alguns minutos de “discussão” sobre o tema o apresentador encerrou o assunto e voltou a falar sobre a grande revelação ainda enrolando seus espectadores.

Dulce que assistia ao programa enquanto comia seu lanche também já estava curiosa sobre o que seria essa fofoca do ano, o apresentador então falou que era sobre um dos integrantes do grupo RBD e seguiu para mais um intervalo a fim de gerar mais suspense e expectativa. A ruiva ao escutar que a fofoca dizia respeito a um dos integrantes do RBD ficou apreensiva e com um aperto no coração, ela suspirou angustiada com a sensação de que algo de ruim estivesse para acontecer, Dul nem comer comia mais, ela não tirava os olhos do aparelho de televisão à espera da informação. Ao voltar do intervalo comercial mais uma vez o apresentador enrolou mais um pouco, mas enfim disse que ia falar:

Adal (apresentador) Bom hoje aqui na Televisa chegou em nossas mãos um envelope com vários indícios sobre uma questão muito pessoal da vida de um dos integrantes da banda RBD, como é um assunto delicado e muito sério, obviamente fomos investigar sobre seu conteúdo, tudo foi checado e realmente confirmado não há nenhuma possibilidade de não ser verídico esse fato.
Mônica (apresentadora) Mais sobre qual dos RBD'S é a informação???
Adal (apresentador) Sobre a cantora Dulce Maria

Dulce nervosa começou a sentir seu coração acelerar, suas mãos tremerem e suas lágrimas caírem de seus olhos á espera do pior.

Mônica (apresentadora) Então nos conte de uma vez o que é essa revelação bombástica.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Set 09, 2017 8:32 pm

O apresentador vai até a mesa pega o envelope que continha algumas cartas e uma cópia da certidão de nascimento.

Adal (apresentador): Bom como já mencionei a vocês a informação foi checada por nossos produtores. Como podem ver estes papéis aqui revela que o produtor musical da banda internacional RBD, é o pai biológico da cantora DULCE MARIA (zoom nos papéis mostrando bem a certidão de nascimento da ruiva).
http://br.youtube.com/watch?v=XwszX6f3Crg

Bring Me To Life
Traga-me para a vida

Como você pode ver através de meus olhos
como portas abertas?
Conduzindo você até meu interior
onde eu me tornei tão entorpecida

Sem uma alma
Meu espirito dorme em algum lugar frio
até que você o encontre
e o leve de volta pra casa

(acorde-me)
Acorde-me por dentro
(Eu não consigo acordar)
Acorde-me por dentro
(salve-me)
Me chame e salve-me da escuridão
(acorde-me)
Obrigue meu sangue a fluir
(eu não consigo acordar)
antes que eu me desfaça
(salve-me)
salve-me do nada que eu me tornei

Agora que eu sei o que eu não tenho
Você não pode simplesmente me deixar
Respire através de mim me faça real
Traga-me para a vida

(acorde-me)
Acorde-me por dentro
(Eu não consigo acordar)
Acorde-me por dentro
(salve-me)
Me chame e me salve-me da escuridão
(acorde-me)
Obrigue meu sangue a fluir
(eu não consigo acordar)
antes que eu me desfaça
(salve-me)
salve-me do nada que eu me tornei

Congelada por dentro
sem o seu toque
sem o amor, querido
só você é a vida entre os mortos

Todo esse tempo
Eu não posso acreditar que eu não pude ver
Me mantive no escuro mas você estava lá na minha frente
Eu tenho dormido há 1000 anos
parece que eu tenho que abrir meus olhos para tudo
Sem um pensamento
Sem uma voz
sem uma alma
Não me deixe morrer aqui/deve haver algo a mais
Traga-me para a vida

(acorde-me)
Acorde-me por dentro
(Eu não consigo acordar)
Acorde-me por dentro
(salve-me)
Me chame e me salve-me da escuridão
(acorde-me)
Obrigue meu sangue a fluir
(eu não consigo acordar)
antes que eu me desfaça
(salve-me)
salve-me do nada que eu me tornei

Dulce que encontrava - se sentada quase cai pra trás ao ver o que a televisão mostrava, a ruiva ficou pálida ao ver o nome de Pedro Damián como seu pai biológico, ela balançou a cabeça deixando em fim as primeiras lágrimas caírem em rosto rogando para si mesma para aquilo tudo ser mentira. De repente um filme com cenas dela e de Pedro começaram a passar em sua mente, cenas desde que se conheceram até os dias atuais, Dul suspirou impactada agora tudo fazia sentido os cuidados de Pedro com ela e os momentos de atenção que ele lhe dedicava eram completamente distintos aos que dava aos demais. Os pensamentos e constatações foram sendo feitas em sua linha de raciocínio, e tudo passou a fazer sentido e a se encaixar diante de si. A ruiva com o rosto banhado em lágrimas sentiu – se observada, ela suspirou olhando em volta como se todos apontassem para ela e meio atordoada começou a andar pelos corredores da Televisa. Quando Dulce deu por si estava em frente ao escritório do Pedro, ela entrou na sala se deparando com a secretaria dele, a senhora Valéria, que atendia mil e uma ligações de pessoas querendo falar com Pedro Damián, a respeito da bomba que tinha acabado de ser noticiada, eram jornalistas, empresários ligados ao RBD, Ângela e Eduardo que queriam notícias dele e da ruiva. Dul passou voada pela secretaria e entrou com tudo no escritório do Pedro, mas para sua surpresa a sala estava vazia, a ruiva olhou em volta e começou a quebrar tudo que viu pela frente com raiva, outra vez sua vida estava escancarada para o mundo todo, ela queria acreditar que não era verdade, Pedro não podia ser seu pai, mas os fatos mostravam que sim ele era seu pai que lhe abandonou a vinte um anos atrás. Dulce suspirou desesperada sem conseguir mais conter o choro e caiu em prantos soluçando sem parar se sentindo humilhada e traída, a ruiva suspirou novamente uivando de raiva de Pedro Damián, dos pais e de todos que estavam mentindo para ela. Passado alguns minutos Dul conseguiu pensar com alguma clareza e resolveu procurar a única pessoa que poderia desmentir essa situação sua mãe, a ruiva então saiu correndo para o camarim, pegou sua mochila e seguiu para casa. Valéria assim que Dulce saiu do escritório de Pedro entrou na sala e viu tudo caído no chão, à senhora colocou a mão na boca horrorizada e tentou mais uma vez contatar o patrão, ela precisava avisá-lo da situação e do estado de Dulce, a menina não estava bem.

Enquanto isso Anahí, Maite, Alfonso, Christian se olhavam não querendo acreditar no que tinham acabado de escutar, Christopher saiu em disparada atrás da namorada rezando para encontra - lá dormindo no camarim alheia a tudo em um sono tranquilo, mas infelizmente não havia ninguém na sala, Chris passou a mão no rosto tentando pensar aonde ela podia ter ido, logo encontrou a resposta no escritório de Pedro. Quando chegou lá o loiro encontrou Valéria falando com Ângela ao telefone, ele passou direto e viu a sala toda destruída, na hora soube que Dulce tinha passado por ali, Christopher já saia para ir atrás da namorada, mas parou e ouviu a secretária falar ao telefone.

Valéria (ela suspira nervosa): Dona Ângela não consigo falar com senhor Pedro, eu preciso avisá-lo do que está acontecendo. Estou quase certa que ele não sabe de nada, a Dulce saiu daqui transtornada e tenho medo do que possa acontecer a menina.
Ângela (ela suspira nervosa): Vou ficar tentando falar com ele também, qualquer novidade te aviso (as duas desligaram o telefone e seguiram tentando falar com Pedro Damián).
Chris (o loiro passa a mão no rosto preocupado): Valéria faz tempo que a Dulce passou por aqui?
Valéria (a senhora responde enquanto discava mais uma vez o celular de Pedro): No máximo uns dez minutos.          

Christopher agradeceu a secretária e saiu rumo ao estúdio de gravação enquanto caminhava discou o número de Christian e pediu a ele que levasse as coisas dele para a saída do prédio da Televisa, que ele só atrás de Oso e já o alcançava, Pollito assentiu e fez exatamente o que o amigo pediu. Já Chris falou com o Oso e lhe pediu que o ajudasse a procurar Dulce, ele contou o que tinha acontecido ao amigo e os dois partiram para o estacionamento. Ao chegarem lá Christian lhe entregou a mochila e a carteira. Any, Poncho e Mai se aproximaram e Christopher explicou rapidamente a todos o que estava acontecendo, depois de explicar o que ocorria o loiro entrou no carro e saiu para procurar à namorada, Oso saiu logo atrás dele. Os quatro assim que viram o amigo sair em disparada atrás de Dulce ficaram sem saber o que fazer. Passados alguns minutos Alfonso e Christian acharam melhor todos irem para suas casas, Anahí e Maite não queriam ir, mas acabaram sendo convencidas pelos dois, pois no momento infelizmente eles não podiam fazer nada, todos então foram para suas casas prometendo avisar uns aos outros assim que tivessem alguma noticia da amiga.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Set 09, 2017 8:34 pm

Enquanto isso Dulce dirigia pelas ruas mexicanas em alta velocidade, ela chegou a quase bater em outros carros por três vezes, mas graças atenção dos outros motoristas nada aconteceu. Pedro finalmente foi localizado, Ângela lembrou que o marido ia à casa de Blanca para marcarem um dia para que pudessem contar a verdade para filha, mas suas esperanças acabaram quando ele falou com a esposa. Dul sabia de tudo e ninguém sabia onde ela estava no momento, e o pior o mundo sabia da história dela, Dulce Maria estava exposta para todos, o que só agravava mais ainda a situação que se encontravam. Damián contava tudo para Blanca quando Dulce entrou na garagem de casa fritando pneu, ela saiu do carro batendo a porta com força, a ruiva guardou a chave no bolso da calça e entrou em casa se deparando com Blanca e Pedro na sala, Dul antes de falar qualquer coisa começou a bater palmas para os dois que olhavam a filha sabendo que o momento havia chegado.

Dul (ela fala carregada de raiva): Eu venho inocentemente perguntar se por acaso o que eu acabo de ver na televisão (ela riu sarcasticamente) era mentira, ou alguma pegadinha de mau gosto que às vezes esses programas fazem com as pessoas, mas vendo os dois ai vejo que sim é verdade e que a única mentira que existe aqui (a ruiva falou gritando) sou eu, é minha vida.      
Blanca (ela fala nervosa): Filha nós íamos (Dulce cortou a mãe na hora).
Dul (ela grita): Chega, chega de mentiras Blanca.
Pedro (ele fala nervoso): Dulce filha me deixa explicar.
Dul (ela grita): Não, eu não sou sua filha não sou nada, nada sua (os olhos da ruiva soltavam faíscas). Não sou nada mais dessa senhora e nem de ninguém dessa merda de casa. Odeio todos vocês por todos esses anos de mentiras, de traição, de covardia porque é isso que são covardes, mentirosos, traíras (Blanca começou a chorar e Pedro ainda tentou mais uma vez falar com a filha).  
Pedro (ele suspira): Dulce não fale assim sua mãe não merece isso, ela sempre fez tudo por você.
Dul (ela grita): Não me importo o que pensa Pedro Damián, você é o mais baixo de todos e eu te odeio com todas as minhas forças.

Dulce subiu correndo as escadas rumo ao seu quarto não aguentando mais segurar o choro. A ruiva chegou ao quarto, pegou uma mala e começou a pegar suas coisas, ela nem olhava o que pegava de roupa seu desespero era tamanho que só jogava as peças dentro da mala. Dul não aguentando mais cai de joelhos no chão desesperada estava doendo demais, uma dor insuportável. Deus uma pessoa que admirava, um grande amigo, seu produtor, na verdade era seu pai. Dulce foi engatinhando até uma parede aonde tinha um mural com várias fotos suas, e nelas via toda sua evolução deste bebezinha até a fase adulta, todos os castings que participou, todos os comerciais que fez, todas as festas de família, parentes, comemorações tudo uma mentira porque Dulce Maria Saviñón era uma mentira. Com muita raiva Dulce começa a jogar tudo no chão e a rasgar as fotos uma por uma, porém ao ver uma foto aonde tinha todos eles reunidos juntos na praia seu coração se apertou para ela essa foto era muito especial.

Dul (ela soluça): Porque mentiram pra mim? Porque meu Deus o que eu fiz para merecer isso?

Enquanto isso Blanca ligava para o genro pedindo ajuda, alguém precisava acalmar sua filha, Christopher estava no meio da rua procurando à namorada, mas assim que recebeu a ligação da sogra correu para casa dela. Pedro ligou para Fernando e lhe contou o que estava acontecendo, Damián pediu que assim que possível voltasse para casa, o mesmo assentiu e na mesma hora saiu de sua empresa deixando alguns acionistas no meio de uma reunião de negócios, o senhor pediu a sua secretária que lhe pedisse desculpas e que depois marcaria outra reunião. Pedro ao desligar o telefone recebeu um telefonema da secretária lhe tudo o que estava acontecendo, depois à mesma perguntou o que ele queria que fizesse. Blanca após desligar o telefone viu o Damián ao celular e subiu ao quarto da filha para tentar conversar com ela, a senhora ao chegar à porta viu a ruiva no chão chorando desesperada com as fotos rasgadas aos seus pés e uma mala em cima da cama, Blanca não aguentou ver o desespero da sua filha, do seu anjinho e foi até ela.

Blanca (ela fala nervosa): Filha, por favor, não faz isso (a senhora via que ela tinha nas mãos uma das fotos que mais gostava, pois era o dia em que comemoravam o aniversário dela de 20 anos, em um tempo que não passaram está data juntos por causa de seus compromissos profissionais. Para Dulce foi um dia muito especial, eles comemoraram o aniversário dela quase um mês depois porque na época estava fazendo um show nos Estados Unidos).
Dul (ela fala soluçando): Não chega perto de mim, sai daqui! Você me enganou, me fez de idiota por 21 anos, eu te pedi a verdade e você ficou calada.
Blanca (chorando também): Filha não fala assim, por favor, Bebê tenta me entender.

Quando Blanca falou isso, Dulce ficou possessa, ela levantou do chão e começou a gritar.


Dul (ela grita): Entender? Você quer eu a entenda? Está bem vamos entender... Eu tenho 21 anos e fui enganada a vida toda, todos esses momentos destas fotos não existem (ela rasga as fotos que ainda restavam no mural) é tudo mentira porque a Dulce que está ai não existe, é uma farsa! Está vendo essa foto aqui (a ruiva mostra a do aniversário dela), esse dia foi uma grande mentira, todos os gestos e sorrisos desta data são de mentira (ela rasga a foto).
http://img224.imageshack.us/my.php?image=praiamx7.jpg

Blanca fica no chão chorando desesperada vendo toda a raiva e rancor que a filha demonstrava naquele momento, à senhora se sentia um "lixo" por ter causado tanto sofrimento a uma das pessoas que mais amava no mundo. Pedro que encontrava - se na sala ao ouvir os gritos da filha sobe até o quarto dela, ele se desespera ao ver a cena entre as duas e todas as fotos rasgadas, pois era tudo culpa sua se não tivesse sido covarde ao não contar a verdade quando Dudu lhe pediu nada disto estaria acontecendo, ele se aproximou de Blanca para ajudá-la a se levantar do chão enquanto Dulce arrumava sua mala.

Pedro (serio): Blanca, por favor, levante-se (ele ajuda amiga a levantar e a deixa chorar em seus braços).

avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Set 09, 2017 8:41 pm

Dulce fica com mais raiva ainda ao ver a cena, pois para ela aquilo tudo era encenação, eles queriam se passar por vitimas, mas pelo que ela saiba a vítima da história era ela, a ruiva não entendia o porquê de todo aquele teatro. Dul termina de arrumar suas coisas e fecha à mala, ela vai ao banheiro e pega algumas coisas de sua higiene pessoal e joga dentro de uma bolsa qualquer, já que o resto encontrava-se na mala que tinha no carro.

Dul (ela volta ao quarto e vê os dois ainda juntos): Podem parar com o teatro porque a palhaça aqui está saindo de cena. Nunca mais em toda a minha vida eu quero ver vocês (ela grita). Nunca mais! (a ruiva sai do quarto com suas coisas e desce quase que correndo pela escada).

Blanca viu que a filha caçula tinha esquecido na cama paninho de estimação dela, Dulce desde pequena só dormia com ele, sem o mesmo ela apenas descansava, a senhora pegou o paninho e foi correndo atrás da filha que já estava na porta quase saindo para área externa da casa. Pedro seguiu logo atrás dela.

Blanca (ela fala alto por está distante da filha): Bebê espera leva seu paninho, você só dorme com ele.

Dulce ao ouvir isso para e espera ela chegar, a senhora lhe entregar o lençol de estimação, a ruiva ao pegar o mesmo nas mãos começou a chorar mais desesperada ainda, ela olha no rosto de Blanca não acreditando no que acaba de ouvir e ri debochando.

Dul (ela suspira controlando o choro e fala seria e cheia de raiva): Você quer que eu leve o paninho?
Blanca (ela suspira nervosa): Leva Bebê, você só dorme com ele.
Dul (seria): Pois veja bem o que faço com seu maldito paninho (ela sentia tanta raiva naquele momento que rasga o paninho ao meio e em seguida grita): Você está vendo?
Blanca (a senhora chega perto dela e o toma de suas mãos): Não faz isso Bebê não rasga o paninho.
Dul (ela fala cheia de raiva): Para mim esse paninho não tem mais nenhum valor porque vocês conseguiram acabar com a Dulce que existia dentro de mim, ela morreu. A Dulce idiota e fraca não existe mais, eu nunca mais vou deixar ninguém me enganar e me fazer de boba, a partir de hoje nasce uma nova Dulce que nunca teve uma família, uma Dulce Maria que só pensa em si e que os outros que se fodam com suas vidas mesquinhas rodeadas de mentiras. A nova Dulce não precisa desta porcaria para dormir, a nova Dulce não precisa de nenhum de vocês (ela diz está última parte gritando). Espero nunca mais ver vocês na minha frente.

Pedro que olhava as duas vai até Blanca que parecia que estava prestes a desmaiar, o senhor segura Blanca pelos braços e a senta em uma cadeira que tinha por ali, Damián assustado com a agressividade da filha com a mãe se volta para falar com ela.

Pedro (serio): Espera Dulce, eu não permito que você fale assim da sua mãe. Blanca é sua mãe e merece respeito,
Dul (ela fala irritada): Ai senhor me dá paciência, Pedro Damián escuta aqui, você não manda em mim, você não é nada meu está ouvindo nada!!! Você não é e nunca vai ser meu pai porque o senhor perdeu este direito ao me deixar com desconhecidos, e ao não me dar o amor que um pai dá aos seus filhos.
Pedro (serio): Não foi bem assim que as coisas aconteceram Dulce deixa eu te explicar.
Dul (seria): Você não vai me explicar nada, você teve 21 anos para isso e não fez agora eu não quero mais ouvir. Só me diz uma coisa?
Pedro (serio): Fala.
Dul (seria): Porque não me quis? O que foi que eu fiz a você para me jogar fora como um animal asqueroso hein? Que culpa eu tive ao nascer? Eu não pedi por isso.

Pedro Damián fica calado sem saber o que responder, pois estava muito triste com os pensamentos que a filha tinha a seu respeito, o senhor ficou quieto, pois ele a amava muito e nunca quis se desfazer dela, Pedro só teve medo de não cuidar dela direto e lhe dar o amor suficiente que a sua bebezinha tanto precisava, por isso acabou dando a filha caçula a Blanca e Fernando.

Dul (ela suspira se controlando para não chorar): Não responde não é? Porque é tudo verdade! Odeio vocês, odeio!!

Dulce saiu rumo ao carro dela, a ruiva jogou suas coisas banco de atrás no carro e entrou no banco do motorista deixando a mãe e seu pai biológico aos prantos por estarem fazendo a filha sofrer tanto e temendo nunca mais ter ela de volta tamanha magoa que viu nos olhos sofridos dela, Dul ligou o carro e se dirigiu a saída, Dulce ao abrir o portão da garagem vê um monte de câmeras e repórteres vindo até ela.

Repórter 1: Dulce, por favor, uma declaração.
Dul (seria) Eu não tenho nada a dizer.
Repórter 1: Como você se senti sendo a filha do dono do RBD??
Dulce: Eu já disse que não tenho nada a dizer, você não ouviu.
Repórter 2: Dulce mais agora você também será dona do grupo,. Como será o seu tratamento com seu pai?
Dul (a ruiva ao ouvir aquilo fica irada de raiva e responde gritando): Eu já disse que não quero falar caramba. Será que nem neste momento vocês me deixam em paz hein? Será que todo o meu sofrimento já não é o bastante? Será que toda a mentira da minha vida não alegram vocês? Afinal vocês terão trabalho para ano todo né? Agora vocês terão muitas matérias a fazer sobre a Dulce a enganada, a enjeitada, a Dulce órfã.

Todos os repórteres e cinegrafistas que estavam presentes ficaram chocados com a resposta da ruiva, pois ela sempre os tratou bem apesar de tudo e o que viam de ante deles era uma menina triste e revoltada, por isso eles a deixam passar e não perguntam mais nada.

Dul (a ruiva se vira pra eles dizendo): Podem parar eu não preciso da pena de vocês, eu não preciso de ninguém estão ouvindo (ela grita) de ninguém!!! Só mais uma coisa estou fora da RBD essa banda para mim morreu, eu nunca mais cantarei ali, nunca mais!!!

Dulce não aguentava mais e desabou no volante chorando partindo ainda mais o coração de todos que assistiam à cena, ela passou a mão no rosto enxugando as lágrimas e dizendo a si mesma que não ia mais chorar por eles, pois os mesmos não mereciam mais nenhuma uma lágrima sua, a ruiva sufocou um soluço e suspirou fundo se esforçando para parar de chorar, ela passou a marcha do carro e pisou fundo saindo dali. Christopher dirigia rumo à casa da sogra quando viu o carro da namorada passando a mil por ele, Chris imediatamente deu meia volta e começou a segui - lá, a ruiva dirigia pisando fundo passando pelos carros a ponto de bater neles, o loiro estava com o coração na mão andando atrás dela.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Set 09, 2017 8:44 pm

Enquanto isso os jornalistas ali presentes se tocaram do portão aberto e entraram para tentar pegar alguma declaração da família da ruiva. Ao chegarem lá se depararam com Pedro, o que foi um prato cheio para eles, os jornalistas começaram a fazer mil e uma perguntas, mas os dois se limitaram a responder somente o que tinha ido à tona pela televisão. A mídia não sabia da história em si e nem saberiam até que Pedro conversasse com a filha e lhe contasse porque tinha tomado àquela atitude de deixa - lá com Blanca e Fernando, os dois ficaram por ali respondendo mais algumas perguntas, mas logo Claudia e Fernando chegaram e tiraram todos dali para que pudessem acalmar Blanca e Pedro e também para saberem das coisas. Dulce só parou de dirigir quando chegou ao seu prédio para alivio do namorado, que já estacionava o carro na primeira vaga que encontrou em frente à casa dela enquanto Dul entrava na garagem e colocava o carro na vaga destinada ao apartamento da mesma. Christopher assim que saiu do carro foi logo entrando no prédio, o loiro foi diretamente a garagem encontrando a namorada tirando as malas do carro, ela o viu ao seu lado pegando uma mala, ele a pegou pela mão e levou a mesma até a porta do elevador, Chris deixou a namorada ali e voltou para pegar a outra mala. Assim que voltou para perto da namorada, Christopher encontrou o elevador parado no local, os dois então entraram no elevador sem dar uma palavra, ele queria deixar sua Bebê a vontade não queria pressiona – lá pelo menos naquele momento. Ao chegar ao andar dela, os dois saíram e Dul procurou as chaves do apartamento dela e não achou, a ruiva chutou a porta dizendo mil e um palavrões deslizando na porta e caindo no choro, ela não queria voltar para casa dos pais.

Chris (ele levantou o rosto da amorada para se olharem nos olhos): O que foi Bebê?
Dul (ela respondeu em um sussurro em meio a um soluço): A chave, eu esqueci e agora Chris? Eu não quero, não posso mais voltar lá.  
Chris (o loiro se abaixa para ficar na altura dela): Shiii tudo bem (ele enxuga as lágrimas dela). Vou cuidar disso está bem? (ela assentiu e escondeu o rosto entre os braços).

Christopher beijou a cabeça dela e levantou discando o celular de Ivalu, o loiro sabia que ela não estava em casa, pois perguntou ao porteiro antes de entrar, após o quinto toque a mesma atendeu um pouco agitada.

Ivi (ela suspira nervosa): Chris meu Deus o que está acontecendo? Dudu me ligou mais de dez vezes, minha mãe a mesma coisa. Eu estava em uma reunião e acabei deixando o celular na minha mesa.
Chris (ele olha a namorada encolhida em frente à porta): Ivi, eu preciso de sua ajuda (o loiro caminhou para longe da namorada mexendo nos enfeites da parede do lado do apartamento da amiga). Só escuta, depois conversamos sobre isso (Ivalu assentiu e ele seguiu falando agora dois tons de voz abaixo do normal). A Bebê descobriu tudo da pior forma possível, ela saiu de casa e esqueceu as chaves no quarto (Christopher aumentou o tom de voz). Preciso que vá à casa de Blanca e pegue as chaves do apartamento dela. Quando tiver com a chave, por favor, siga direto para cá estamos te esperando.    
Ivi (a loira suspira sem conseguir conter as lágrimas): Ai Deus minha Bebê deve está arrasada. Como ela está exatamente não ouço nada?
Chris (ele olha a namorada que seguia do mesmo jeito): Está quieta demais e isso me preocupa, ela chorou um pouco quando não achou as chaves, mas não escuto mais nada. Eu não quis ir buscar a chave e deixar ela sozinha aqui, por favor, não demora.
Ivi (ela suspira): Está certíssimo em não deixa - lá. Me deixou preocupada também ao saber disso, eu estou indo para lá agora, mas não vou demorar só o tempo de pegar a chave e passar em uma farmácia para comprar calmantes para ela.
Chris (ele suspira): Tudo bem eu te espero aqui até já.
Ivi (ela suspira): Até já.

Ivalu assim que desligou o celular, a loira suspirou preocupada com amiga e ligou o carro saindo do trabalho rumo à casa da madrinha, Ivi ligou para o namorado perguntando como ele estava e se não queria que ela o pegasse, Ivalu só precisava pegar a chave do apartamento da Dulce a pedido de Christopher. Eduardo disse que não, pois precisava ficar ao lado do pai e que não se preocupasse com ele, Dudu ainda disse que ficaria mais sossegado se a namorada ficasse ao lado da irmã dele, Ivi agradeceu a compreensão do namorado porque naquele momento não queria sair de perto da amiga, mas se ele a quisesse por perto ela ficaria de um apartamento para ou outro sem problemas, os dois desligaram o celular e a loira já estava em frente à casa de Blanca. Como o amigo pediu pegou a chaves do apartamento da amiga somente informou à mãe que já encontrava – se por ali cuidando de Blanca, que Dulce estava no apartamento dela, Letícia assentiu e deixou a filha partir. Ivalu retornou ao carro e seguiu direta a farmácia, a loira comprou os calmantes que precisava e em menos de dez minutos já estava no hall de entrada do apartamento de ambas, a loira abriu a porta do apartamento de Dulce, a ruiva para surpresa dela e do namorado dela levantou do chão, depois pegou suas malas e seguiu para dentro de casa, os dois entraram logo atrás dela e viram a mesma observar o apartamento já que entrava nele pela primeira vez. Dulce achou o apartamento aconchegante e muito bem decorado, a ruiva sorriu à amiga e lhe abraçou, Ivalu devolveu o abraço um tanto surpresa trocando olhares com Christopher, que olhava as duas tão surpreso quanto.  
http://img266.imageshack.us/my.php?image=264av2vv0.jpg

Dul (sorrindo): Ivi é lindo, a minha cara (a ruiva ainda abraçada a ela). Obrigada amiga sabia que tinha deixado em boas mãos, a escolha do meu novo lar e a decoração também (ela beijou Ivi agradecendo pela ajuda). Bom agora vou conhecer o resto da casa já volto (Dulce deixou o namorado e amiga pasmos na sala pelo comportamento dela).    
Chris (suspira preocupado): O que foi isso? (Christopher vendo a namorada conhecendo o apartamento e levando as malas juntos a ela).
http://img254.imageshack.us/my.php?image=264av1do3.jpg
http://img369.imageshack.us/my.php?image=183pv184et0.jpg
http://img246.imageshack.us/my.php?image=264av3mp5.jpg
http://img362.imageshack.us/my.php?image=264av4bd1.jpg

Ivi (ela suspira preocupada): Não sei eu (a loira passando a mão no rosto). Quando me disse que encontrava – se preocupado porque ela estava quieta demais. Bom eu concordei contigo, mas depois dessa posso dizer que estou apavorada. Eu esperava tudo dela menos essa reação que vimos agora, completamente anormal do que devíamos esperar de Dulce.  
Chris (ele suspira): Também estou apavorado. O que vamos fazer?
Ivi (ela suspira): Vamos dar um tempo se até a hora de dormir Dul não voltar ao normal, o jeito é nos darmos uma chamada nela.
Chris (ele suspira): Está bem então. Será que pode ficar com ela? Enquanto eu vou em casa um instante pegar umas roupas.
Ivi (ela suspira): Claro que sim para ser sincera não pretendo sair daqui tão cedo. Vá tranquilo que fico de olho nela e qualquer coisa te aviso.
Chris (ele suspira): Obrigado, e não demoro também não quero sair de perto dela. Quer que eu compre algo para comermos?
Ivi (ela suspira): Ótima ideia, eu já estou com fome.
Chris (ele riu, mas logo ficou serio assim como Icalu): Também estou. Bom viu indo lá beijos.
Ivi (ela suspira): Beijos (a loira foi com Christopher até a porta, ele apertou o botão do elevador e ficou esperando o mesmo chegar, Ivalu olhou para dentro do apto que estava silencioso e em fim falou) Eu vou ver o que Dul está fazendo até mais.
Chris (ele suspira) Até mais.

Christopher entrou no elevador e foi fazer o que tinha falado amiga. Ivalu entrou em casa e encontrou amiga arrumando suas roupas no guarda - roupa, Dulce sorriu a ela, que lhe devolveu o sorriso. A ruiva seguiu guardando suas coisas, Ivi ficou observando amiga, analisando a situação para saber a melhor forma de abordar o assunto com a prima para quebrar as defesas dela, que no momento agia como se nada tivesse acontecido. Quando Ivi ia perguntar algo, Chris apareceu com duas pizzas medias e as chamou para comer. Enquanto isso na casa dos Saviñón todos tentavam em vão acalmar Blanca que só chorava, Fernando estava um caco mais se mantinha firme pela esposa. Claudia tinha acabado de desligar o telefone, ela ligará para Itália e informara a irmã pelo ocorrido com a caçula da família. Pedro já encontrava - se em casa arrasado também pela briga com a filha, e tendo que lhe dar com mil e uma ligações de pessoas ligadas a televisa, mas seu consolo era que seu filho e a esposa estavam ao seu lado.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Set 16, 2017 8:10 pm

No apartamento Dulce, Ivalu e Christopher lancharam as pizzas, e após lavarem e guardarem a louça que usaram estavam deitados na cama da ruiva, Dul assistia um desenho animado e ria divertida com os personagens totalmente alheia aos olhares preocupados do namorado e da prima. Ivi e Chris tomaram alguns minutos para decidirem quem ia tomar a iniciativa, depois de uma curta conversa entre troca de olhares dos dois ficou decidido que Ivalu ia dar o primeiro passo para conversar com Dulce sobre a descoberta de Pedro ser o pai biológico dela. Ivi então tomou um tempo para si e chamou atenção da amiga aclarando a garganta.

Ivi (a ruiva olha para ela): Dul.
Dul (sorrindo): Oi (Christopher somente observava).
Ivi (seria): Está tudo bem?
Dul (sorrindo): Hum (a ruiva desvia olhar da amiga para televisão). Por que não estaria? Pode desligar a luz, por favor, estou com sono.
Ivi (seria): Não posso, eu quero que me olhe nos olhos e me diga o que está sentindo (a loira escutou um suspiro da amiga que tirou o sorriso do rosto e ficou seria pela primeira vez desde que ela tinha chegado com a chave).  
Dul (seria): Já disse sinto sono (ela deita de bruços e se acomoda na cama).
Ivi (ela olha seria): Não me refiro a isso, você sabe do que estou falando que eu sei (a loira vê amiga se aninhar ao peito do namorado que até agora se mantinha calado).            
Chris (ele suspirou e finalmente falou, Christopher não queria ser tão direto, mas a situação pedia): Fui ao escritório do Pedro te procurar e encontrei tudo revirado. Sabe o que aconteceu ali?

Dulce ficou rígida nos braços dele e Christopher soube que atingirá o objetivo dele de quebrar a muralha que a namorada tinha construído para não sofrer, o loiro afagou as costas da namorada olhando para Ivalu, a loira assentiu lhe dando forças e sussurrou calma estamos indo bem.    

Dul (a ruiva brava levantou da cama olhando para o namorado e para amiga): O que quer que eu responda Christopher? Sim, eu sei o que aconteceu ali porque fui eu que quebrei tudo, depois de ver o La Oreja mostrar para todo o México, que mais uma vez fui enganada e a essa hora o mundo todo deve saber que (ela gritou bufando) PEDRO DAMIÁN É O HOMEM QUE ME LARGOU A 21 ANOS ATRÁS (Dulce começou a chorar e entre soluços falou), ele e a Ângela são meus pais (a ruiva falou sussurrando). Eu ainda pensei que podia ser tudo mentira (ela sorriu irônica), mas ele disse que era verdade. Pedro estava lá junto com ela, conversando e rindo de mim, rindo da palhaça aqui.  
Ivi (a loira suspira olhando para amiga): Ela quem?
Dul (ela suspira olhando o nada): Blanca.
Chris (ele olha para Ivi e depois para a namorada): Sua mãe.
Dul (a ruiva olha para os dois demonstrando todo ódio que estava sentindo): Não, ela não é mais minha mãe. Nos discutimos, os três, eu falei tudo que estava engasgado aqui, depois eu subi no meu quarto, fiz minhas malas e vim me embora, pois ficar lá me sufocava.  
Ivi (seria): Fui pegar a chave e vi fotos rasgadas. Por que fez isso? Rasgou todos os nossos momentos especiais em família.
Dul (ela fala com raiva): Eu rasguei tudo porque para mim não exista mais nada, eles não são mais minha família, por isso essa Dulce aqui (ela aponta para si mesmo) não tem família. A Dulce palhaça não existe mais, ela morreu (a ruiva falou sussurrando) me deixem sozinha, por favor.

Christopher e Ivalu assentiram e saíram do quarto deixando Dulce sozinha, a ruiva assim que se viu sozinha caiu no choro, que era escutado pelo namorado e pela amiga na sala angustiando ambos. Meia hora depois Dulce continuava chorando, a loira então agoniada por ver prima sofrer resolve pegar um copo de leite e diluir um calmante nele para dar a Bebê, Chris que também encontrava – se agoniado ao ver Ivi seguir para o quarto da namorada resolveu seguir a amiga, a loira abriu a porta e os dois encontraram Dul sentada na cama encostada no travesseiro com a mão no rosto. Christopher passou por Ivalu sentou na cama e puxou a namorada para o colo dele, ela se encolheu sob os braços dele aos prantos cortando o coração de Chris e de Ivi que sentou de frente para eles.  

Chris (ele começa fazer carinho nas costas dela): Shhh calma Bebê estamos aqui com você.
Dul (ela falou em meio a soluços carregados de dor): Está doendo muito, me sinto perdida e sem chão (a ruiva  suspirou em meio a um soluço e suplicou ajuda ao namorado e a prima). Me ajudem, por favor, a tirar isso de mim está me sufocando (Chris e Ivi se olharam e suspiravam penosos a ponto de chorar junto com ela, mas respiraram fundo e seguraram o choro).
Ivi (a loira tira o cabelo da prima do rosto e coloca de traz da orelha): Posso te pedir um favor? (Dulce assentiu). Toma esse leitinho para mim? (Dul assentiu novamente, ela recebeu o copo de leite e em seguida tomou tudo). Obrigada (Ivalu passou a mão no rosto de Dul e lhe deu um beijo) já volto.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 593
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 12 de 13 Anterior  1, 2, 3 ... , 11, 12, 13  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum