Só o amor pode salvar da dor

Página 6 de 13 Anterior  1, 2, 3 ... 5, 6, 7 ... 11, 12, 13  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Qui Set 25, 2014 8:22 pm

No deck

Após Flávio, Claudia, Bianca e Ivalu aplaudirem e gritarem agitados que finalmente Dulce acordou e se juntou a eles, Christopher sentou a mesa com a namorada super envergonhada em seu colo pela algazarra das irmãs e cunhados. Chris somente ria e em meio á conversa com as cunhadas e amigos enquanto espalhava protetor nas costas dela.

Ivi (sorrindo): Vamos tomar banho de piscina?
Todos (menos Dul): Sim vamos.
Dul (sorrindo): Agora não.
Ivi (sorrindo): Por que não Dul?
Dul (manhosa): Muita preguiça Ivi e estou com soninho ainda.
Bibi (sorrindo): Onde arruma tanto sono mana?
Dul (manhosa): Acho que é cansaço acumulado Bibi.
Chris (sorrindo): Podem ir lá eu fico aqui com ela, daqui a pouco nos vamos.
Clau (sorrindo): Esperamos vocês lá então.  

Os quatro vão para a piscina, Christopher e Dulce ficam na mesa aos beijos, Chris estava achando uma graça á manha que a namorada estava fazendo em seu colo, ela tinha a cabeça apoiada no peito dele virada para a galera na piscina, a ruiva coçava os olhos reclamando da claridade.  

Chris (sorrindo): Quer que eu pegue seus óculos escuros?
Dul (manhosa): Não para pegar os óculos escuros preciso sair de onde estou e está gostoso assim (ela tocou as mãos dele com carinho). Não quero que saia.  
Chris (sorrindo): Deus quanta manha Bebê (ele apertou o nariz dela).
Dul (sorrindo): Ai doeu. ( ela faz um bico fofo).
Chris (sorrindo): Que fofa merece um beijinho.

Christopher acaricia o rosto da ruiva e toca os lábios dela com carinho iniciando um beijo calmo demonstrando o quanto amava aquela pequena figura que estava em seus braços,  Dulce correspondia á altura aprofundando o beijo aos poucos enquanto acariciava o peito dele, o beijo teve fim não pela falta de fôlego e sim por um grito de Ivalu avisando que o telefone estava tocando, os dois suspiraram e olharam para piscina.

Ivi: Dul o telefone larga o homem e vai lá atender (a ruiva diz que não arrancando uma gargalhada de Christopher).
Chris (rindo): Vou lá Ivi (a loira agradeceu sorrindo). Bebê já volto.

Dulce diz que não, Christopher consegue se desvencilhar dela e quando já saia olhou para o lado a vendo com um bico fofo de manha, ele voltou balançando a cabeça se chamando de bobo, Chris pegou ela rápido no colo e seguiu para atender ao telefone. O telefonema era a galera que faltava avisando que estavam chegando e pedindo para abriram o portão. Christopher pegou o aparelho para abrir e saiu de casa abrindo o portão, Ivalu sorriu para o amigo sussurrando um cai com ela na piscina, ele respondeu dizendo que não, pois ia acabar apanhando porque a moça era violenta, a loira revidou chamando ele de medroso e Chris contrapôs dizendo que se ela ficasse brava ia mandar reclamar com a que se diz melhor amiga dela. A ruiva seguia abraçada a ele, inalando o perfume gostoso de Christopher recostada com a cabeça no ombro dele de olhos fechados e quando deu por si se encontrava dentro da piscina com todos gargalhando em sua volta inclusive o namorado.

Dul (brava): Idiota (ela emburrada dava tapas no peito dele). Por quê riem?
Todos: Porque foi engraçado.
Dul (brava): Não estou vendo nada de engraçado.
Chris (sorrindo): Você bravinha é engraçado Bebê e fofo também.

Dulce chamou todos de idiotas e saiu pisando firme esbarrando na galera que chegava de viagem. Os recém – chegados eram o namorado de Bianca, três amigas de Ivi e da Dul com os seus namorados e Eduardo (irmão da ruiva). Todos animados e sorridentes dirigiram um oi a ruiva que não foi respondido, pois a mesma seguiu reto para o quarto. Depois da galera que chegou está devidamente instalada em seus quartos, a turma estava reunida toda em volta da mesa esperando o almoço. Christopher já ia atrás da namorada quando a própria saiu sensualmente a caminho da rua, vestida com uma saia que valorizava suas pernas e uma blusa de alça azul. Por um momento Las pompas de oro ficou paralisado tanto pela beleza da namorada como pela ousadia pelo que ela estava prestes a fazer, ele disse para si mesmo “Não ela não vai sair.” “Não com essa saia curta todos os homens vão olhar para ela”. Ele saiu do seu assombro quando a porta foi aberta só dando tempo de falar “Dulce”  correr para porta e grita a vendo mais a frente “Dulce Maria volta aqui”, Chris suspirou e fechou a porta vencido pela birra da namorada. Ele passou a mão no rosto buscando calma e paciência, pois agora só lhe restava esperar que ela voltasse logo. Christopher retornou para perto das cunhadas e dos amigos. O churrasco seguiu tranquilo, a conversa rolava solta e animada apesar da preocupação de Chris, Ivi, dos irmãos da ruiva incluindo Eduardo e dos amigos. Uma parte jogava baralho perto da piscina e outra parte se encontravam no karaokê cantando músicas do RBD deixando Christopher rindo perplexo com a desafinação dos mesmos.


Última edição por Admin em Sab Abr 29, 2017 6:25 pm, editado 2 vez(es)
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 567
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Qui Set 25, 2014 8:30 pm

Duas horas e meia mais tarde Dulce continuava fora de casa e até aquele momento não tinha retornado, os mais impacientes eram Christopher e Eduardo que descobriu um dia após a ruiva descobrir que era adotada que era irmão dela. Dudu ao saber que Dul tinha seu sangue por parte de pai ficou imensamente feliz por não ser mais filho único, pois sempre sonhou em ter um irmão ou irmãzinha. Ele possuía um carinho muito especial por ela e pretendia recuperar o tempo perdido mesmo que por enquanto apenas como amigo e lógico protege – lá de qualquer pessoa que quiser fazer mal a ela. Dulce esse tempo que ficou fora de casa andou pela praia sentindo as ondas do mar batendo em seus pés. Ao chegar no final da orla Dul encontrou quem menos queria ver no momento sua prima Denise cercada de amigos. Assim que Denise viu a ruiva se aproximou fingindo surpresa e arrependimento, sim tinha vindo da casa de seus avós com a ideia de continuar sua encenação fingindo que se arrependia como parte do plano, a prima pediu desculpas e uma nova chance, Dulce disse que ia pensar e que depois lhe respondia. Quando Dul já ia embora sua avó Marina lhe chamou (avó de consideração, pois era mãe da mãe de Denise que era casada com seu tio Vinicius irmão de sua mãe Blanca. Como a família por parte de mãe da sua prima era pequena, ela, os irmãos, pais e avós. Normalmente seu tio Vini chamava a família da mulher para as reuniões familiares sendo assim a avó Marina considerava Dulce e suas irmãs como netas também).

Vó Marina: Meu Bebê veio até aqui e não ia dar um beijo na vovó? (a senhora abraça e beija a neta de consideração).
Dul (manhosa): Desculpa vovozinha a sua neta? Eu não sabia que estava ai, pensei que era só Denise e amigos (a ruiva sorri abraçada a avó). Eu estava caminhando, ela me parou e conversamos rapidamente já ia embora quando a senhora me chamou.
Vó Marina (sorrindo): Hum se comer o Charlotte da vovó com um refri está perdoada.
Dul (rindo): Hum tudo bem vou fazer esse sacrifício.
Vó Marina (sorrindo): Então vamos meu Bebê? (a ruiva assente e as duas seguem para casa da senhora e de seu esposo).
Dul (sorrindo): E o vovô?
Vó Marina (sorrindo): Dormindo ele já acorda. E suas irmãs? (as duas estavam dentro de casa, Dul sentou a mesa e avó Marina tratou de servir a neta).
Dul (sorrindo): Estão na casa da Ivi (a senhora abre a geladeira, pega a garrafa de refrigerante, um copo e serve a neta). Lembra dela?
Vó Marina (sorrindo): Claro que sim. Quero vê - lãs peçam que venham aqui.
Dul (sorrindo): Peço sim, mas a casa está cheia fica meio complicado de sair (Dulce suspira saboreando a torta).
Vó Marina (sorrindo): Mais você saiu (a ruiva bebe a coca – cola).
Dul (sorrindo): Sai mais é porque me estressaram e resolvi dar uma volta, sabe como sua neta aqui é geniosa e birrenta quando quer (a ruiva olha para janela). Daqui a pouco escurece melhor eu ir, meu namorado deve está preocupado. Posso ir ao quarto de vocês da um beijo no vovô? (ela termina de comer).
Vó Marina (sorrindo): Está namorando Dul? (a ruiva toma o resto do seu refrigerante). Lógico que pode vamos te levo (a senhora pega o prato sujo e o copo e coloca na pia).
Dul (sorrindo): Sim estou ele é um amor vó. Amo muito ele mesmo me estressando como agora pouco (Vó Maria se aproxima pega a mão da neta e as duas seguem para o quarto dela e do esposo).
Vó Marina (sorrindo): Depois quero conhecer ele.
Dul (sorrindo): A senhora conhece por televisão, revista, e ele estava no meu aniversário que a senhora foi é o Christopher Uckerman. Vou te apresentar assim que possível.
Vó Marina (sorrindo): Ah sei quem é muito lindo tem bom gosto (a senhora ri). Pronto (a senhora abre devagar a porta encontrando seu marido tocando violão). É todo seu já volto vou lavar o prato e o copo que deixei sujo na pia da cozinha.
Dul (sorrindo): Ele é lindo mesmo (ela ri). Obrigada, depois venha pra cá.

Vó Marina assentiu, a ruiva beijou a avó e entrou no quarto para ver o avô.

Dul: Estava com saudades de ouvir e ver meu avô tocando e cantando (ela o olha com um sorriso lindo nos lábios despertando atenção do avô).
Vô Guilherme (sorrindo): Minha bonequinha que saudades meu amor (o senhor abraça forte a neta).
Dul (sorrindo): Também Vô Gui muita saudades (ela beija o avô com carinho). Quero te ouvir toca para mim (ela senta ao lado dele).
Vô Guilherme (sorrindo): Toco mais tem que me acompanhar.
Dul (sorrindo): Combinado. Então o que vamos cantar?
Vô Guilherme: Quiero Poder que tal? (o senhor dedilha a música) É de uma mocinha muito linda que deve ser todo o orgulho da família e do seu vô (Dulce suspira emocionada). Não precisa chorar.
Dul (sorrindo): Ah vô não tem como te amo muito (ele abraça carinhosamente o avô).
Vô Guilherme (sorrindo): Também te amo boneca do vovô (o senhor sorri e começa a tocar Quiero Poder).

Marina voltou ao quarto encontrando sua neta deitada na perna do avô cantando enquanto o esposo acompanhava tocando e cantando, os dois já cantavam a quarta música, depois de Quiero Poder cantaram mais duas músicas e agora tinha acabado de começar a cantar Garota de Ipanema. A senhora olhou o marido e a neta ali era lindo ver dois juntos, Dulce era todo o mundo do marido, apesar de ter Denise como única neta mulher, Guilherme tinha uma afinidade inigualável com a ruiva e o sentimento era recíproco, mas ele não deixava de amar sua neta de sangue, o irmão dela e as irmãs de Dulce, Bianca e Claudia causando até um certo ciúmes pela relação dos dois que ela tentava contornar junto com marido, principalmente com os netos de sangue mais o que podia fazer se Dulce era a mais carinhosa, amorosa e quem mais dava atenção aos dois. Marina sentou na cama tentando não quebrar o clima, mas os dois perceberam a chegada dela, e a ruiva chamou a avó com a mão, a senhora então beijou a neta e passou a mão na testa da mesma para tirar a franja que caia nos olhos dela, a música terminou e ela bateu palmas para o esposo e a neta.    

Vó Marina (sorrindo): Amo ver vocês cantando.
Os dois (ambos sorrindo falaram): E nos amamos cantar para você.
Vó Marina (sorrindo): Princesa não é melhor ir embora? Eles devem está preocupados com você meu amor.
Vô Guilherme (ele se fingi de indignado): Está expulsando a menina mulher?
Vó Marina (sorrindo): Não homem é que nossa neta saiu a horas de casa, depois de brigar com o namorado e até agora está na rua (a ruiva assentiu). O namorado deve está preocupado e o pessoal também.  
Dul (sorrindo): É verdade vovô, eu preciso ir a vovó tem toda razão. Tchau vovô bença (a ruiva abraça o avô).
Vô Guilherme (sorrindo): Bença meu amor vai com Deus (o senhor todo carinhoso deu um beijo nela).
Dul (sorrindo): E você fica com ele. Que horas são vovó?
Vó Marina (sorrindo): 17h30 meu amor.
Dul (sorrindo): Nossa daqui a pouco escurecesse. Bença vovó (a ruiva abraça a neta).
Vó Marina (sorrindo): Deus te abençoe meu amor (a senhora dá um beijo carinhoso na neta caçula).
Dul (sorrindo): A todos nos vovó (os três se levantam, saem do quarto e seguem para o lado de fora da casa).
Vó Gui (sorrindo): Você vai voltar a pé?
Dul (sorrindo): Sim vim caminhando pela praia.
Vô Guilherme (sorrindo): Vou levar você então.
Dul (sorrindo): Não precisa vou rapidinho.
Vó Marina (sorrindo): Vovô está certo vamos te levar (os três em fim chegaram ao portão).
Vô Guilherme (sorrindo): Vou pegar a chave do carro (as duas assentiram e o senhor sai para pegar a chave do carro).
Vó Marina (sorrindo): Vou aproveitar e ver as meninas e seu namorado.
Dul (sorrindo): Você vai gostar dele (a senhora sorriu. Guilherme pegou a chave e retornou para perto das duas).
Vô Guilherme (sorrindo): Gostar de quem? (ele mostrou a chave e as duas seguiram).
Vó Marina (sorrindo): Do namorado dela.
Vô Guilherme (sorrindo curioso): Quem é o namorado dela?
Vó Marina (sorrindo): A gente conta no caminho (Guilherme assente, os três entram no carro e seguem para casa Ivalu).


Última edição por Admin em Sab Abr 29, 2017 6:45 pm, editado 2 vez(es)
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 567
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Dom Set 28, 2014 2:51 pm

Alguns minutos depois os três chegaram á casa de Ivalu. Dulce bateu na porta e Christopher é que veio atender encontrando a namorada e seus avós ao lado dela (ele conhecia os dois de vista, Dul durante a festa lhe mostrou quem era quem).  

Chris (serio): Muito bonito Dulce Maria sumiu a tarde toda e nem para dar notícias.
Dul (seria): Nem começa Christopher não esqueci o que me fez mais cedo (Dulce passou bufando por ele arrancando um suspiro do mesmo. Marina e Guilherme só observavam a cena querendo rir da birra da neta).
Chris (ele desfaz a cara seria e sorri ao senhor e a senhora): Boa noite senhor (ele aperta a mão do senhor) e senhora (ele beija a senhora carinhoso).
Vó Marina: Somos avó das meninas, postiços mais somos.
Chris (sorrindo): Sei quem são a birrenta já tinha me falado de vocês (eles sorriem). Que neta difícil hein?
Vô Guilherme (sorrindo): A culpa é nossa desculpa a demora acabamos prendendo nossa neta (Vó Marina assentiu sorrindo). Ela é birrenta, geniosa, mas sou simplesmente apaixonado por ela.
Chris (sorrindo): Não precisa se desculpar senhor se ela quisesse podia ter me ligado, mas não gosta de me por louco (o senhor e a senhora sorrirem). Somos dois então também sou apaixonado por ela.
Vó Marina: Você é o namorado da minha neta? Também sou apaixonada pela minha netinha.
Chris (sorrindo): Sim senhora sou namorada da ruiva mais lindo do mundo. Olha lá doida para saber o que tanto falo com vocês (ele indica a ruiva com os olhos e os três vem Dulce olhando para eles).
Vô Guilherme (rindo): Ela é uma graça. Gostei de você rapaz.
Vó Marina (sorrindo): Eu também se vê que gosta bastante dela.
Chris (sorrindo): Obrigado também gostei muito de vocês. Agora vamos entrar senão a ruiva vai me fuzilar com aqueles olhos lindos que ela tem.

Os três entram em casa.

Avós: Boa noite.

Claudia, Bianca e Ivalu correram ao encontro dos avós e logo lhe bombardearam de perguntas, eles responderam que Dulce que contou que se encontravam ali e vieram matar as saudades. O senhor e a senhora disseram que estavam bem e ficaram conversando um tempo. Christopher ficou de papo com Gui sobre música marcando uma roda de violão para o dia seguinte e Marina ficou de papo com as meninas. Uma hora depois se despediram de todos e foram para casa após confirmarem presença na roda de violão. Dulce seguiu para o quarto, depois de ver Chris, Ivi, suas irmãs conversando com seus avós, a ruiva entrou  casa adentro bufando irritada. Christopher nem se dignou a vir atrás dela para se desculpar e suas irmãs e amigas pareciam que nem tinham sentido falta dela. Dul resolveu tomar banho colocou uma blusa bege e um short jeans. Quando estava ajeitando os cabelos mais calma, Chris entrou no quarto.

Chris (serio): Dul.
Dul (seria): Oi.
Chris (serio): Podemos conversar?
Dul(seria): Sim (os dois sentam na cama). Me desculpa eu sai sem dizer para onde eu ia e acabei demorando mais do que o esperado (Christopher ia dizer que desculpava, mas a ruiva seguiu falando rápido). Eu só ia andar e voltar, mas Denise me parou na frente da casa dos nossos avós e acabei ficando por lá comi Charlotte e escutei meu avô tocar (ela suspira mordendo os lábios nervosa).
Chris (serio): Calma Bebê lógico que te desculpo e quero que me desculpe por ter te jogado na piscina não queria te deixar zangada e muito menos brigar com você (Christopher abraça Dulce com carinho). Eu quero saber o que a sua prima queria?
Dul (seria): Te desculpo Chris nem precisava pedir isso, eu que exagerei estou com as emoções a flor da pele (ele acaricia as mãos da ruiva). Sou uma idiota estou descontando na pessoa que mais amo e em quem gosta de mim (Christopher ajeita a franja malcriada de Dulce). Quanto a minha prima acho que queria se desculpar comigo por tudo.    
Chris (serio): Hum (ele não quis se prolongar no assunto Denise). Então já que estamos desculpados que tal um besito?


Última edição por Admin em Sab Abr 29, 2017 6:53 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 567
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Dom Set 28, 2014 2:54 pm

Dulce dá um selinho nele e se afasta, Christopher abri os olhos com cara de pastel por ter esperado um beijo que não veio, ela cai na gargalhada.

Chris (ele fingi está bravo): Do que ri Maria?
Dul (sorrindo): Da sua cara.
Chris (fingindo está bravo): E queria o que? Eu estava esperando um beijo e me da um selinho (Christopher faz uma cara de pobre coitado).
Dul (manhosa): Tadinho do meu Chris.  

Dulce chega pertinho do rosto dele encostando os lábios e dá outro selinho, ela se afasta e sussurra um eu te amo muito, cola os lábios novamente iniciando um beijo apaixonado e  carinhoso intercalando momentos afoitos e calmos do casal. Chris segurava a cintura da ruiva fazendo carinho e Dul acariciava a nuca dele. Alguns minutos depois o ar faltou e tiveram que se separar mais não muito, pois seguiram os rostos colados. Christopher abriu os olhos primeiro, ele acariciou o rosto da namorada e ela imediatamente abriu os olhos e os dois trocaram olhares intensos. A troca de olhares só foi quebrado quando ele respondeu também te amo muito, Dul se jogou nos braços dele o abraçando forte e sendo correspondida pelo mesmo, a ruiva deitou a cabeça no ombro do namorado e os dois ficaram ali juntinhos curtindo o momento. Eles deitaram na cama e ficaram abraçados fazendo carinho um no outro, Dul no peito dele e ele nas costas dela intercalando com beijos. Christopher voltou a perguntar como tinha a conversa com Denise, á ruiva contou que Denise queria pedir desculpas como havia dito a pouco e Dulce suspirou dizendo que não entendeu qual é a dela, Chris perguntou se ela tinha desculpado, Dul disse que falou que ia pensar. Ele então pediu que a namorada tomasse cuidado, ela assentiu e disse que não se preocupasse que ia tomar todo o cuidado com a prima em seguida deu um selinho nele e deitou no peito do namorado novamente quando alguém bateu na porta.      

Dul e Chris (sorrindo): Pode entrar.
Ivi (sorrindo): Oi casal vamos lanchar? Já está todo mundo na mesa só falta á gente.

Christopher se afastou da namorada e sentou na cama já Dul continuou deitada.

Chris (sorrindo): Opa estou faminto (ele levanta da cama).
Ivi (sorrindo): Não vem Dul? (Dulce balança a cabeça negativamente).
Chris (sorrindo): Ah vai sim Maria (ele estica a mão chamando á namorada). Hoje você não almoçou e sua avó falou que na casa dela só comeu um pedaço de Charlotte.
Dul (manhosa): Não quero comer (ela suspirou sonolenta). Estou com sono (a ruiva coça os olhos). Não demora Chris te espero aqui.
Ivi (sorrindo): O Chris está certo tem que comer Bebê (ela se aproxima da melhor amiga/prima). Estou te achando até mais magra (a loira suspira preocupada após analisar a emagreça da amiga). Vem depois que comer você dorme (ela puxa amiga pelas mãos, Dul levantou contrariada resmungando bastante).
Chris (sorrindo): Sem birra Dul (a ruiva se solta amiga e segue para cozinha emburrada). Também estou achando ela mais magra Ivi, mas não se preocupe vou cuidar da alimentação dela a partir de hoje.
Ivi (sorrindo): Nos cuidaremos Chris vou te ajudar nessa também (Christopher assentiu sorrindo. Ele e Ivalu seguiram atrás de Dulce que no momento já se encontrava na cozinha esperando por eles).


Última edição por Admin em Sab Abr 29, 2017 7:04 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 567
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Dom Set 28, 2014 2:57 pm

Alguns minutos depois estavam todos conversando deitados na sala em meio a colchonetes e sofás de dois e três lugares. O lanche tinha sido regado a risadas e muita conversa até Dulce tinha se animado e conversado com todos. Após o lanche a galera decidiu assistir filme inclusive a ruiva, mas infelizmente a casa da família de Ivalu não possuía filmes e tiveram que sair para alugar. Claudia e Flávio foram sorteados para alugar o DVD e todos esperavam o casal voltar da locadora. Dez minutos depois da saída da irmã Dul acabou adormecendo fato reparado pelo namorado e irmão.

Dudu (sussurrando): Não é melhor levar ela para o quarto Chris?
Chris (sussurrando): É sim estou só tomando coragem para me levantar (ele ri).
Dudu (sussurrando): Fica ai então eu a levo (Christopher e Eduardo sorriram olhando a ruiva dormir). Pode ser?
Chris (sussurrando): Lógico que sim (Eduardo assim que escutou a afirmação do namorado da irmã, ele a pegou com carinho e seguiu para o quarto dela e de Chris).

Christopher viu seu cunhado levar a namorada no colo e escutou gracinhas dos amigos das meninas, mas ele nem ligou porque ninguém sabia que Eduardo era irmão da ruiva. Dudu após ter deixado a irmã deitada na cama já ia abrindo a porta quando escutou uma voz sonolenta bem baixinha chamando por ele.

Dul (ela suspira coçando os olhos): Dudu.  
Dudu (sorrindo): Oi Bebê acordou (Eduardo voltou para perto dela).
Dul (sonolenta): Cadê o Chris?
Dudu (sorrindo): Na sala quer que eu o chame?
Dul (sonolenta): Queria, por favor.

Eduardo foi chamar o Christopher a pedido de Dulce, o mesmo sugeriu que ele voltasse para lá e ficasse fazendo companhia para irmã para de conhece – lá melhor e começar a formar um laço de amizade mais forte, pois os dois quase não se viam pela agenda apertada do RBD. Dudu aprovou a ideia e voltou ao quarto da ruiva.

Dudu (sorrindo): Bebê ele disse que daqui a pouco vem.
Dul (sonolenta): Fica aqui comigo enquanto o Chris não vem.
Dudu (sorrindo): Fico Bebê.


Última edição por Admin em Sab Abr 29, 2017 7:14 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 567
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Dom Set 28, 2014 3:02 pm

Eduardo deitou ao lado dela.

Dul (sonolenta): Obrigada.
Dudu (sorrindo): De nada é uma honra deitar do lado da ruiva mais famosa do México.
Dul (seria): Que honra doido? Eu ando na boca do povo e eu sei que saio quase todo dia na mídia nem que seja uma nota pequena falando do que eu faço e do que eu não faço depois que descobriram que sou adotada (a ruiva suspira forte). Eles tentam esconder de mim todas as notas mais eu sei que as matérias estão ali.
Dudu (ele vê uma lágrima cair nos olhos da irmã): Não chora Bebê senão vou chorar também (ele seca a lágrima dela).
Dul (coçando os olhos e bocejando): Desculpa não quero que chore.
Dudu (sorrindo): Está com sono porque não tenta voltar a dormir?
Dul (sonolenta): Você vai embora?
Dudu (sorrindo): Não vou ficar aqui e só vou sair quando Chris voltar prometo (Eduardo da um beijo na testa da irmã). Boa noite.
Dul (sonolenta): Boa noite.

Dulce mesmo Eduardo prometendo não sair de perto dela, ela segurou a mão dele para ter certeza que ele não ia sair. Dul se sentia sozinha desde que descobriu era adotada e essa sensação não a agradava, por isso a ruiva sempre gostava de se sentir protegida por Christopher ou quem quer que fosse, ou seja, pessoas que realmente gostavam dela e que ela confiava. Apesar de Eduardo não ser muito presente, ele era uma dessas pessoas e Dulce confiava muito nele. A ruiva só ficava sozinha quando queria e por birra, geralmente depois de brigar com alguém.

Dez minutos depois Ivalu foi ao quarto do casal e encontrou Dulce e Eduardo dormindo de mãos dadas, Ivi correu até o quarto pegou sua câmera fotográfica e foi a sala chamar Christopher. Quando a loira voltou ao quarto com o amigo, os irmãos estavam do mesmo jeito, ela então tirou duas fotos: uma de corpo inteiro e outra da cintura para cima focalizando mais os rostos e as mãos. Ivalu emocionada mostrou ao namorado da ruiva as duas fotos.

Chris (emocionado): Quero essas duas fotos (ele suspira sorrindo após ver as fotos), outra pessoa que ficaria muito feliz em tê-las é o Pedro.
Ivi (emocionada): Com certeza o Dudu vai querer as fotos da irmã e podemos pedir a ele que de ao pai também.
Chris (emocionado): Boa ideia é a melhor coisa a se fazer.
Ivi (emocionada): Bom melhor irmos estão esperando para assistir o filme.

Christopher assentiu, os dois saíram do quarto e deixaram os irmãos dormindo profundamente. Eles e os demais assistiram dois filmes alugados por Claudia e Flávio e por volta das duas horas da manhã todos foram dormir. Chris dormiu na cama de Eduardo, pois o mesmo dormia com a irmã.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 567
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Dom Set 28, 2014 3:07 pm

No outro dia todos resolveram passar o dia na praia tomando sol, jogando futebol, jogando vôlei, surfando ou apenas dando um mergulho diversão não faltava aos amigos. Denise mais uma vez apareceu querendo conversa com a prima, mas Christopher, as irmãs e Ivalu não permitiam uma aproximação das duas, pois querendo ou não a ruiva sempre ficava para baixo quando a encontrava e ninguém queria Dulce triste. No final do dia os casais apreciaram o por do sol reunidos em frente ao mar, o casal DyC era só chamegos o tempo todo, Dudu e Ivi estavam cada vez mais próximos. Após contemplarem o espetáculo da natureza, eles voltaram para casa e começaram a arrumar as coisas para a roda de violão. Assim que tudo ficou pronto, eles começaram a se arrumar e ás sete e meia da noite todos se encontravam no jardim sentados em volta da mesa. Marina e Guilherme tinham acabado de chegar, o senhor e a senhora comeram um pouco junto com todo pessoal e em meio a  conversas muito animadas. Após comerem Chris pegou seu violão e junto a Guilherme começaram a tocar todo tipo de música, Bianca pediu a irmã e ao cunhado que deixassem a todos cantarem algumas canções sem que eles participassem porque ficava inibida, afinal os dois eram profissionais, o casal assentiram no começo conseguiram ficar quietinhos, mas depois que Ivalu cantou muito empolgada e desafinou mais que o permitido ao ouvido dos dois, Dulce não aguentou e caiu na gargalhada pedindo, por favor, que cantasse normalmente sem querer alcançar a entonação dos cantores das músicas, Ivi fingiu que estava totalmente indignada com a falta de compreensão da amiga arrancando risadas de todos, a ruiva abraçou amiga ainda rindo e pediu desculpas dizendo que ia se comportar como uma boa ouvinte. Ivalu agradeceu e puxou amiga para sentar em seu colo, pois queria conversar algo com ela.  

Ivi (sorrindo): Queria te pedir uma coisa.
Dul (sorrindo): Hum sobre o Dudu né? Quero só ver quando o Pedro souber que a minha melhor amiga é namorada do filho dele, aquela que colocou ele louco em uma viajem a um tempo atrás fugindo com sua pupila para balada, as duas menores de idade (ela sorri lembrando daquela época assim como a melhor amiga).  
Ivi (sorrindo): Lembro disso tadinho ficou desesperado, mas nem sou namorada do Dudu boda e estamos apenas ficando então ele nem precisa saber.
Dul (sorrindo): Vai ser sim namorada dele antes de voltarmos de viagem e tenho certeza que ele está gostando de ti, portanto você vai ser nora do Pedro (ela ri). Que massa.
Ivi (rindo): Está mais empolgada que eu doida, mas não te chamei para falar disso.
Dul (sorrindo): Então é sobre o quê?
Ivi (ela suspira): Sobre seus pais.
Dul (a ruiva levanta do colo da amiga): Não quero falar sobre isso.
Ivi (a loira puxa amiga de volta para seu colo): Me escuta pelo menos só quero que pense sobre o que vou te pedir somente isso.    
Dul (ela cruza os braços): Ok fala.
Ivi (seria): Queria fazer um churrasco dia três e chamar os nossos pais faz tempo que não nos reunimos.
Dul (seria): Os pais de todos que estão aqui?
Ivi (seria): Não só os seus pais e os das suas irmãs, os meus e do Chris porque o resto do povo vai embora dia dois.
Dul (seria): Então o Dudu também vai embora?
Ivi (seria): Acho que sim porque veio com eles né.
Dul (seria): Vou perguntar se ele quer ficar depois a gente da um jeito de caber mais um no nosso carro, o que não pode é Dudu ir embora e deixar você sozinha aqui (Ivalu sorriu fazendo Dulce sorrir também). Nos aproveitamos e chamamos o Pedro e mulher dele, e já pode até pedir a mão dele em namoro (ela gargalha e Ivi também).
Ivi (rindo): Engraçadinha (a loira aperta a barriga da ruiva a fazendo rir mais). Então posso organizar o churrasco em família?
Dul (a ruiva ficou seria): Por mim pode convidar todos menos Blanca e Fernando.
Ivi (a loira ficou seria também): Eles vão ficar tristes quando souberem que fizemos uma reunião e não chamamos eles.
Dul (ela suspira zangada): Não me importa.
Ivi (seria): Me disse que vai pensar Bebê?  
Dul (seria): Não quero eles aqui já decidi.
Ivi (seria): Não decidiu nada vai pensar com carinho no meu pedido (Dul suspira emburrada) sem birra Bebê (ela coça os olhos impaciente). Quero que pense com carinho nessa proposta, por favor, você tem até o primeiro dia do ano para pensar.
Dul (seria): Não quero eles aqui já decidi.
Ivi (seria): Bebê, por favor, faz isso por mim?
Dul (seria): Ok fazer o que por mim é churrasco sem Fernando e Blanca, mas já que faz tanta questão que eu pense melhor fazer o que só me resta pensar.
Ivi (seria): Obrigada sabia que não ia me decepcionar (a loira beija o rosto da amiga). Agora levanta do meu colo porque minhas pernas estão doendo (Ivalu empurra de leve amiga sorrindo).
Dul (sorrindo): Desculpa amiga, mas eu sou bem leve quase uma pluma (Ivi e Dul gargalham com o que a ruiva disse). Vou ao banheiro volto já (Ivalu assentiu, Dulce levantou e seguiu para o banheiro).

Dulce como disse amiga logo que voltou do banheiro e sentou entre o namorado e Ivalu. A ruiva, o namorado, os irmãos, os amigos e os avós cantaram mais algumas músicas e depois Christopher deixou o violão de lado para curtir sua Bebê. Marina e Guilherme foram embora eram quase meia noite, os casais continuaram por ali conversando entre si por mais uma hora, Dul desde a conversa com Ivi estava pensativa. Chris notou sua Bebê e tinha quase certeza que era por algo dito pela amiga, pois sua namorada havia ficado assim após conversar com ela e quando possível iria perguntar a Ivalu. Aos poucos todos seguiram para seus quartos para dormir para no outro dia curtir mais um dia de viagem.


Última edição por Admin em Sab Abr 29, 2017 9:41 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 567
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Out 18, 2014 8:36 pm

No outro dia após da roda de violão Christopher resolveu fazer uma gincana ideia dele, homens contra mulheres quem ganhasse teria o direito de escolher a temática da festa de final de ano, as provas seriam dividas em três etapas todas supervisionadas por Marina e Guilherme ideia de Ivalu segundo a mesma porque os garotos possuíam fama de enrolões, os rapazes protestaram principalmente Chris e Dudu porque reclamaram dizendo que não tinham culpa do passado dos parceiros arrancando risadas de todos. A primeira etapa tiveram que arrecadar alimentos nas ruas menos Dulce e Christopher para não serem descobertos ficaram organizando os alimentos para doar em casa não houve ganhadores homens e mulheres empataram. O Segundo dia de competição teve corrida de quadriciclo, os corredores foram Chris e Dul sorteados através de votação, Christopher ganhou a corrida e os meninos ficaram tirando onda com as meninas.

Dia 30 de dezembro

Último dia de competição homens e mulheres se reuniram no jardim da casa para a última prova que era torta na cara, cada integrante do grupo feminino ou masculino tinham que tentar balançar o sino o mais rápido possível para ter o direito de responder, acertando o jogador ia ter o direito de dar uma tortada na cara do adversário e errando iam levar a tortada. As perguntas eram sobre diversos assuntos e aos poucos um ou outro iam recebendo tortadas por não ter conseguido balançar o sino ou por ter respondido errado. Após alguns minutos de brincadeiras apenas quatro pessoas ainda não haviam recebido tortadas Dul, Ivi, Dudu e Flávio. No momento Eduardo e Ivalu estavam frente a frente, Marina pegou um cartão com perguntas e se preparava para ler, Ivi e Dudu o mais novo casal do grupo esperavam para responder sim mais novo casal, pois ontem á noite decidiram iniciar uma ficada seria, segundo amiga da ruiva a transição para o namoro. Marina fez a pergunta e Dudu quem levou a melhor respondeu corretamente recebendo o direito de dar uma tortada em Ivi, mas antes deu um selinho e pediu desculpas escutando assobios das meninas que disseram que lindoooooooo para o casal e os homens tiraram sarro dizendo que não podia ter pena delas, Dudu deu a tortada na sua ficante e saiu para comemorar com os amigos em uma roda pulando que nem doidos. A ruiva olhou a cena avisando que eles não podiam comemorar ainda porque elas que iam vencer. Os meninos falaram que eles que iam vencer que a Bebê estava em desvantagem, pois eram dois contra um. Dul disse que eles iam ver ela ia responder as próximas duas perguntas ia vencer a prova e de quebra dar tortadas nos dois, os garotos ainda fizeram um pouco de algazarra. Logo Flávio ficou em frente a cunhada esperando á pergunta de Guilherme.


Última edição por Admin em Sab Abr 29, 2017 9:47 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 567
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Out 18, 2014 8:38 pm

Gui (sorrindo): Atenção!!!! Vou ler, Flávio mão na orelha estou de olho. Quantos imperadores o México teve?

Flávio apertou sem ter certeza.

Ivi (sorrindo): Vamos Flávio respondi logo.
Bibi (sorrindo): Ele não responde por que não sabe Ivi.

Dulce estava compenetrada encarando o cunhado, Christopher observava a namorada encantado com o jeitinho dela e feliz por vê-la mais relaxada.

Gui (sorrindo): Flávio responde.
Flávio (sorrindo): Três.
Gui (sorrindo): Está errado (os meninos lamentaram e as meninas comemoraram). Dul?
Dul (sorrindo): Foram dois. Primeiro Império Agustín I e Segundo Império Maximiliano I.
Gui: Correto. Pode dar a tortada (as meninas comemoraram novamente agora por Dulce ter acertado a pergunta).
Dul (sorrindo): Dulce Maria também é cultura. Uhuuuuu menos um, uhuu menos um, uhuu menos um.

Dulce comemorou seu acerto, ela pegou a torta da mão dele em seguida melou todo o rosto do mesmo junto com a sua torta e saiu para comemorar.  Depois da euforia das meninas, Dul voltou para seu posto ficando de frente para o Dudu que estava serio, ela caiu na gargalhada e Dudu não aguentou e riu também. Chris pediu seriedade ao amigo para poder responder a pergunta e vencer a gincana porque Dul não era de nada, a ruiva se enfezou e foi lascar um tapa no namorado, Ivi correu atrás da amiga pedindo calma porque Christopher queria provocá-la para fazer ela se desconcentrar, Dul assentiu e voltou ao seu posto pisando fundo arrancando risadas dos meninos e principalmente de Christopher.

Gui (sorrindo): Vamos a última pergunta, por favor, mãos na orelha. Qual é o dia, mês e ano da independência Mexicana?  
Dul (sorrindo apreensiva): 16 de setembro de 1810.
Gui (sorrindo): A resposta está.
Meninas (sorrindo): Corretaaaaaaaaaaaaaaaaaa.
Gui (sorrindo): Correta.

As meninas correram para abraçar a ruiva e fizeram a maior festa comemorando a vitória, Eduardo saiu de fininho aproveitando a festa delas para não receber tortada, mas a Dulce reparou e logo saiu atrás dele.

Dul (sorrindo): Ei espertinho pode voltar.

As meninas correram atrás dele e trouxeram para perto da amiga, Dul sorriu para ele e tacou uma tortada no rosto e no cabelo do Dudu. Ele mandou ela correr porque no cabelo não valia, a ruiva disse que só levou porque fugiu. Depois de uma pequena correria entre a ruiva e o irmão, os dois resolveram sentar a mesa onde estavam sendo decidido como iam desempatar a gincana, pois estava dois a dois. Eles decidiram que ia ser a prova do ovo tinham que carregar um ovo em uma colher de uma ponta a outra, Marina sorteou um homem e uma mulher e os escolhidos foram á ruiva e Chris. A prova seria em meia hora para dar tempo de todos arrumarem a bagunça que ficou o jardim e para os competidores descansarem. Christopher resolveu tomar um banho colocou uma sunga preta e voltou para o jardim onde todos esperavam. Assim que Dulce viu o monumento pompa de ouro sair de casa só de sunga sussurrou para amiga.

Dul (ela sussurra apreensiva no ouvido da melhor amiga/prima): Ivi não vou conseguir me concentrar no jogo com Chris de sunga.
Ivi (sorrindo): Claro que vai precisamos ganhar (a loira massageia o ombro da amiga). É só não olhar Bebê, abstrai minha filha foca só na colher e no ovo.
Dul (sorrindo): Ok ok eu vou conseguir.
Ivi (sorrindo): Vai conseguir sim (a loira para de massagear o ombro da amiga e beija o rosto dela).


Última edição por Admin em Sab Abr 29, 2017 9:54 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 567
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Out 18, 2014 8:43 pm

Logo a prova de desempate começa, os oponentes estão lado a lado tentando equilibrar o ovo na colher, Christopher antes de chegar ao fim da pista para virar e se encaminhar para linha de chegada conseguiu ditar um ritmo de caminhada que lhe deu uma certa distância da ruiva. Exatamente nessa hora Dulce teve uma visão privilegiada da pompa do namorado distraindo á mesma e fazendo o ovo cair, o barulho fez a Bebê do grupo sair do transe mais não dava mais tempo Chris já estava perto da linha de chegada, dois minutos depois os gritos dos rapazes ecoaram pelo jardim comemorando a vitória da gincana e o direito de fazer a festa de fim de ano. Dulce  ao ver a comemoração dos rapazes sentou no gramado desolada por ter perdido a chance de organizar a festa. Ela sentiu raiva de si mesma por ter se distraído ao olhar o bumbum do namorado e indignada com atitude dele, primeiro por está se mostrando por ai com a sunga preta para todo mundo ficar olhando a beleza do mesmo e segundo por ter certeza absoluta que essa atitude foi pensada só para fazer ela se distrair e perder. A ruiva suspirou frustrada la pompa de ouro do namorado nunca ia passar desapercebida nem que ele aparecesse vestindo em uma saca de batata. Dul levantou pisando forte e foi até Christopher.

Dul (brava e com a mão na cintura): Christopher Uckerman vem aqui agora.

Christopher vai até a namorada encontrando a mesma com o rosto vermelho e com uma tromba do tamanho do mundo. Ele teve vontade de rir, mas sabia que era suicídio esse ato com o tamanho do bico que sua Bebê se encontrava, e outra coisa importante esses anos de amizade aprendeu que com Dulce Maria era bom sempre entender o motivo da revolta, analisar o tamanho do erro se tiver cometido, ai sim tenta mostrar seu lado da história. Agora como namorado tinha que pensar mil vezes antes de agir ainda mais pelo estresse emocional que Dulce estava vivendo e ele não queria ser mais um motivo para lágrimas rolarem nos rosto dela.  

Chris (serio): Oi Bebê o que houve?
Dul (brava): Como assim o que houve? Pensa que não sei que colocou essa sunga ai de propósito só para me fazer perder Christopher (ela gesticulava nervosa). Você sempre usa sunga com bermuda e hoje do nada resolve não por bermuda (Christopher suspira tentando não rir e ao mesmo tempo pensando em como acalmar a fera). Por que será? Para se mostrar a todas e me tentar lógico (a ruiva vermelha de raiva começa a bater nele e ele cai na gargalhada sem conseguir se segurar). Imbecil (ela dá outro tapa), irritante (Dulce suspira e dá mais um tapa) e manipulador (a ruiva seguia batendo nele).  
Chris (ele suspira não conseguindo deixa de rir): Quer dizer que eu te tento de sunga é?

Christopher sorrindo consegue fazer Dulce parar de bater nele a abraçando, a ruiva fica com vergonha e se esconde no peito dele, Chris ri mais ainda e leva outro tapa.

Chris (sorrindo): Amor sério agora não precisa ficar com vergonha isso acontece comigo também quando você me tenta (ele solta ela e os dois se afastam para se olharem). Primeiro queria te pedir desculpas não coloquei a sunga de propósito é que estavam todos esperando e não achei a bermuda de primeira então resolvi deixar para lá. Quanto a me mostrar não se preocupe sou só seu e só tenho olhos para minha Bebê ciumenta e birrenta que eu amo muito. Então me desculpa?    
Dul (ela suspira envergonhada): Não precisa pedir desculpas eu que preciso pedir sou uma boba (a ruiva o abraça e coloca uma mão no peito dele). Me perdoa Chris? (ela ainda abraçada ao namorado o olha emocionada se segurando para não chorar). Eu também te amo muito e não gosto nem de pensar em te perder que me bate um desespero e faço besteiras.
Chris (ele fica serio notando que precisava passar segurança para namorada): Claro que perdoou Bebê (Dulce dá um beijo carinhoso no namorado colando os lábios e roçando os mesmos em um beijo cheio de amor).    
Dul (ela suspira emocionada segurando as lágrimas): Obrigada.
Chris (serio): De nada (Christopher acaricia o rosto dela a olhando com firmeza tentando passar tranquilidade). E quanto a me perder não se preocupe porque não vai ok?
Dul (ela suspira mais uma vez): ok.
Chris (serio): Dul precisa entender que o que aconteceu no passado é passado (ele continua a olhando com firmeza). Seus pais biológicos tiveram um motivo para te abandonar mais isso não quer dizer que outras pessoas possam te abandonar também e (Dul tenta acabar com assunto querendo iniciar um beijo, mas ele não permite e se afasta). Nada de beijo quero que me escute (ela suspira vencida sabendo que não ia conseguir fugir da conversa com um beijo). Ninguém vai abandonar você e eu muito menos (a ruiva não conseguiu mais se segurar e começa a chorar). Bebê precisa confiar nas pessoas e não ter medo delas se aproximarem de você (ela suspira tentando parar de chorar). Precisa me deixar te ajudar falando o que passa nesse coraçãozinho machucado e nessa cabecinha que só anda pensando besteira ultimamente.

A ruiva se entrega em um choro compulsivo assustando a todos, um dos namorados de uma das amigas tira sarro dizendo que ela estava chorando por ter perdido a festa arrancando risada dos outros dois. Christopher olhou irritado para eles recriminando atitude dos mesmos, mas resolveu não fazer nada. Ele pegou a namorada nos braços e levou para o quarto, Eduardo quis tirar satisfações mais foi contido por Ivalu, as irmãs ficaram muito chateadas também mais se mantiveram caladas. Edurdo, Ivalu, Flávio, Claudia, Bianca e Rodrigo se distanciaram do grupo e ficaram conversando entre eles.


Última edição por Admin em Sab Abr 29, 2017 10:00 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 567
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Out 18, 2014 8:55 pm

Alguns minutos depois o casal DYC já se encontrava no quarto, Christopher tentava acalmar a namorada que estava em seu colo fazendo carinho nas costas dela e no cabelo, mas parecia que nada adiantava porque o pranto não cessava e ele tinha até impressão que aumentava ainda mais. Infelizmente Chris estava certo a intensidade do choro realmente se fazia mais forte fazendo a ruiva começar a ficar com a respiração cansada.  

Chris (serio): Bebê não chora, por favor, respira fundo precisa se acalmar.

Christopher Uckerman tentou deitar com a namorada na cama, mas não conseguiu. A ruiva não queria lagar ele de modo algum e ele então resolveu ficar como estava encostado com ela no colo, Chris pegou o lenço de estimação da mesma e colocou perto do rosto dela do jeito que a viu tantas vezes fazer antes de dormir. Christopher tinha que confessar que ele achava uma graça essa mania que Dulce possuía para dormir e por ele esse paninho nunca ia deixar de fazer parte da vida deles quando forem morar juntos.

Dul (chorando): Não quero (ela falou em meio ao choro que ainda se fazia presente).

Christopher entendeu o que ela quis dizer mais não deu ouvido, pois não adiantava discutir e estressá-la mais ainda. Ele sabia que a namorada estava cansada e que mais cedo ou mais tarde ia acabar adormecendo. Aos poucos o choro virou apenas soluços e foi perdendo a intensidade, a ruiva tentou lutar contra o sono como o esperado mais por fim acabou dormindo. Meia hora depois Christopher Uckerman colocava Dul na cama, a ruiva abriu os olhos e sussurrou um Chris estou com frio. Ele puxou a colcha cobriu sua Bebê, acariciou o resto dela e percebeu que estava quente. Chris de imediato se preocupou e lhe avisou que ia atrás de Ivi para pedir um termômetro e arranjar logo um antitérmico, a ruiva falou que não precisava chama – lá. Christopher ia falar, mas ela o interrompeu falando que “sim estava com febre, pois conhecia seu corpo e falou que havia um antitérmico na bolsa receitado pelo médico espanhol que tinha atendido ela um dia antes do último show”. Chris então perguntou que história era aquela porque não sabia disso e a ruiva disse que só a Any soube porque se encontrava com ela no dia do ocorrido e que depois explicava para ele tudo, pois estava com muito sono.

Christopher Uckerman falou que ia pegar o remédio que ela esperasse um pouco para que pudesse tomar o antitérmico, ruiva assentiu e ele saiu rumo à mala dela, Chris procurou duas vezes entre as coisas da namorada mais não achou, por fim lembrou que a mala que trouxe não era a mesma que veio da Espanha consequentemente não ia achar nunca o que queria ali. Ele então voltou para perto da cama para pegar seu celular na mesa de cabeceira, olhou a namorada e a viu já adormecida novamente tocou seu rosto e constatou que se encontrava realmente quente. Christopher pegou o celular e discou o número de Anahí, ele não queria ligar para sogra para não preocupa – lá. Chris aproveitaria para perguntar o que o médico espanhol disse no dia que as duas foram ao hospital na Espanha, fato que ninguém estava sabendo a não ser as duas e provavelmente Pedro que sempre tinha que ser informado de tudo e para onde iam enquanto estavam em Turnê. O celular chamou algumas vezes até Any atender.

Any (sorrindo): Oi Chris como está?
Chris (serio): Oi Any  estou muito preocupado e você?
Any (ela ficou seria vendo que o amigo estava preocupado): Estou bem. O que houve?
Chris (serio): Dul está com febre, ela veio com uma história de que já tinha acontecido isso e um médico espanhol tinha passado um antitérmico para tomar quando tivesse febre. Só que o remédio não está aqui e ela não lembra o nome do remédio. Queria saber se você sabe qual é?
Any (seria): Sei sim é novalgina o nome (Christopher anotou o nome).
Chris (serio): Obrigado loira (ele suspirou olhando o nome do remédio). Posso te ligar daqui a pouco? Queria saber que história foi essa e saber o porquê dessa febre mais preciso comprar esse remédio primeiro.
Any(seria): Lógico que pode Chris.
Chris (serio): Bom vou desligar daqui a pouco nos falamos de novo. Beijos loira.
Any(seria): Beijos Chris.


Última edição por Admin em Sab Abr 29, 2017 10:07 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 567
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Out 18, 2014 8:58 pm

Christopher Uckerman desligou o celular e se vestiu rapidamente colocando uma bermuda e uma blusa, ele olhou a namorada mais uma vez e teve a impressão que a temperatura dela tinha aumentado. Chris correu para sala e contou por alto sobre o que ocorria a Ivalu e as cunhadas e pediu que uma delas fossem ficar com Dul enquanto ele ia comprar o remédio. Logo Eduardo se prontificou a ir a farmácia e Flávio disse que ia junto, pois conhecia melhor o lugar, ele agradeceu e os dois rapazes saíram. Christopher então pediu a Ivi um termômetro e retornou ao quarto, ele colocou o termômetro na axila da ruiva e ficou pressionando o braço para que não saísse do lugar e com a outra mão ele pegou seu celular e re - discou o número de Any. Chris conversou com amiga que lhe explicou todo ocorrido e o diagnóstico do médico que constatou que era febre emocional devido a tudo que Dulce se encontrava vivendo. Christopher ficou chateado por não terem contado nada a ele, a loira se desculpou alegando que foi tão corrido o outro dia devido a gravação do clipe que acabou esquecendo de contar e deve ter acontecido o mesmo com amiga. Anahí pediu que não brigasse com ela, ele respondeu que não ia brigar só ia pedir para lhe contar sempre o que acontecia para poder ajuda - lá em tudo. Eles conversaram um pouco mais contando como estava as férias, mas logo se despediram com um pedido de Any para que sempre que pudessem ligasse para dar noticias, Chris assentiu e desligou o celular.  Ele tirou o termômetro da namorada e viu que estava com 38, 5º graus de febre passou a mão no rosto preocupado no exato momento que Ivalu entrou no quarto.  

Ivi (preocupada): Como ela está? (a loira se sentou ao lado dele que acariciava os cabelos da namorada).
Chris (preocupado): A febre está alta 38,5 º graus. Cadê o Dudu e o Flávio que não chegaram ainda?
Ivi (preocupada): Eles me ligaram e agora estão indo a outra farmácia porque a primeira que foram não encontraram o remédio.
Chris (preocupado): Está certo pode ficar um pouco com ela preciso tomar banho.
Ivi (preocupada): Claro que sim vai lá fico aqui com ela.

Christopher Uckerman  tomou banho o mais rápido que pode e logo saiu vestindo um short azul, ele avistou sua amiga tirando a temperatura de sua namorada que falava sem parar, Chris pensou que ela estivesse acordada mais na verdade a mesma estava delirando devido à febre que tinha aumentado ainda mais, o termômetro media 39º graus no momento. Ivalu enxugava o rosto da amiga quando viu Chris se aproximar.  

Ivi (serio): A febre aumentou acho melhor darmos um banho nela para ver se diminui.
Chris (serio): Certo perai vou por a minha sunga de novo e já venho buscá-la.


Última edição por Admin em Sab Abr 29, 2017 10:12 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 567
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Out 18, 2014 9:04 pm

Christopher Uckerman em menos de cinco minutos voltou usando de sunga para o quarto e encontrou a namorada de biquíni querendo se cobrir reclamando de frio. Ele a pegou no colo e pediu a Ivalu que separasse uma roupa quentinha para namorada. Os dois escutaram as vozes de Flávio e Eduardo denunciando que já estavam em casa. Ivi disse que ia apanhar uma roupa para ela, mas antes ia pegar o remédio, Christopher assentiu e seguiu para o banheiro. Logo Ivalu voltou ao quarto com o antitérmico diluído em água seguindo direto para o banheiro. Assim que ela entrou no local escutou a voz carinhosa do mais novo amigo Chris e sua melhor amiga/prima chorosa resmungando que a água estava muito gelada.

Ivi (do lado de fora do box entregando o remédio a Chris): Quanta manha meus Deus.
Chris (carinhoso): Ivi não implica com a minha Bebê, ela está dodói tadinha (Christopher acariciou os cabelos da ruiva).Toma amor.

Dulce tomou o remédio e se aninhou ao corpo do namorado ainda com frio. Eles ficaram ainda um pouco em baixo do chuveiro enquanto Ivalu separava a roupa, depois Ivi ajudou a ruiva a se vestir e levou amiga para cama. Christopher aproveitou que amiga ajudava a namorada e foi buscar o almoço para sua Bebê. Quando a ruiva já estava acomodada Chris entrou no quarto com uma bandeja com o almoço para Dul.

Chris (carinhoso): Trouxe seu almoço Bebê senta para comer (Dulce balançou a cabeça dizendo que não).
Ivi (sorrindo): Amiga vamos comer só um pouquinho está bem? (Dulce disse que não novamente).

Christopher Uckerman senta do lado dela e acaricia as pernas da ruiva.

Chris (sussurrando): Ainda está quentinha.
Ivi (sussurrando): É assim mesmo daqui a pouco baixa fique tranquilo.
Chris (ele suspira sussurrando): Queria que ela comesse pelo menos um pouquinho.
Ivi (sussurrando): Também queria (ela sorri). Vamos tentar mais uma vez.    
Chris (carinhoso): Amor.
Dul (manhosa): Prefiro Bebê.

Ivi e Chris riram da manha dela e Dul escondeu o rosto no travesseiro.

Chris (carinhoso): Bebê.
Dul (manhosa): Hum.
Chris (carinhoso): Come só um pouquinho do que está no prato, eu como o resto.
Dul (manhosa): Não tenho fome.
Chris (carinhoso): Precisa se alimentar amor.
Dul (manhosa): Prefiro dormir (ela chega perto dele para dar um beijo).
Chris (carinhoso): Sem beijo até que coma algo.
Dul (manhosa): Nem um beijinho assim tipo selinho?
Chris (carinhoso): Não mocinha (ele aperta o nariz dela).
Dul (carinhoso): Também nem queria (ela suspira ficando emburrada e virando o corpo para o lado oposto).
Ivi (rindo): Claro que não queria Chris (a loira sorri fazendo ele rir). Vou deixar vocês a sós e vou ver se o povo não quer comer, pois euzinha aqui estou com fome. Até mais (ela deu um beijo em Dul e outro em Chris lhe sussurrando). Qualquer coisa me chama e boa sorte.


Última edição por Admin em Sab Abr 29, 2017 10:17 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 567
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Out 18, 2014 9:10 pm

Christopher  assentiu ajeitando os travesseiros para encostar as costas na cama e Ivalu saiu do quarto depois de passar a bandeja para ele.

Chris (carinhoso): Hum que delícia essa carne assada, arroz e essa batata frita smile, só não é mais gostoso que o beijo da minha Bebê. (Dulce virou para ele, mas o mesmo fingiu que não tinha reparado e seguia “concentrado na comida”) Pena que ela nem quer ganhar uns beijinhos.
Dul (coçando os olhos): Bebê.
Chris (ele suspira se fingindo de distraído): Ah oi Bebê pensei que já estivesse dormindo.
Dul (manhosa): Não é .... pode me dar essa batata frita.
Chris (carinhoso): Claro toma (ele dá uma batata – frita na boca). Não quer comer um pouco de carne e arroz também? (Dul diz que não). Por favor, Bebê só um pouquinho.

Dulce abriu a boca e no fim das contas acabou comendo um pouquinho de tudo para felicidade do namorado, depois ganhou alguns beijinhos e um abraço bem apertado. Christopher ainda sentiu a namorada quentinha e a fez deitar, ele ficou fazendo carinhos na mesma até que adormecesse, a ruiva não demorou muito afinal se encontrava cansada e juntando com o remédio logo estava dormindo. Chris assim que percebeu que a sua Bebê dormia, ele aproveitou que ela descansava e organizou a festa de fim de ano com o Flávio, o cunhado e com os rapazes, que se desculparam pela brincadeira. Eles então ligaram para acertar os preparativos para festa com quem precisou e no final da tarde os namorados das amigas da ruiva e da Ivi saíram com suas namoradas para comprar as bebidas. Em meia hora o grupo voltou com as bebidas, eles arrumaram as coisas e saíram para curtir a noite. Eduardo, Ivalu, Flávio e Claudia também foram. Bianca e o namorado, Rodrigo ficaram fazendo companhia ao casal Dulce e Christopher. A ruiva já tinha acordado a uma hora atrás e os quatro conversavam na sala cada casal em um sofá, na verdade três pessoas dialogavam porque Dul nada falava desde há hora que acordou.  

Rodrigo (sorrindo): O que acha de pedir pizza para comermos?
Chris (sorrindo): Uma ótima ideia. Não acha Bebê? (Dulce estava perdida em pensamentos).
Bibi (sorrindo): Podem pedir a pizza e me deixarem um instantinho com ela já chamo vocês?
Rodrigo (sorrindo): Claro amor (ele deu um beijo na namorada e levantou para deixar a namorada conversar com a cunhada. Ele aproveitou e ligou para pizzaria).
Chris (sorrindo): Lógico cunhada.

Christopher  sorrindo levantou do sofá e tirou a namorada do mundo dela, ela olhou para o namorado como que perguntando aonde ele ia, o mesmo respondeu pedir pizza. Chris deu um beijo nela e disse já volto. Dulce deitou no sofá olhando o namorado sair da sala. Bianca já se preparava para falar quando foi surpreendida pela voz da irmã caçula.

Dul (seria): Sempre soube e escutei que mãe é quem cria e não só aquela que dá a luz e pai é quem cria também porque tem muita mãe e pai com filhos por ai que só vivi com o filho, mas não cuida, não da amor (ela suspira segurando o choro, mas com os olhos cheios de lágrimas). Então por que eu não consigo olhar para mamãe e para o papai sem sentir raiva dos dois? (a ruiva suspira deixando a primeira lágrima cair) Por que estou me sentindo tão vazia se sempre tive tanto amor? Por que eu me olho nas fotos de família e não consigo mais me enxergar dentro dela? (Dulce coloca a mão no rosto angustiada e cai no choro, Bianca sentou do lado dela no sofá lhe abraçando).

Bianca não aguentou ver sua irmã chorando e caiu no choro também, mas logo se acalmou e começou a conversar com a caçula da família. Bibi falou para irmã que tudo que ela estava sentindo era normal, pois qualquer ser humano com sentimento estaria sentindo o mesmo. A raiva é nada mais do que a decepção, tristeza e magoa por eles terem mentido por tanto tempo, mas que ela não deveria julgar os pais assim e procurar entender os motivos deles por terem agido assim ia ajudar – lá a compreender tudo, tirar esse sentimento ruim e para isso tinha que sentar e conversar de coração aberto. Bibi teve dificuldade de responder as outras duas perguntas mais por fim conseguiu passar justamente o que precisava, o vazio e não conseguir se enxergar dentro da família é normal quando se descobre que é adotada, deve ser normal se sentir sozinha, traída e achar que não faz parte da família. Mas é tudo besteira de uma cabecinha ruiva confusa porque ela faz sim parte da família, não estará nunca sozinha porque todos estarão sempre junto quando ela precisar porque seus pais e irmãs amam muito e nunca, nunca vão deixar de amar e ter orgulho de Dulce Maria, uma pessoa especial e amada por todos e que nem uma gota de sangue de qualquer familiar vale mais do que cada gesto, olhar, sorriso, atitude, carinhos, de todos esses anos que os pais de ambas, as duas e Claudia compartilharam esses vinte um anos e que ela como irmã mais velha ia ajuda – lá a superar isso, brigando quando necessário e dando carinho quantas vezes o ser ruivo na frente dela deixasse. As duas se abraçaram forte e Bianca teve a certeza que algo do que falou ia acalmar o coração ferido da irmã e o principal ia abrir pequenas janelinhas na relação dela com os pais, e com Claudia que estava tão esmorecida e qualquer vento mais forte que fosse acabava abalando a relação deles já tão machucada.

Rodrigo e Christopher ouviram um silêncio vindo da sala e resolveram ver se a conversa entre irmãs já havia terminado porque ambos estavam morrendo de saudades de suas namoradas e Chris e Rodrigo já tinham ligado para pizzaria. Os dois se aproximaram e viram que suas respectivas namoradas acabaram a conversa, mas elas ainda permaneciam abraçadas. As duas irmãs logo perceberam a presença dos namorados e cada uma deu um beijinho no seu respectivo, Christopher viu que sua Bebê esteve chorando mais nada falou se ela quisesse falar ele ficaria sabendo sobre o papo. Alguns minutos depois as pizzas chegaram e os quatro comeram saciando sua fome. Dulce, Christopher, Bianca e Rodrigo passaram o resto da noite conversando e namorando. Dul de novo teve febre no começo da madrugada, mas foi logo medicada pelo enfermeiro Christopher Uckerman que levou ela para cama assim que viu que sua Bebê estava ficando quente de novo. Apesar da febre a ruiva ainda ficou conversando com Chris até adormecer, ele ao contrário da namorada demorou um pouco a pegar no sono. A demora para dormir de Christopher fez  ele escutar a chegada dos amigos às 2 horas da manhã e logo em seguida a batida na porta de Ivalu perguntando se estava tudo bem, Ivi deu um beijo no rosto da amiga, um boa noite e um beijo em Chris e saiu do quarto. Christopher abraçou a namorada e em poucos minutos adormeceu.


Última edição por Admin em Dom Abr 30, 2017 3:45 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 567
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Nov 08, 2014 8:24 pm

31 de dezembro

O último dia do ano amanheceu ensolarado convidativo a um mergulho no mar e foi o que todos fizeram na casa de Ivalu, após tomarem café da manhã correram para praia a fim de curtir as últimas horas do ano. Dulce em meio a protestos por ter sido acordada seguia com o grupo e tomou banho de mar junto com o namorado em meio a muitos beijos e carinhos de ambas as partes. O grupo almoçou junto em um restaurante perto da praia e da casa de Ivalu. O resto da tarde todas as garotas passaram juntas no salão de beleza se preparando para virada do ano, os homens ficaram arrumando as coisas para festa ao longo da tarde.

No começo da noite as mulheres voltaram para casa e tiveram uma surpresa quando viram qual era o tema da festa. Dulce era a mais empolgada porque era justo o que ela queria, a ruiva se jogou nos braços do namorado enchendo ele de beijos, Christopher ficou muito feliz vendo a alegria no rosto de sua Bebê. O jardim estava repleto de brinquedos infláveis:
Tobogã  http://www.festplay.com.br/pop_foto.asp?foto=66_foto6.jpg
Futebol de sabão http://www.festplay.com.br/pop_foto.asp?foto=51_foto2.jpg
Pula - pula http://www.festplay.com.br/pop_foto.asp?foto=69_foto2.jpg
Piscina de bolinha http://www.iupy.com.br/novo_site_2006/brinquedos_ampliados/piscina_bolinha.html

Dulce estava encantada e saiu puxando Christopher que somente sorria e se deixava levar por sua criançona que já queria brincar.

Chris (rindo): Bebê, calma os brinquedos não vão fugir.
Dul (animada): Quero ir em todos vem Chris. Cadê o sabão? (sabão do futebol de sabão).

Christopher sentando em uma cadeira e puxando Dulce para sentar no colo dele.

Chris (sorrindo): Bebê ainda estão terminando de ajeitar tudo e só depois é que começa a festa (ele ajeita a franja dela que caiam nos olhos da mesma). Vamos tomar banho e nos arrumar?
Dul (fazendo manha): Ah Chris  vai demorar muito (ela suspira manhosa deitando a cabeça no ombro dele).
Chris (sorrindo): Está todo mundo entrando para tomar banho (ele afaga as costas dela). Vamos lá também o que acha?
Dul (manhosa): Está bem (Christopher sorriu, ele entrou com a ruiva em casa e os dois entraram em casa para se arrumar).

Todos se arrumam colocando biquíni e sunga por baixo, os rapazes com bermuda e blusa e as mulheres com short e blusa. A festa em fim começou para alegria da ruiva, a galera toda estava animada e não paravam um minuto de curtir os brinquedos. Uma hora todos iam a um brinquedo só, outra hora se dividiam em grupos para cada brinquedo, a comida e a bebida eram consumidas enquanto esperavam a vez de entrar e subir no brinquedo. Dulce e Ivalu pareciam duas molecas corriam de um brinquedo a outro sem parar, Christopher e Eduardo tinham dado uma parada para comer e beber um pouco, os dois observavam as namoradas.  

Chris (rindo): Parecem duas crianças.
Dudu (rindo): Verdade (ele sorri olhando as duas). Acho que se tivessem crianças na festa elas iam ganhar de lavada em animação e se duvidar, elas não iam deixar as pobres nem brincar direito.
Chris (gargalhando): Tenho certeza disso.
Dudu (rindo): Minha irmã é uma graça eu já tinha admiração por ela como pessoa e quando soube de tudo parece que o amor  só aumentou (Christopher sorri feliz ao saber do amor de Eduardo pela irmã). Esses dias aqui só fizeram crescer esses dois sentimentos e Ivi me disse que vou admirar ainda mais quando conhecer a Dulce alegre e divertida que está no momento escondida dentro dela (Chris sorriu assentindo). Pelo pouco que estou vendo agora acho que minha princesa está certa.  
Chris (sorrindo): Ivi está certa mesmo (Eduardo sorri). Lá vem elas.

Dulce e Ivalu viam na direção dos rapazes conversando animadas dizendo que iam ao tobogã e depois voltar para a piscina de bolinha. Elas já iam passar por eles sem nem falar, mas os dois foram mais rápidos e puxaram as duas para sentar á mesa.

Chris (sorrindo): A criança não vão parar para comer e beber alguma coisa não?
Dul (sorrindo): Já comi e bebi um pouco você estava até do meu lado.
Chris (sorrindo): É verdade (Dulce sorriu). Assunto de comida encerrado (a ruiva assentiu brincando com a blusa dele). Agora me diz quando a senhorita vai parar de brincar e me dar um beijinho hein? Porque definitivamente hoje estou sendo trocado por um bando de brinquedos (ele suspira fazendo cara de triste).
Dul (ela suspira manhosa): Ah Chris você que saiu de perto de mim e veio conversar com esse feio (Dudu fez cara de indignado e Chris gargalhou junto a Ivi).
Dudu (ele fingiu espanto): Como é Dulce Maria? (Eduardo fez cara de bravo). Me chamou de feio?  
Dul ( ela suspira fazendo uma carinha fofa): Ah Dudu foi maneira de dizer (Eduardo se mantinha serio. Chris e Ivi sorriam). Você não é Christopher Uckerman mais também não é um mostro.

Christopher riu e deu um beijo nela e Eduardo chegou perto da irmã pelas costas.

Dudu (ele suspira com cara de serio): Dulce Maria você tem um minuto para correr porque o monstro já vai te pegar.

Dulce saiu correndo morrendo de rir e Eduardo seguiu atrás dela, a ruiva correu um pouco conseguindo fugir do amigo, mas acabou esbarrando na irmã mais velha fazendo Dudu pegá-la e carrega – lá até a piscina de bolinha. Dudu sorrindo derrubou Dul e em seguida caindo na piscina também. Logo Christopher e Ivalu se juntaram a eles e ficaram conversando e namorando por ali. A ruiva cansou de ficar parada sem fazer nada e carregou todos para o jogo de futebol de sabão que já rolava no campo. Eles encontraram de um lado duas amigas de Ivi e Dul com os respectivos namorados, um deles no gol, do outro lado á outra amiga com o namorado que era goleiro, mas Flávio e Claudia. Rodrigo era o juiz do jogo e Bianca assistia ao jogo.

Dul (sorrindo): Quero jogar também.
Bibi (sorrindo): Os próximos sou eu, Ivi, Dudu e Rodrigo contra quem vencer desse jogo que está rolando.  
Dul (triste): Então eu não vou poder jogar?
Bibi (sorrindo): Só se tiver outra rodada e o povo quiser jogar também né vai saber.
Dul (triste): Ah então eu vou a outro brinquedo (ela olha para o namorado e segura a mão dele puxando o mesmo). Vem Chris.
Ivi (sorrindo): Tadinha Bi (a loira deu um beijo no rosto da amiga/prima). Você pode jogar também Bebê.
Dul (ela sorri e dando língua): Viu sua chata eu vou jogar.
Bibi (sorrindo): Não tenho medo de cara feia.
Dul (sorrindo): Por isso que eu não tenho medo da sua.
Ivi (sorrindo): Está bom as duas nada de briga todo mundo que quiser vai jogar.
Chris (sorrindo): Isso mesmo Ivi (ele beijou a namorada na testa). Sossega Bebê vamos esperar nossa vez.

Logo a partida acabou Ivalu, Bianca, Dulce e Christopher puderam jogar Eduardo ficou de juiz e Rodrigo substituiu um jogador do time vencedor que alegou cansaço. O jogo foi muito animado e para alegria de Dulce o time dela foi o vencedor. Para saber quem era o grande vencedor o time da ruiva jogou com o perdedor do confronto anterior que era o time de Claudia e mais uma vez venceram. Em comemoração os quatro caíram de peixinho uma vez de cada lado do campo.


Última edição por Admin em Dom Abr 30, 2017 5:45 pm, editado 5 vez(es)
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 567
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Nov 08, 2014 8:26 pm

Quinze minutos antes da meia noite todos se reuniram e foram esperar a virada do ano na praia levando as taças e champanhe para comemorar e enquanto esperavam conversavam entre si em uma grande roda. Quando deu meia noite os champanhes foram abertos e as taças erguidas em um coro forte de Feliz Ano Novo, todos se cumprimentaram e falaram palavras carinhosas e de incentivo a cada abraço dado, os casais se beijaram e trocaram declarações e beijos apaixonados. Cada um fez seu pedido pessoal olhando as estrelas e pediram também pelas pessoas queridas e pelo mundo, mas um pedido em si foi o mais feito naquele momento todos pediram força, tranquilidade e muito amor a caçula ali presente. Sim Dulce além de ser a menor entre as meninas do RBD era a caçulinha do grupo de amigos de infância, mas agora teria também que dividir ali o posto com o Christopher Uckerman o mais novo integrante daquela família tão unida. O grupo após os pedidos caíram na água para o primeiro banho de amar do ano, aos poucos foram saindo e voltando para casa para continuarem a farra por lá, os únicos que ficaram foram Dul e Chris que ainda estavam no mar curtindo um momento a dois aos beijos e caricias que cada vez ficavam mais intensas.

Christopher colou sua testa na de Dulce, quando os dois se afastaram, tentando buscar o oxigênio que estava lhes faltando. Não demorou para que ele a apertasse mais pela cintura, colando mais ainda seus corpos. Dulce o abraçou percorrendo com os dedos, levemente, por toda a extensão de seu tórax. Por fim, as subiu, acariciando por cada partezinha do corpo dele que ela passava; chegou finalmente em seu pescoço e, passando as mãos por trás da nuca dele, sentindo como o cabelo dele era tão convidativo, que levou as suas mãos até ali, enquanto novamente esmagava os lábios de Christopher, o puxando pelos cabelos com o intuito de aprofundar o beijo. Ele respirou fundo, e gemeu entre os lábios, quando sentiu a língua quente e ávida de Dulce, lhe empurrar os lábios, pra que ele desse a permissão que faltava para que ela lhe invadisse a boca. Christopher entreabriu mais os lábios, permitindo a passagem da língua de Dulce, que não se fez de rogada, e logo já estava entrando em contato com a dele, que se encontrava afoita, esperando pelo choque. Christopher apertou Dulce mais ainda pela cintura, a fazendo com que puxasse seu cabelo mais fortemente, enquanto alçava suas pernas, que entrelaçaram a Christopher pela cintura. Ele sentiu quando seu membro começou a latejar de desejo, não queria forçar nada com Dulce, iria ser no tempo dela, embora desejasse ao máximo estar com ela, poder estar ainda mais conectado a ela, uh, como desejava aquilo. Christopher parou ofegante e a olhou nos olhos, quem franziu um pouco a testa, não tendo gostado daquele afastamento. Dulce desentrelaçou as pernas da cintura de Christopher, fazendo com que ele tivesse a certeza que fez bem ao interromper aquele momento que começava a ficar perigoso para ambos. Dulce piscou os olhos uma, duas vezes, olhando pra Christopher novamente. Olhou fundo em seus olhos e conseguiu ver o porquê dele ter parado tudo. Estava inseguro que ela mesma não o quisesse, não o desejasse. Como seria possível que ela não o desejasse? Aquilo não era possível e, naquele momento, menos ainda. Baixou a mirada, pra depois leva-la até ele novamente, conseguiu ver o amor que ele lhe passava apenas com um olhar, viu aquele sentimento que os estava entranhando cada vez mais, viu o sentimento que ela mesma sentia por ele. E, naquele momento, não soube quem amava mais o outro, soube apenas que aquele amor existia e era mais forte do que muitos acreditavam que fosse, até ela mesma. Foi ali que ela sentiu-se mais do que segura entre os braços de Christopher, foi ali que Dulce não teve mais dúvidas, o queria, queria se entregar a ele, como muitas vezes havia pensado em fazer, mas que sua vergonha e, talvez, qualquer outro sentimento a impedisse. Mas agora esses não existiam mais, apenas se mantinha a vontade de ter Christopher junto a si, o mais junto possível. Sentiu-se, mais do que nunca, preparada para Christopher.

Chris: Dul... é... (sem saber muito que falar, estava já incomodado com o silêncio da namorada e, mais ainda, estava com medo das coisas que ela poderia estar pensando)
Dulce: Chris... (percebendo seu medo) Nunca tive tanta certeza do meu amor por você.

Aquela declaração fez com que Christopher reaquecesse seu coração. Pelo menos, ele já sabia que chateada ela não estava com ele. Sentiu como Dulce se aproximou mais dele, devido a onda um pouco mais forte que havia passado por ali. Olhou para o mar ao lado, observando se vinha alguma outra onda, que lhes pudesse dar um caldo, porém não havia. Voltou-se novamente para Dulce, que mantinha sua mirada fixa em Christopher. Ela colou seu corpo novamente ao dele, levando as mãos até seu ombro, o apertando de leve naquela região. Dulce olhou pra baixo, sentindo a mirada de Christopher sobre si. Levou a mirada até a dele, e começou a subir as mãos, no mesmo caminho que seus olhos faziam. Passou a mão pelo queixo dele, que estava um pouco áspero devido a barba por fazer, subiu, tocando com os dedos em seus lábios, lábios aqueles que tantas vezes quis tocar e que tantas vezes mais foram massacrados pelos seus. O nariz europeu, perfeitinho que ele tinha, os olhos, aqueles olhos que ela se afogava em tamanha imensidão. Ele era lindo, por dentro e por fora e, talvez, por isso que havia se apaixonado perdidamente por ele. Respirou fundo, ao sentir a respiração de Christopher descompassada, assim como seu coração começava a bater. Era a hora, era o momento certo.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 567
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Nov 08, 2014 8:28 pm

Dul: Chris, eu te amo, e... (tragou a saliva, o olhando nos olhos) eu te quero. Preciso de você (Christopher arregalou os olhos).
Chris (incrédulo): Como?
Dul (sorrindo): Quero ser sua, Chris.

Christopher piscou três vezes, antes de voltar sua mirada sobre Dulce, que apenas sorria da incredulidade dele. Observou aqueles olhos castanhos dela, que tanto lhe chamavam atenção e tanto lhe revelavam, cada desejo, cada sentimento, os olhos dela revelavam tudo e, foi ali que ele percebeu o que ela realmente queria. Não evitou mover a mandíbula, formando um sorriso no rosto, o que mais queria era tê-la, de verdade. Christopher aproximou seu rosto do de Dulce novamente e colou seus lábios, lhe dando um beijo carinhoso, enquanto a tomava nos braços, fazendo com que ela tirasse os pés da areia fofa e molhada, que ambos pisavam. Dulce se aninhou a ele, o segurando pelo pescoço, entreabriu mais os lábios e devorou os lábios do mesmo. Sentiu como ele lhe apertou a cintura novamente, porém dessa vez, mais forte e suspirou, entre o beijo, quando sentiu uma das mãos descerem até suas nádegas. O apertou mais pelo pescoço, o puxando pelos cabelos, até que se afastaram violentamente. Ambos haviam sido atingidos em cheio por uma onda forte. Eles submergiram, procurando um ao outro. Logo chocaram suas miradas e sorriram alto.

Chris: Definitivamente, aqui não dá (ele riu acompanhado de Dulce).

Dulce o sentiu agarrando sua mão, enquanto iam, de mãos dadas, saindo da água, em direção a areia. Viram suas coisas ainda ali perto. Havia uma canga estendida na areia seca e, ao lado, uma bolsa com as coisas de ambos (celulares, chaves, carteiras e algumas peças de roupa). Ele a abraçou de lado, aquecendo o corpo da mesma, que estava toda arrepiada, devido ao vento gelado que estava. Seguiram até suas coisas e Christopher se abaixou pra pegar a bolsa, porém caiu sobre a canga quando Dulce o empurrou. Ele se virou pra ela, que ria largamente. Ele sorriu, não entendendo direito o que estava acontecendo. Chegou até a pensar, por um momento, que Dulce pudesse ter desistido, mas aquilo foi descartado, quando a sentiu deitar-se por cima dele.

Chris (franzindo a testa): Dul... (a chamando) é... aqui?
Dul (sorrindo): Sempre sonhei em fazer isso a luz da lua e nada melhor do que, de madrugada, numa praia deserta, com quem eu amo. Está preparado pra me aguentar pelo resto do ano?
Chris (franzindo a testa novamente): Por quê?
Dul (sorrindo): Em alguns lugares do mundo, sustenta-se a ideia de que, o que se faz, com quem está acompanhado durante a virada do ano, é com quem e como você vai passar durante todo esse ano.
Chris (sorrindo): Se isso for verdade, eu vou querer passar todas as viradas de ano assim, com você, Bebê.
Dul (sorrindo): Eu também. Sempre. Ah, mas você... (sem jeito) tem... (cerrando os olhos, com vergonha).
Chris (sorrindo): Tenho está na minha carteira.


Última edição por Admin em Dom Abr 30, 2017 5:54 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 567
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Nov 08, 2014 8:29 pm

Dulce sorriu e se levantou um pouco de lado, abrindo a bolsa. A primeira coisa que viu foi o celular de Christopher. O pegou, desligando-o em seguida. Fez o mesmo com o seu, o guardando na bolsa novamente, para então, pegar a carteira do namorado. A abriu, vendo o que jazia ali dentro. Com um leve rubor nas bochechas, tirou dali de dentro, entregando a Christopher, que apenas sorriu da vergonha dela, que voltou a guardar a carteira dele na bolsa. Sem que Dulce menos esperasse, Christopher a puxou fazendo com que ela caísse em cima de si. Colou seus lábios aos dela, num selinho apertado. Depois colocou o pacote que tinha em suas mãos de lado e, com calma, se virou, depositando, muito delicadamente, Dulce sobre a canga, enquanto se projetava em cima dela. Christopher colou seus lábios aos dela, enquanto deixava seu tórax por cima dela e uma das pernas entre as dela. Dulce entreabriu os lábios, envolvendo a língua de Christopher com a sua, enquanto aprofundava o beijo novamente. O apertou mais entre seus braços, sentindo como ele descia as mãos em direção à coxa dela. Apertou a coxa direita de Dulce levemente, ouvindo um gemido lhe escapar por entre a garganta, enquanto as mãos dela desciam pelas suas costas, chegando até onde elas mudavam de nome. Dulce pressionou as mãos contra a bunda de Christopher, fazendo com que o choque de suas intimidades fosse ainda maior. Ambos foram tomados pelo desejo. Dulce estava um tanto nervosa e mal sabia que Christopher não estava tão diferente. Embora já tivesse feito aquilo várias e várias vezes, em nenhuma delas houve tanto amor. Por nenhuma das outras, o amor de Christopher chegava a ser um quinto do que tinha por Dulce. Ela pressionou o corpo dele mais uma vez, o que fez com que Christopher ficasse mais excitado do que já estava, ele a beijou ainda com mais volúpia e ela correspondia a altura. Quando o fôlego acabou, Christopher continuou a beijando, sugando todo o ar que podia, enquanto baixava os lábios, dedicou-lhe vários selinhos mais, passando em seguida pela bochecha dela, onde depositou alguns beijos carinhosos. Desceu em seguida até o queixo da mesma, o mordendo de leve, o que arrancou um suspiro alto de Dulce. Desceu, deslizando seus lábios pelo pescoço dela, que jogava a cabeça para trás procurando pelo ar que lhe faltava. Christopher beijou-lhe os ombros, enquanto suas mãos chegavam, sem pressa, até o nó do biquíni que Dulce vestia. Ele puxou a tira, desfazendo o nó, enquanto beijava toda a extensão de seus ombros e de seu colo. Dulce delirava a cada beijo e a cada carícia que ele lhe dedicava, a deixando completamente louca. Ele retirou por completo a parte de cima do biquíni, a deixando apenas com a calcinha do biquíni. Christopher a olhou seminua e quase ficou sem fôlego. Seu olhar parou um instante pelo colo e pelos seios dela, que subiam e desciam rapidamente, de acordo com a respiração de Dulce. Admirou por alguns instantes, até que voltou a atuar. Beijou suas pernas, passando suas mãos pelas coxas de Dulce e voltou a beijar-lhe na barriga com desejo e paixão, a fazendo deixar escapar um gemido abafado por entre os lábios que já não conseguiam se manterem cerrados por completo. Christopher foi subindo seus lábios novamente, até que eles se deparassem com o que há pouco eram seus olhos que admiravam. Viu novamente o colo de Dulce subir e descer, e esse movimento ficou mais intenso, quando ele começou a depositar beijos e carícias ali, naquela região. Ele deslizou sua boca pelo vale entre os seios dela e lhe devorou ferozmente a carne do pescoço da mesma. Ela sentiu o corpo dele se mover sobre o seu, sentindo como o membro dele impulsionava-se cada vez mais contra a feminilidade dela, o que fez com que ela deixasse um novo gemido escapar de sua garganta, enquanto passou novamente as mãos pelo peito de Christopher, descendo pelo tórax, até chegar ao cós da bermuda que ele vestia. Desabotoou a bermuda dele, pra depois retirá-la com um pouco de esforço. Agora ele estava apenas com a sunga. Dulce espalmou as mãos novamente nas costas largas de Christopher, arranhando de leve aquela região. Ele seguia beijando seu pescoço, deslizando suas mãos da cintura, até o seio esquerdo de Dulce, começando ali a fazer uma carícia deliciosa, que fez com que Dulce se aferrasse mais ainda às costas dele, lhe dando uma mordida no pescoço, tentando conter o desejo e outro gemido que quase lhe escapou. Christopher apertou o seio de Dulce com um pouco mais de força, fazendo com que ela emitisse um som alto. Ele voltou a beijar-lhe nos lábios, calando vários gemidos que acabavam morrendo da boca de ambos. Christopher continuava a acariciar lhe os seios, enquanto mordiscava, por diversas vezes, o lábio inferior de Dulce, que já se encontrava bastante avermelhado e inchado. Ela quase pediu por mais quando ele retirou as mãos dos seios dela, descendo, passando por seu ventre e seguindo até sua coxa. Ele passou as mãos por baixo das nádegas dela, pressionando o corpo dela contra o seu. Dulce sentiu o corpo de Christopher lhe pressionar-lhe mais ainda, isso fez com que ela jogasse a cabeça pra trás e a cintura pra frente, buscando uma maior profundidade no contato, coisa que, por enquanto, não seria possível ainda. Sem mais delongas, Dulce levou as mãos as coxas de Christopher, as apertando fortemente, tentando descarregar ali um pouco do desejo que estava sentindo. Sem se conter mais, arrancou-lhe a sunga rapidamente, a jogando para o lado. Quando Christopher voltou a depositar todo seu corpo sobre o de Dulce, a pressão se fez mais presente e, tanto ela, como Christopher, não conseguiram evitar que um gemido alto saísse por suas bocas. Ele a beijou com vontade, quase lhe arrancando os lábios, precisava descontar um pouco do que estava sentindo. Em todas as outras situações parecidas que havia vivido, nunca deixava que seu desejo saísse de seus lábios, isso quase nunca acontecia. E, quando acontecia, era apenas nos momentos finais. Por ser de origem européia, diferentemente dos mexicanos, que tinham o calor nas veias já, ele era mais contido. Porém, naquele momento, seu lado europeu, ou qualquer outro que tinha, haviam sumido por completo. Christopher precisava de Dulce, amava Dulce, desejava Dulce e queria demonstrar, sim, tudo o que estava sentindo. Ele sugou o lábio inferior dela novamente, antes de afastar-lhes, descendo os beijos até a barriga dela. Levou suas mãos até a borda da parte debaixo do biquíni que Dulce vestia, deslizando-a, vagarosamente, pelas pernas, enquanto lhe beijava as coxas, os joelhos e as pernas, chegando até o tornozelo, onde deixou de beijá-la e apenas retirou a última peça que impedia seus corpos da união por completo. Dulce fechou os olhos, extasiada, esperando que Christopher voltasse a pesar seu corpo sobre o dela, porém parecia estar demorando demais. Abriu os olhos, levantando um pouco a cabeça e pôde ver o que ele fazia. O viu abrindo o pacote da camisinha, e sorriu quando o viu abaixar as mãos até chegar em seu membro. Fechou um pouco os olhos, tampando um pouco a vista, porém nem deu tempo de abri-los novamente, pois já sentia, novamente, o corpo de Christopher roçar de leve sobre o seu. Abriu os olhos, sentindo falta do peso maior e viu como ele a mirava. Aquele brilho dos olhos dele, aquele brilho parecia ter aumentado muito mais, ainda mais com a luz da lua sobre ambos. Christopher se apoiou com os joelhos sobre a areia, enquanto inclinava seu corpo um pouco pra frente. Tocou os lábios de Dulce com os seus, levemente apenas. Depois separou-se dela novamente, pra sorrir ao vê-la sorrindo também. Levou sua mão até rosto dela, o acariciando de leve, fazendo com que Dulce suspirasse. Ele desceu as mãos pelo pescoço e pelos ombros dela. Fez um carinho rápido nos braços dela, tocando-a no ventre novamente. Subiu e desceu seu olhar por todo o corpo de Dulce, que prendeu a respiração ao vê-lo sorrindo e com os olhos brilhando mais do que nunca. Sentiu-se um pouco envergonhada, mas logo esqueceu-se quando sentiu os lábios dele esmagando um pouco os seus.


Última edição por Admin em Dom Abr 30, 2017 6:05 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 567
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Sab Nov 08, 2014 8:30 pm

Chris: Você é perfeita, Dulce. Muito mais do que eu esperava. Eu te amo. Muito, minha Bebê (sorrindo, beijando-a de leve novamente).

Christopher se pôs sobre Dulce novamente, apenas se apoiando com o cotovelo, para que não ficasse muito peso em cima dela. Depois de beija-la nos lábios, desceu a boca até o pescoço dela, onde depositou um beijo carinhoso e uma mordida, a fazendo suspirar, e desceu até o vale entre os seios dela. Passou a língua ali, ouvindo-a gemer seu nome. Aquilo o deixou louco, levando a boca um pouco para o lado, beijou o seio direito de Dulce, enquanto acariciava o outro com a mão. A sentiu apertar suas nádegas, pressionando as intimidades, uma contra a outra. Deixou escapar um gemido mais alto que o de Dulce e abocanhou o seio dela de uma vez. Continuou as carícias ali com os lábios e com a língua, enquanto ela pressionava seu rosto pela nuca, atrás de mais e mais carícias. Ele logo trocou um seio pelo outro e sentiu como Dulce envolveu sua cintura com as pernas. Havia chegado o momento. Deu uma mordiscada no bico do seio esquerdo de Dulce, que gemeu e abriu os olhos, sentindo ele beijar-lhe os lábios. Sentiu a língua dele acariciando a sua e como ele, aos poucos, pressionava o membro ereto contra seu corpo. Christopher sentiu Dulce gemer em sua boca e afastou os lábios, abrindo os olhos para encará-la. Pressionou um pouco mais seu corpo contra o corpo dela e a sentiu cerrar os olhos. Pôde ver um pouco de medo naquele olhar, porém sabia que seria assim. Ela nunca havia feito antes. Acariciou o rosto dela carinhosamente, enquanto ia encaixando, aos poucos, seu corpo ao dela. A ouviu gemer de dor, ficou um pouco assustado, porém ela apertou suas costas contra ela. Tudo ficaria bem. Voltou a deslizar seu membro pelo corpo dela, até encontrar o máximo. Ele ficou por alguns instantes sem se mexer para que Dulce se acostumasse com a presença dele ali dentro dela, porém foram poucos instantes, já que a própria Dulce impulsionou seu corpo pra frente, fazendo com que ele começasse a se movimentar dentro dela. Dulce fechou os olhos e gemeu com o primeiro movimento, se entregando por completo ao homem que amava, assim como havia sonhado fazer um dia. Dulce fincou as unhas nas costas de Christopher, fazendo com que ele acelerasse os movimentos, juntamente com as respirações de ambos. Ele alternava os movimentos, ora lentos, ora rápidos, provocando sensações avassaladoras. Dulce deixou-se levar pelo prazer e deixou escapar um gemido mais alto, que foi abafado por um beijo ardente dele. Os movimentos começaram a ficar mais pausados, até que chegaram, juntos, a uma explosão, que foi acompanhada por um gemido alto de ambos. Ele deixou-se cair sobre o corpo de Dulce, que mantinha as pernas entrelaçadas na cintura dele. Ela passou as mãos pelos cabelos de Christopher, que estavam molhados devido ao suor. Ele levantou um pouco a cabeça, bastante ofegante, assim como ela, e a mirou. Ela nem percebeu que ele estava a olhando, apenas mantinha um sorriso de deleite nos lábios. Ele deu-lhe um beijinho no pescoço, o que fez com que o sorriso dela se ampliasse. Aos poucos, ainda deitados um sobre o outro, as respirações foram se acalmando. Dulce desentrelaçou as pernas do corpo de Christopher e as deixou relaxadas sobre a canga. Ele deslizou o corpo sobre o dela, desencaixando os corpos. Ela suspirou e ele lhe beijou na cabeça, saindo de cima dela. Dulce viu quando Christopher levantou-se, ficando de pé de costas para ela. Ele tirou a camisinha e a enrolou no pacote novamente, deixando um pouco escondido sobre a areia. Quando eles fossem voltar, ele pegaria e jogaria fora. Em seguida, se virou, ficando de frente pra Dulce, que não evitou o risinho, coisa que fez graça nele também. Ele ajudou-a a levantar-se e abraçou. Ela depositou a cabeça no peito dele, ouvindo seu coração bater forte, do mesmo jeito que o dela.

Dul (sorrindo)  Não podemos ficar aqui assim, Chris. Já nos arriscamos demais. Daqui a pouco o sol vai nascer. Já está clareando.
Chris: Você tem razão. (sorrindo, beijando-lhe de leve os lábios) Obrigado por tudo.
Dul: Obrigada você. Eu te amo. (sorrindo também)
Chris: Não mais do que eu. (ele suspira a beijando)

Os dois cataram suas coisas, assim que se afastaram do beijo. Eles entraram na água, tirando um pouco de areia que tinham no corpo, para depois colocarem o biquíni e a sunga de volta. Dulce enrolou a canga em seu corpo, enquanto Christopher pôs apenas a bermuda. Guardaram o resto das roupas dentro da bolsa e puseram seus chinelos. Christopher pegou o pacote, que iria jogar fora. Os dois viram como o sol já nascia e se deram um beijo, desejando um feliz ano novo. Deram as mãos e foram saindo da praia.


Última edição por Admin em Dom Abr 30, 2017 6:08 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 567
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Seg Nov 10, 2014 8:26 pm

Meia hora depois o casal se encontrava na varanda de casa de banho tomado prontos para dormir, Christopher vestia um short de seda e Dulce vestia seu pijama azul composto de short e blusa de alcinha. Os dois tomavam um copo de achocolatado e dividiam um pão com mortadela e queijo, ambos preparados por Chris. Eles dividiam porque a ruiva muito manhosa reclamava de sono dizendo que tinha preguiça e não estava afim mastigar, mas no final das contas quando viu o pão do namorado esquentado na sanduicheira cheirando não resistiu e pediu ao mesmo, que logicamente cedeu metade de seu sanduíche a sua Bebê. Após comerem lavaram a louça em meio a declarações de amor e beijos apaixonados de ambas as partes, eles olharam o relógio e o mesmo marcava quase sete horas da manhã. Chris pegou a namorada no colo e se dirigiu ao  banheiro do quarto lhe depositando em cima da pia, ele pegou as escovas de dentes e a pasta, colocou pasta na escova dela e depois na dele.  

Chris (sorrindo): Pronto Bebê preguiçosa ( ele dá um selinho nela e entrega a escova de dente a namorada). Agora vamos escovar os dentes.

Dulce assentiu sorrindo a ele, os dois começaram a escovar os dentes enquanto cuidavam de sua higiene bucal, eles não despregavam os olhos um do outro transmitindo amor e recordando a noite que tiveram juntos, prometendo a si mesmos proteger e amar intensamente dia a após dia a pessoa a sua frente e tentar nunca magoar o amor que sentiam um pelo outro. A ruiva foi a primeira a terminar deixou a escova do lado e se aconchegou no pescoço do namorado fechando os olhos, o mesmo enxugou a boca e deu um beijo na testa dela, guardou as escovas de dente, a pasta e estendeu a toalha em seguida rumou direto para cama depositou a namorada com todo cuidado na cama colocando o lençol no rosto dela, mania da mesma sempre que ia dormir desde pequena, já se afastava quando ela abriu os olhos perguntando apenas com o olhar aonde ele ia.

Chris (sorrindo): Já venho amor só vou fechar a cortina (ele deu um beijo na testa dela que fechou os olhos) Te amo Bebê, te amo muito.
Dul (ela abriu os olhos para encontrar a mirada dele): Também te amo Chris, te amo muito muito (a ruiva deu um selinho nele) Não demora.

Dulce ainda ficou olhando o namorado andar na direção da cortina, mas os olhos pesaram, a obrigando a fecha – lós suspirou e agradeceu por ter ele ao seu lado e logo adormeceu. Christopher fechou as cortinas e foi se deitar ao lado de sua Bebê já adormecida, ele acariciou o rosto da mesma que instintivamente procurou o peito do mesmo e acomodou - se, tirando um sorriso bobo do namorado que ainda ficou observando a ruiva ressonar pesadamente em seu peito, mas o cansaço logo o pegou também lhe fazendo adormecer.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 567
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Seg Nov 10, 2014 8:32 pm

01 de janeiro de 2007

A primeira manhã do ano foi tranquila e calma na casa de praia de Ivalu, os primeiros a acordarem foram os amigos de Ivi e Dul que levantaram no final da manhã por volta das onze horas, depois os outros foram acordando com o passar das horas, o último a levantar foi Dudu que encontrou a namorada na cozinha tomando café da manhã, deu um beijo na mesma e logo se juntou a ela na primeira refeição do dia, Ivalu contou que a galera deixou um recado para eles, para Dulce e Christopher avisando que tinham ido à praia e que almoçariam por lá mesmo.

Dudu (sorrindo): Pelo visto só estamos nos quatro em casa.
Ivi (sorrindo): Sim nos dois acordados e sua irmã e Chris dormindo.
Dudu (sorrindo): Verdade e os dois devem demorar a acordar porque nos voltamos e eles ainda ficaram por lá.  
Ivi (sorrindo): Verdade e olha que fomos dormir às quatro da manhã, sabe – se que horas os dois foram dormir. Então o que vamos fazer ficamos por aqui ou vamos a praia nos encontrar com a galera?
Dudu (sorrindo): Por mim tanto faz amor. O que prefere?
Ivi (sorrindo): Ficar por aqui mesmo. Podemos tomar banho de piscina e eu posso fazer um macarrão gostoso para nos quatro. O que acha?
Dudu (sorrindo): Acho perfeito. Vou por minha sunga então e já volto.
Ivi (sorrindo): Ok te espero lá fora (ela saiu para o deck e Eduardo foi para o quarto trocar de roupa).

Logo Eduardo se juntou a namorada na piscina, o casal ficou conversando sobre a festa de ontem, dos dias que passaram juntos e principalmente da relação dos dois, Ivalu perguntou se ele não queria ficar em vez de ir com a galera amanhã, Dudu respondeu que a irmã tinha pedido para ele ficar e ele decidiu ficar, pois não queria se separar nem dela e nem de Dulce, Ivi sorriu e lhe deu um beijo carinhoso.

Ivi (sorrindo): Que horas são?
Dudu (sorrindo): São quase três da tarde. Por quê?  
Ivi (sorrindo): Vou fazer nosso almoço, daqui a pouco os dois podem levantar e também estou ficando com fome.
Dudu (sorrindo): Vou com você então ficamos conversando enquanto cozinha e posso te ajudar em alguma coisa se quiser.
Ivi (sorrindo): Então vamos amor (os dois seguiram para cozinha para Ivalu cozinhar).  

Enquanto os dois cuidavam do almoço, Christopher abria os olhos no quarto coçando os olhos e se espreguiçando como dava, pois Dulce seguia abraçada e com a cabeça encostada no peito dele, Chris olhou a namorada que dormia tranquila e com sono pesado de bruços, ele com todo o cuidado do mundo se afastou e saiu da cama seguindo para o banheiro. Vinte minutos depois Christopher saiu já vestido com uma sunga azul e uma bermuda branca com laranja, ele olhou o relógio e viu que era três horas da tarde, Chris  saiu do quarto para preparar algo para os dois e em seguida acordaria sua Bebê para comer. Quando entrou na cozinha encontrou Dudu e Ivi fazendo o almoço em meio a risadas.

Chris (ele falou com a voz rouca de sono): Boa tarde.
Ivi e Dudu (sorrindo): Boa tarde.
Ivi (sorrindo): Já era hora hein que sono. Vamos almoçar estou acabando aqui?  
Chris (sorrindo): Vamos sim só preciso acordar a Dul.
Dudu (rindo) : Então estamos ferrados até minha irmã resolver acordar a comida já esfriou, Papai disse que Dul dá um trabalhão para acordar (Chris e Ivi assentiram sorrindo).
Chris (sorrindo): É verdade minha Bebê é dorminhoca (Ivalu assentiu sorrindo e Eduardo somente sorriu). Vou chamá-la daqui a pouco volto (Ivi e Dudu assentiram e Chris retornou ao quarto que dividia com a namorada).


Última edição por Admin em Dom Abr 30, 2017 6:15 pm, editado 2 vez(es)
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 567
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Seg Nov 10, 2014 8:35 pm

Christopher entrou no quarto e encontrou a namorada do mesmo jeito que deixou quando saiu para tomar banho, ele sentou na cama e começo a fazer carinho nas costas da mesma.

Chris (sussurrando): Bebê vamos acordar.
Dul (manhosa): Nãooooo vem mimi Chris está cedo.
Chris (rindo): Que manha ( ele dá um selinho nela). Bebê já são quase três e meia da tarde, Ivi e Dudu estão esperando a gente para almoçar (Christopher fez carinho nas costas da namorada). Levanta Bebê manhosa vamos comer. Depois podemos tomar banho de piscina o que acha?
Dul (manhosa): Não quero Chris nem comer e nem piscina, quero dormir.

Dulce não escutou mais nenhum barulho e já começava a adormecer de novo quando sentiu duas mãos fortes lhe agarrar pela cintura e tira – lá da cama.  

Chris (sorrindo): Mocinha vamos acordar já está muito tarde.
Dul (manhosa): Bebê tenha piedade.
Chris (rindo): Piedade, por quê?
Dul (manhosa): Ora porque sei que vai me jogar na água gelada (eles chegaram ao banheiro com Dulce ainda no colo de Christopher).  
Chris (sorrindo): Tadinha (ele beijou carinhosamente a namorada). E por quê acha que faria isso com a minha Bebê?
Dul (manhosa): Porque você é o monstrucker do banheiro.    
Chris (rindo muito): Ah é.
Dul (manhosa): É.
Chris (ele ficou serio): E sabe o que monstrucker faz com as mocinhas indefesas?
Dul (curiosa): O quê?

Christopher nada falou mais encheu a namorada de cosquinha tirando risadas dos dois e Dulce chegou a ficar vermelha de tanto rir. O momento do casal foi quebrado quando Ivalu gritou da porta do quarto “Dulce Maria o almoço é para hoje não para amanhã anda mulher estou com fome”, os dois riram da amiga, Dul abraçou o namorado e deu um beijo carinhoso no mesmo que correspondeu a altura.

Dul (sorrindo): Avisa a gasguita que só vou jogar uma água no corpo e já apareço para comermos.
Chris (ele dá um selinho na namorada): Ok Bebê te espero lá na mesa (ela assentiu sorrindo). Ah põe o biquíni para cairmos na piscina depois.
Dul (sorrindo): Está bem não demoro (ela devolve o selinho) Te amo Chris.
Chris (sorrindo): Também te amo Bebê.


Última edição por Admin em Dom Abr 30, 2017 6:19 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 567
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Admin em Seg Nov 10, 2014 8:38 pm

Assim que Christopher saiu do banheiro, a ruiva se despediu e tomou seu banho. Dulce não demorou muito no banho, pois somente jogou uma água no corpo. Ela puxou uma toalha e saiu enrolada na mesma, pegou seu biquíni preto e um short jeans curto, voltou ao banheiro escovou os dentes, penteou seus cabelos ruivos, passou um brilho labial e saiu do quarto para encontrar o namorado, Ivi e Dudu já na mesa com tudo pronto para o almoço.

Ivi (sorrindo e batendo palmas): Graças a Deus em fim a madame resolveu acordar do sono de beleza.
Dul (rindo): Deixa de ser exagerada Ivi até parece que não me conhece desde que usamos fralda sabe que prezo minhas horinhas de sono (a ruiva senta ao lado do namorado). Agora em menos de um mês, após um certo alguém entrar na minha vida não durmo tudo que queria dormir porque sou arrancada da cama a força culminando em um banho que é gelo puro (ela ajeita o cabelo prendendo o mesmo). Mi amor é muito delicado comigo me acordando então é um amor.
Ivi (a loira sorri dando um beijo de bom dia na amiga): Isso é verdade (todos sorriram). Boa tarde amiga.
Dul (sorrindo): Boa tarde ao casal (ela sorri dando um beijo no Dudu). Oi amor (a ruiva dando um selinho em Chris).
Chris (ele tira o sorriso do rosto e fica serio): Oi Bebê. Então quer dizer que tiro você a força da cama e coloco de baixo do chuveiro com água fria? Atacando de monstrucker.
Dul (rindo muito): Sim.
Chris (serio): Hum (ele pisca disfarçadamente para os amigos). Vamos comer estou com fome (eles começam a se servir menos Dul que fica olhando o namorado que está serio).
Dul (ela fica seria ao ver ele serio): Chris não fica bravo. Eu gosto que me acorde, gosto do monstrucker e de tudo em você.
Chris (serio): Certo Maria já entendi (ela pisca notando que ele ficou mesmo “bravo”). Não vai comer?
Dul (serio): Está bravo? Me perdoa Chris não queria magoar você (a ruiva faz biquinho toda triste e se jogando nos braços dele).
Chris (sorri): Não estou bravo Bebê (ele beija carinhosamente a namorada no topo da cabeça dela). Foi só uma brincadeirinha ok? (ela assentiu ainda em duvida). Pega seu prato para comermos.
Dul (ela suspira ainda abraçada a ele): Jura que não está bravo?
Chris (sorrindo): Juro amor (ele beija novamente o topo da cabeça dela). Está tudo bem sim? (a ruiva assente mais confiante). Senta direito para comermos precisa se alimentar.  
Dul (sorrindo): Me der um beijo?
Chris (sorrindo): Todos que quiser Bebê.

Christopher beijou a ruiva carinhosamente arrancando sorrisos dos amigos que achavam lindo a relação do casal mais fofo do RBD. Ivalu sabia que amiga estava em boas mãos pelo pouco que conhecia de Chris, pois sabia que ele ia fazer de tudo para que Dulce fosse á mulher mais feliz do mundo. Já Eduardo conhecia um pouco mais dele e sabia que apesar de toda fama que a mídia deu a seu amigo sabia que Chris era o rapaz certo para sua irmã caçula, a quem a cada dia se encontrava mais e mais encantado por ela. Após o beijo Dulce fez seu prato e os quatro comeram a macarronada feita por Ivi em meio a muitas risadas e comentários sobre a festa de Ano Novo. Assim que os quatro acabaram de comer, os homens foram lavar a louça do almoço a pedido de Ivalu que arrastou a amiga para conversar na varanda. Os dois aceitaram na hora, pois já sabiam o motivo da conversa de Ivi e torciam para que a resposta da ruiva fosse positiva para comemorarem o inicio do ano com os pais e tentarem mais uma vez fazer com que Dulce perdoasse os pais, ou pelo menos começasse a perdoar por terem escondido por tanto tempo o fato dela ser adotada.


Última edição por Admin em Dom Abr 30, 2017 6:23 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 567
Data de inscrição : 02/07/2014

Ver perfil do usuário http://dulrevoltsavinon.forumbrasil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por franmoreira89 em Ter Nov 11, 2014 9:00 pm

Na varanda

Ivalu sentou no sofá e fez Dulce deitar no mesmo com a cabeça no colo dela, a loira então começou fazendo carinho no cabelo da prima/amiga e iniciou uma conversa com ela, primeiramente conversaram sobre amenidades como a festa de ontem. A ruiva perguntou o que tinham feito depois que saíram da praia. Ivi contou que voltaram para casa e brincaram um pouco nos brinquedos, Dul nessa hora levantou a cabeça do colo da amiga e percebeu que tudo já tinha saído do jardim fazendo biquinho porque queria ter brincado mais uma vez, mas logo desfez o bico lembrando do motivo de não ter voltado com todos abrindo um lindo sorriso e dizendo em pensamentos que não havia nada no mundo que lhe fizesse trocar os momentos que teve com Christopher na praia. Ivalu sorriu da manha da amiga e informou que vieram buscar tudo no começo da tarde, mas a ruiva perdida em pensamentos lembrando da primeira noite de amor que teve com Chris não escutou o que Ivi dizia, ela sorriu boba ao lembrar o quanto ele foi maravilhoso, carinhoso e em como se sentiu amada e desejada como jamais tinha sentido. Dulce suspirou encantada por Christopher com a certeza que valerá a pena esperar por ele, Christopher Uckerman entrou em sua vida arrebatando seu coração e sem duvida era o melhor namorado do mundo em todos os sentidos. Ivalu percebeu que sua amiga estava no mundo dela, a olhou negando com a cabeça e reparou que ela possuía um sorriso lindo no rosto, a loira mais que curiosa já foi logo perguntando.      

Ivi (sorrindo): Dulce Maria estou falando com você!!! (Dul suspira perdida em pensamentos nem ai para amiga, a loira estala o dedo chamando á ruiva). Está pensando em o quê ou em quem? (Dulce seguia sem perceber que Ivalu estava chamando). Dulce estou falando (Ivi empurra Dul de leve e a ruiva em fim se toca que amiga lhe chamava).
Dul (ela suspira distraída): Han!!! Oi amiga o que foi que você disse?
Ivi (sorrindo): Falei n coisas mais tenho certeza que não ouviu nem a metade do que disse, mas deixa para lá (a loira sorriu e Dul apenas a olhou sem graça). O X da questão é em que mundo estava? E não menos importante do por que desse sorriso tão lindo ai no seu rosto?        
Dul (sorrindo): No mundo Chris e pensando na noite maravilhosa que tive com ele.
Ivi (sorrindo): Que fofaaaaaaa (a loira aperta a bochecha dela sorrindo). Agora uma coisa não entendo.
Dul (sorrindo): O que Ivi?
Ivi (sorrindo): Minha noite foi praticamente igual a sua e foi boa, mas não para te deixar assim com cara de abestalhada (a ruiva somente sorri). Ah não ser que tenha acontecido algo depois que saímos? Foi isso Dul?
Dul (ficando vermelhinha e escondendo o rosto): Foiiiii.
Ivi (sorrindo): Perai perai não vai me dizer que......... .
Dul (sorrindo): Exatamente o que pensa.
Ivi (sorrindo): Noooooooooo Dulce Maria não é, mas Bebê (a loira sorri apertando as bochechas da ruiva).
Dul (sorrindo): Yo so si Bebê (Ivalu negou sorrindo brincando com amiga). Sou a Bebê do meu amor, da Ivalu cara de tatu, da ma...
Ivi (sorrindo): Da sua mamita não é o que ia falar?
Dul (ela suspira): É eu ia ...... .
Ivi (ela fica seria): Não fuja do assunto Dulce (a loira volta sorri aliviando o clima). Vamos conversar sobre isso daqui a pouco, mas antes quero saber como foi anda me conta?
Dul (sorrindo): Ah foi lindooo (ela suspira lembrando de ontem). Ele é carinhoso, romântico, maravilhoso, meu Chris é tudo.
Ivi (sorrindo): Vocês dois são perfeitos juntos sempre achei desde novela (Dulce sorriu). Mas me diz como aconteceu e aonde vamos estou curiosa?
Dul (sorrindo): Na praia o clima esquentou depois que vocês foram embora (Ivalu sorriu e acenou pedindo que amiga seguisse falando). Chris ficou meio inseguro, mas eu mostrei que queria (a loira sorriu). Ficamos no mar e vimos que não dava, saímos e ele já pegava nossas coisas quando eu empurrei ele em cima na minha canga, ai nos amamos (Dulce suspirou boba e Ivalu apenas sorriu). Foi lindo, o dia estava clareando fiquei com medo de nos pegarem e pedi que fossemos embora (a ruiva suspira emocionada). Tomamos café, fomos dormi e o resto você já sabe.
Ivi (sorrindo): Que lindo fico feliz por você amiga (a loira abraça amiga que seguia deitada em seu colo de barriga para cima).
Dul (sorrindo): Obrigada.
Ivi (ela ficou seria): Mudando de assunto totalmente (Dulce ficou seria também sabendo que amiga queria falar algo serio). O que decidiu sobre passarmos uns dias com os nossos pais? (a ruiva seria levanta do colo de Ivalu, ela tinha esquecido desse assunto).
Dul (seria): Uns dias, mas não era um churrasco?
Ivi (seria): Sim era, mas mudei de ideia (Dulce suspira seria). Eles não vão curtir nada passando só o dia, então eu pensei que eles podiam voltar no mesmo dia que a gente. Então? (Ivalu suspirou seria esperando por uma resposta positiva da amiga).
Dul (seria): Não queria nem passar um dia com eles imagina alguns dias, nem pensar.
Ivi (seria): Dulce, por favor, são seus pais (a ruiva balança a cabeça negativamente). O que custa dar uma oportunidade a eles de te explicar as coisas? (a ruiva nega mais uma vez se segurando para não chorar). Até quando vai ficar fugindo me diz?
Dul (irritada): Não sãos meus pais e custa muito sim não quero mentirosos perto de mim, não quero (Ivalu tenta abraçar amiga que se afasta). Não estou fugindo não me importa porcaria de verdade nenhuma, me enganaram e me fizerem de boba (ela levantou do sofá). Não me importa nada entendeu.

franmoreira89

Mensagens : 52
Data de inscrição : 05/07/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por franmoreira89 em Ter Nov 11, 2014 9:14 pm

Dulce saiu correndo e só parou quando bateu a porta do quarto com força para depois cair em prantos já deitada na cama com o lençol no rosto. Christopher e Eduardo viram a ruiva passar que nem foguete e correram para o deck para saber o que tinha acontecido, Ivalu contou sobre a briga aos dois que entenderam e apoiaram Ivi. Chris inclusive sugeriu que ela chamasse os pais da ruiva e já estava mais que na hora de Blanca e Fernando começassem a se impor perante a filha, pois não era porque tinham cometido um erro que Dulce podia tratá-los dessa maneira. Blanca e Fernando amavam muito mais não podiam deixar que a filha faltasse com respeito e não menos importante Claudia e Bianca mereciam ficar perto dos pais também assim como todos queriam com essa ideia do churrasco. Dudu concordou e Ivalu se sentiu mais segura em tomar a decisão que achava o mais correto, a loira então ligou primeiramente para os pais e depois para Blanca, Christopher ligou para mãe e Eduardo ligou para pai, todos aceitaram o convite e combinaram de chegarem dia quatro de janeiro pela manhã bem cedo, os três ficaram felizes e desligaram. Assim que desligaram Christopher, Ivalu e Eduardo começaram a combinar como iam acomodar os pais, quem dormia na cama de casal como Chris, Dul, Clau, Ivi e Bibi teriam que ceder as camas aos pais e passarem a dormir nos quarto que possuíam as camas de beliche. Dulce assim que conseguiu se acalmar saiu à procura do namorado e encontrou o mesmo conversando muito animado com Ivalu e Eduardo. Ela chegou perto deles e chamou por ele com a mão querendo sair de perto dos olhos reprovadores da amiga, mas não adiantou porque Christopher não se mexeu.  

Dul (manhosa): Chris vem, por favor, quero falar com você.
Chris (serio): Não Dulce estou bem aqui (a ruiva suspirou querendo atenção e pensando no que falar para convencer o namorado para ir com ela). Precisa de algo?
Dul (manhosa segurando o lençol): Não só queria ficar perto de você.
Chris (serio): Fique aqui comigo então.

A ruiva ficou pensando no que fazer, mas logo se decidiu por ficar por ali e acabou por se sentar no colo do namorado encostada no peito dele com o lençol no rosto de costas para Ivi, os três estavam se segurando para não rir da manha dela, principalmente Chris que achava uma graça e sempre cedia as manhas da namorada, ele sabia que era uma das formas que ela usava para demonstrar que o queria sempre por perto e que o amava.

O resto do grupo chegou no inicio da noite encontrando os quatro na varanda, cumprimentaram todos e a maioria seguiu para o banho, menos Claudia e Bianca que tentavam entender o porque da irmã está calada, pensativa e em outro mundo entre sussurros os amigos e o cunhado explicaram as duas o que acontecia. Ivalu informou que o churrasco em família se transformou em alguns dias com os pais e os mesmos voltariam no mesmo dia que eles, Ivi avisou também que só faltava chamar os pais de Flávio, Claudia então disse que ia avisar o namorado e pedir que convidasse os pais. Dulce apertou forte o lençol chamando atenção do namorado que acariciou a mão dela ao mesmo tempo em que fazia carinho nas costas da mesma, a ruiva começou a chorar e Chris pediu entre sussurros que a deixassem sozinha com ele. Todos assentiram, Claudia e Bianca foram tomar banho e Dudu e Ivi foram conversar na cozinha.

franmoreira89

Mensagens : 52
Data de inscrição : 05/07/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Só o amor pode salvar da dor

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 6 de 13 Anterior  1, 2, 3 ... 5, 6, 7 ... 11, 12, 13  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum